Mateus I da Lorena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brasão de Armas da Casa da Lorena.
Cruz de Lorena, símbolo da Lorena no século XV.

Mateus I da Lorena também denominado Matias I da Lorena (1119 - 13 de maio de 1176) foi o Duque de Lorena de 1138 até sua morte.

Mateus sucedeu seu pai no momento em que a dinastia dos Hohenstaufen na Alemanha, assumia o poder. Mateus casou-se com Berta da Suábia, sobrinha do rei Conrado III e irmã do falecido Imperador Frederico Barbarossa, e fortalecendo assim os vínculos entre Lorena e do Sacro Império Romano.

Mateus I irá acompanhar Barbarossa nas suas muitas viagens, principalmente em 1155 quando este parte para Roma afim de estar presenta na coroação de Papa Adriano IV. Tomou também parte na luta entre o imperador eo antipapa Victor IV por um lado e o Papa Alexandre III e os reis de França e Sicília, pelo outro.

No seu ducado, ele conseguiu o domínio graças a vários assaltos ilegais que fez á Diocese de Toul para o expandir, sendo por esse facto excomungado. Ele também fez grandes doações à igreja e fundou vários mosteiros, incluindo o Mosteiro de Clairlieu, onde ele e sua esposa foram enterrados.[1]

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Simão I da Lorena[2] , Duque de Lorena e de Adelaide de Lovaina, filha do primeiro casamento de sua madrasta, Gertrude da Flandres, com Henrique III de Lovaina. Do seu casamento Berta da Suábia (1138), ele teve:

  1. Simão I da Lorena (1140 - 1 de abril de 1206), sucessor de seu pai nos destinos da Lorena.
  2. Frederico I da Lorena (c. 1143 - 7 de abril de 1207), conde de Bitche e casado com Ludmilla da Polónia (? - 1223), filha de Miecislau III da Polónia (1126 - 13 de março de 1202).
  3. Judite da Lorena (falecida em 1173), casou com Stephen II, conde de Auxonne (1170)
  4. Alice da Lorena (? - 1200), casada com Hugo III da Borgonha, duque de Borgonha.
  5. Thierry da Lorena (morreu 1181), bispo de Metz (1174-1179)
  6. Mateus da Lorena (? - 1208), conde de Toul.
  7. Filha cujo nome os anais não registaram e que morreu jovem.[3] .

Bibliografa[editar | editar código-fonte]

  • Henry Bogdan, La Lorraine des ducs, sept siècles d'histoire.

Referências

  1. Georges Poull, La Maison ducale de Lorraine. Presses Universitaires de Nancy, 1991. 595 p. ISBN 2-86480-517-0. p. 35.
  2. Généalogie de Simon sur le site Medieval Lands
  3. Pauvres duchesses, l'envers du décor à la cour de Lorraine. Éditions Serpenoise, Metz, 2007. ISBN 978-2-87692-715-5. p. 13.