Matilde de Canossa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pormenor de uma representação que representa Matilde de Canossa.

Matilde de Canossa ou Matilde da Toscana (1046 – Bondeno di Roncore, 24 de julho de 1115) foi uma nobre e militar italiana, a principal apoiadora do papa Gregório VII durante a Questão das Investiduras.Ela é uma das poucas mulheres medievais a ser relembrada por seus feitos militares.As vezes é chamada de la Gran Contessa(A Grande Condessa)/

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filha de Bonifácio de Canossa e Beatrice de Bar.Seu pai era o governador de vários condados,entre eles Régio da Emília,Modena,Mântua,Bréscia e Ferrara.Ele era dono de grandes estados nos Apeninos,apesar de a maior parte ser na Lombardia e na Emília-Romanha. O local de nascimento de Matilda é desconhecido,mas alguns tais como Mântua,Modena,Cremona e Verona foram sugeridos.Porém,a maioria dos estudiosos acha mais plausível que foi em Luca ou em um castelo próximo de Porcari.[1] . Baseados em sua fluência do alemão,alguns autores acreditam que ela nasceu no Ducado de Lorena,a província de sua mãe.Ela era a filha mais nova,e depois de seu pai ter sido assassinado em 1052,a sua irmã mais velha,Beatrice(em homenagem a mãe delas) também morreu.A sua mãe,para proteger a herança da filha,se casou com um primo,Godofredo III,Duque da Baixa Lorena,que era da Alta Lorena antes de se rebelar contra Henrique III,Sacro Imperador Romano-Germânico.Os dois se casaram em 1053 ou 1054 na Igreja de São Pedro em Mântua pelo próprio papa Leão IX quando ele retornou de uma viagem a Alemanha.Durante esse tempo,Matilda estava noiva de Godofredo IV,Duque da Baixa Lorena,filho de Godofredo III.

Henrique III enfurecido pelo casamento de Matilda com seu inimigo viajou para a Itália na primavera de 1055,chegando em Verona em abril e em Mântua duranta a Páscoa.Beatrice escreveu-lhe para lhe pedir passagem segura para que pudesse se explicar com o Imperador.Então,ela seguiu com seu filho mais novo,Frederico,e com sua mãe Matilda da Suábia,a irmã da avô do imperador,Gisela da Suábia.A jovem Matilda foi deixada em Luca ou Canossa e pode ter passado os próximos anos entre os dois lugares sob a custódia de seu padrasto.Inicialmente,Henrique recusou-se a ver Beatrice,mas a aprisionou em condições lamentáveis,enquanto Frederico foi tratado apropriadamente.Porém,morreu enquanto preso.A morte de seu irmão,fez Matilda a única herdeira das vastas terras de seu pai,sob a proteção de seu padrasto.

Com sua esposa aprisionada,Godofredo retornou à Alemanha para provocar uma rebelião,mas Henrique levou consigo mãe e filho.Alguns historiadores alegam que Beatrice estava desejosa de ver sua antiga terra nativa.De qualquer forma,Godofredo e seu aliado,Balduíno V de Flandres,forçaram o imperador a aceitar os termos de paz no meio da década de 1050 e assim,ele foi autorizado a voltar para Itália e administrar as terras de sua enteada.Henrique morreu logo após e o conselho presidio pelo Papa Vítor II em Colônia(Alemanha) formalmente restaurou Godofredo,O Barbado a corte imperial.Ele e Beatrice estavam de volta à Itália naquele ano.

A família de Matilda se tornou altamente envolvida em conflitos envolvendo eleições papais na última metade do século XII.O irmão de seu padrasto se tornou Papa Estevão IX,e os dois papas seguintes Papa Nicolau II e Papa Alexandre II foram bispos da Toscana.Matilda viajou pela primeira vez à Roma com a comitiva de Nicolau em 1059.As forças militares foram usadas para proteger os papas e lutar contra os antipapas.Algumas histórias contam que a adolescente Matilda tomou partido em algumas dessas questões,porém não há evidências.

Através de Arduino della Padule,ela aprendeu as artes militares,como cavalgar e lutar com armas.De acordo com Ludovico Vedriani,havia duas peças de sua armadura nos Quattro Castelli até 1622,quando foram vendido em Régio da Emília.Os quattro castelli eram os castelos de Montezane,Montelucio,Montevetro e Bianello,empoleirados por Maltida no topo das colinas para proteger Canossa.Matilda falava alemão,francês,(de acordo com Donizo) e escrevia em latim.

Durante esse período,ela casou-se com Godofredo IV,a quem ela desdenhava.Ela deu a luz a uma filha em 1071,Beatrice.Muitos autores dizem que a menina morreu no primeiro ano de vida,contudo alguns contemporâneos juntamente com Michelangelo,alegam que ela sobreviveu,sendo que Michelangelo dizia ser descendente de Beatrice,e por isso,de Matilda.Sua alegação era apoiada pelo Conde de Canossa.Contudo,a Igreja receosa de perder as terras de Matilda,sempre declarou que ela nunca teve filhos.

Matilda e seu marido se tornaram estranhos um com o outro após a morte de Godofredo III em 1069.Godofredo IV,como herdeiro,tomou suas terras na Alemanha e o Ducado da Baixa Lorena.


Conflito entre o Henrique IV e o Papado[editar | editar código-fonte]

A mãe e o marido de Matilda morrrerram em 1076,deixando-na com controle exclusivo sobre a sua fortuna e como herdeira de Lorena,enquanto o conflito de Matilda com Henrique IV,Sacro Imperador Romano-Gêrmanico e com o Papa Gregório VII estava em um ponto crítico.O papa tinha excomungado o monarca,reduzindo o apoio alemão de Henrique.O Imperador,então,cruzou os Alpes naquele inverno,até o Castelo de Canossa como um penitente descalçado,para encontrar-se com o papa.Porém,não ajudou muito seu caso,pois que em 1080 Henrique foi excomungado novamente.Determinado,viajou mais uma vez para pedir ao papa para retirar a excomungação e coroá-lo Imperador,ou caso contrário,iria depor o papa e colocar alguém mais cooperativo no lugar.

Matilda controlava todas as passagens dos Apeninos,obrigando Henrique a passar por Ravena para atingir Roma,mas ainda com essa rota aberta,ele teria de enfrentar hostilidades,dificultando um cerco a Roma.Alguns de seus aliados derrotaram a Condessa na batalha de Volta Mantovana(perto de Mantua) em outubro de 1080,e em dezembro os habitantes de Luca revoltaram-se e expulsaram o seu aliado o Bispo Anselmo de Lucca.Ela é creditada como tendo ordenado a renovação da Ponte della Maddalena.

Em 1081 Matilda sofreu algumas perdas e Henrique a depôs em julho,porém ela mantinha soberania sobre algumas terras.Ela se manteve como principal meio de comunicação do papa com o norte europeu,mesmo após ele ter perdido o controle de Roma e ser preso no Castelo de Santo Ângelo.Depois que Henrique conseguiu o selo papal,Matilda escreveu mensagens de Gregório para os aliados na Alemanha. Henrique durante esse tempo,escolheu e consagrou como novo papa o Antipapa Clemente III,que em retornou o corou Imperador.Com isso,ele voltou para a Alemanha,deixando para seus aliados desapropriar Matilda.Porém,não funcionou,pois ela os cercou perto de Modena,em 2 de julho de 1084. Gregório VII morreu em 1085,fazendo com que Matilda e seu aliado,Jordano I de Cápua juntassem forças bélicas para impor um novo papa,Vítor III.Em 1085,a nobre conduziu uma incursão a Roma para instalar Vítor,porém foi sobrepujada pelo contra ataque imperial,o que fez o novo papa se retirar da cidade.

Por volta de 1090,casou-se pela segunda vez,com Guelfo II de Baviera da Casa de Welf,conhecida mais tarde pelas suas alianças com os papas no conflito com os imperadores alemães(Guelfos e Gibelinos).A nova união instigou o Imperador a voltar a Itália,levando-a para as montanhas.Mais tarde,foi derrotado em outubro de 1092,perdendo influência no país.[2]

Em 1095,Henrique tentou reverter a situação ao invadir e toma posse do castelo de Nogara,mas a chegada da Condessa como líder do exército o forçou a uma retirada.Em 1097,o monarca foi embora da Itália para sempre,deixando Matilda como autoridade incontestável.Apesar disso,ela continuou a lutar para reconquistar sua autoridade em terras que mantinham-se leais ao imperador.Ela comandou expedições bem sucedidas contra Ferrara(1101),Parma(1104),Prato(1107) e Mântua(1114).O biógrafo de Matilda,Donizone,diz que o Imperador Henrique V alcançou o Castelo de Bianello em Quattro Castella e a coroou Grãduquesa com o título de Vice Rainha da Itália.Isso foi um fato decisivo para a Concordata de Worms.Tudo ano,em maio,o episódio da coroação é imortalizado em Quattro Castella.


Morte e Legado[editar | editar código-fonte]

A morte de Matilda de gota em 1115 em Bondeno di Roncore marcou o fim de uma era na política italiana.Acredita-se que ela deixou suas terras para o papa por razões desconhecidas,contudo a doação nunca foi oficializada em Roma,e não há registros conhecidos.Henrique havia prometido que após depô-la não iria apontar um sucessor em seus estados.Os cidadãos tomaram o poder,iniciando a era das cidades-estados no norte italiano.No século XVII,seu corpo foi removido do Vaticano e enterrado na Basílica de São Pedro.

Alguns dizem que ela é a origem da misteriosa Matilda que aparece para Dante colhendo flores no paraíso terreno em sua obra Purgatório.[3]

A história de Matilda e Henrique está presente na peça de Luigi Pirandello,Enrico IV.Ela também é a personagem histórica principal no livro de Kathleen McGowan,o Livro do Amor.

Fundação de Igrejas[editar | editar código-fonte]

Alguns clamam que ela fundou tais igrejas:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Godofredo IV,Duque da Baixa Lorena
Margrave da Toscana
1076 - 115
Sucedida por:
Conrado Von Scheiern

Referências

  1. Duff, 31. Boniface can be placed in Lucca in 1047 and Beatrice purchased Porcari in 1044.
  2. Eads, Valerie (2010). "The Last Italian Expedition of Henry IV: Re-reading the Vita Mathildis of Donizone of Canossa". Journal of Medieval Military History 8: 23–68.
  3. Binyon, Lawrence (1978). ""Argument", Canto XXVIII". In Paolo Milano. The portable Dante (Rev. ed. ed.). Harmondsworth: Penguin. ISBN 0140150323.