Matilde de Canossa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pormenor de uma representação que representa Matilde de Canossa.

Matilde de Canossa ou Matilde da Toscana (?, 1046 – Bondeno di Roncore, 24 de julho de 1115) foi uma nobre e militar italiana, a principal apoiadora do papa Gregório VII durante a Questão das Investiduras.

Era filha de Bonifácio de Canossa e Beatrice de Bar. Foi educada por Arduino della Padule nas artes militares e casou-se com Godofredo IV, Duque da Baixa Lorena, tendo com ele uma filha, Beatrice. Com a morte de sua mãe e seu marido em 1076, ela herdou uma grande território. Nesse momento a querela entre o papa e o imperador Henrique IV chegara a uma crise, e no castelo de Canossa, onde o papa estava, o imperador fez sua célebre penitência. Por volta de 1081 havia perdido em guerras várias de suas possessões, e Henrique a depôs em julho, mas ela ainda reteve grandes propriedades e permaneceu como intermediária entre o papa e o norte da Europa. Morrendo Gregório, levou uma exército para Roma a fim de apoiar a eleição de Vítor III.

Em 1090 casou-se de novo com Guelfo II da Baviera, o que reforçou sua posição política. Em 1095 combateu Henrique, que tentava se apossar de seu castelo em Nogara, forçando sua retirada, dois anos depois ele deixou a Itália, e Matilde recuperou todo o seu poder, continuando a apoiar o papado em várias expedições militares bem sucedidas em Ferrara (1101), Parma (1104), Prato (1107) e Mantua (1114). Em 1111 foi coroada vice-rainha da Liguria pelo próprio Henrique. Depois de sua morte suas províncias se fragmentaram, dando origem a várias cidades-estado independentes. Seu corpo jaz na Basílica de São Pedro. Michelangelo alegava ser seu descendente, o que no tempo da vida do artista foi confirmado pelo Conde de Canossa reinante.

Referências[editar | editar código-fonte]