Matroska

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mergefrom 2.svg
O artigo ou secção MKV deverá ser fundido aqui.
Editor, considere adicionar mês e ano na marcação. Isso pode ser feito automaticamente, com {{Fusão de|....|{{subst:DATA}}}}.

(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Cheque ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).
Matroska (Матрёшка)
Matroska-logo-128x128.png
Extensão do arquivo .mkv .mk3d .mka .mks
Desenvolvido por Matroska.org
Lançamento 6 de dezembro de 2002
Variante de EBML, MCF

Matroska é o nome de uma iniciativa ousada para a criação de formatos universais de contentores, ou containers de audio e video digitais. A premissa é que seja um Padrão aberto de forma que possa evoluir de acordo com as necessidades dos desenvolvedores e distribuidores de conteúdos de Vídeo digital, e não tornar-se obsoleto ao longo do tempo.

O nome é grafia romanizada de матрёшка, ou matrioska - bonecas típicas russas, no qual uma boneca grande contém outra menor, que contém outra, e assim sucessivamente. Deste modo, os formatos ligados ao Matroska permitem conter dados resultantes de diferentes tipos de codificações (ou codecs) de vídeo e audio.

Matroska se concretiza como biblioteca de software, que pode ser usadas pelos criadores de players multimídia. Porém este Container não está associado a um Codec específico, e permite que o desenvolvedor tenha flexibilidade na escolha do formato de compressão de vídeo, por exemplo, pois pode reunir em um só arquivo o container com video, áudio, images, legendas, de uma forma concisa e eficiente, facilitando a vida do desenvolvedor e do usuário final. Matroska por si só NÃO é um formato de compressão de video.

Sua adoção é ainda limitada, mas já é entusiástica: adotam-no muitos softwares livres de video digital, como x264 e VirtualDubMod.

Apesar de ser uma iniciativa Software Livre, Matroska não se limita a sistemas operacionais livres, como o GNU/Linux: seu parser, ou "analisador léxico", de DirectShow é muito considerado pela equipe do projeto Matroska. A principal finalidade dos arquivos MKV é armazenamento de conteúdos de video digital de Alta Definição.


Histórico[editar | editar código-fonte]

O projeto foi anunciado em 6 de dezembro de 2002[1] como uma divisão do formato MCF, após discordâncias entre alguns de seus desenvolvedores, sendo que grande parte da comunidade que participava do desenvolvimento inicial migrou para o novo projeto.

Durante a conferência Google I/O de 2010, o Google anunciou a adoção do Matroska como contêiner de seu novo formato para arquivos multimídia para a web, batizado de WebM.[2]

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Por ser um projeto de Padrão Aberto, com sua especificações disponíveis gratuitamente, pode ser usado para fins pessoais, e até mesmo para empresas que desejem incluir este padrão em seu portfólio de formatos suportados em seus produtos, quer sejam de Hardware ou Software. Matroska está licenciado sob GNU e L-GPL, e também existem algumas licenças em BSD, para fins comerciais.

As premissas do projeto Matroska, de acordo com seus criadores[3] , são as seguintes:

  • Rápida procura no arquivo de multimídia
  • Melhor recuperação de erros
  • Entradas de capitulação mais simples
  • Possibilidade de seleção entre diferentes legendas e áudio
  • Ser estendido em módulos, mantendo o que já existe (legado ou legacy)
  • Capaz de ser transmitido via Internet (Vídeo On-Demand, BitTorrent, etc.)
  • Possuir Menus com um certo grau de Interatividade
  • Criar e documentar um padrão que seja flexível para distribuir conteúdos de multimídia
  • Estabelecer Matroska como a alternativa de Código Aberto para outros formatos proprietários
  • Desenvolver as ferramentas para edição de conteúdos Matroska
  • Fazer parte do desenvolvimento de novos chipsets para que estes sejam compatíveis em produtos standalone ou dedicados, em cooperação com os fabricantes de semicondutores
  • Torná-lo compatível ao maior número de sistemas operacionais existentes

Formatos (extensões de arquivo)[editar | editar código-fonte]

Os formatos de arquivo para o padrão Matroska são:

  • .MKV para video com as legendas e áudio;
  • .MKA para conteúdos de áudio somente, e;
  • .MKS para legendas;
  • .MK3D para arquivos com vídeo em 3D(Estereoscopia).

Estrutura Básica[editar | editar código-fonte]

A estrutura básica do formato Matroska pode ser observada na imagem ao lado[4] . A figura foi mantida em sua língua original Inglesa para a familiarização com o jargão por parte dos iniciantes no formato Matroska.


Diagrama básico da estrutura dos arquivos Matroska.


O Diagrama é somente ilustrativo, e, por não estar em uma escala quantitativa em relação ao que realmente é o Formato Matroska, serve somente para uma primeira idéia do que realmente é o formato.

Header[editar | editar código-fonte]

(ou cabeçalho)

O Header contém as informações que definem qual versão do EBML eles foram criados, e qual tipo de EBML é o arquivo. Neste caso, um arquivo Matroska.

Metaseek[editar | editar código-fonte]

A seção Metaseek (ou índice dinâmico, em tradução livre) contém um índice onde todos os outros grupos estão localizados dentro do arquivo, como as faixas de video e áudio, capítulos, anexos (figuras)e etc. Não é tecnicamente mandatório, porém se não for incluído será necessário procurar em todo o arquivo até encontrar o que procura. Isto porque qualquer um dos outros itens podem ocorrer em ordem aleatória.

Segment Information[editar | editar código-fonte]

Aqui contém as informações básicas que dizem respeito a todo o arquivo, incluindo o título do arquivo, uma identidade única que permite o arquivo ser localizado individualmente, e também qual seriam os arquivos que o antecedem ou sua sequência, em caso de o arquivo fazer parte de uma série, por exemplo. Neste último caso também iria conter as identidades dos arquivos anteriores e posteriores.

Track Section[editar | editar código-fonte]

(Seção das Faixas)

Nesta seção estão as informações básicas de cada uma das faixas, por exemplo, se estas são de áudio, vídeo ou legenda, qual a resolução do video, qual a taxa de amostragem do áudio. Também informa qual tipo de codec deve ser utilizado para exibir as faixas.

Chapters Section[editar | editar código-fonte]

Esta seção lista todos os capítulos. Os capítulos são uma forma conveniente de localizar pontos pré definidos nas faixas de vídeo e áudio.

Clusters Section[editar | editar código-fonte]

Esta seção contem os agrupamentos de dados na forma de quadros (para o vídeo )e segmentos (para o áudio)de cada faixa individualmente.


Cueing data section[editar | editar código-fonte]

Esta seção contém as informações de início e fim de cada faixa (Cue). São muito similares ao Metaseek, mas no Matroska a diferença fundamental é que o Cue é utilizado para localizar um ponto específico no tempo de execução do arquivo. Sem o Cueing data é possível buscar os pontos, mas o player precisa buscar dentro de cada arquivo a informação de Timecode correta.

Attachment Section[editar | editar código-fonte]

Esta seção é bem interessante para anexar quaisquer arquivos pertinentes ao conteúdo. Fotos, capas de álbuns, letras, sítios de Internet, até mesmo o próprio codec necessário para tocar o formato do arquivo.

Tagging section[editar | editar código-fonte]

Aqui pode-se adicionar informações básicas sobre o arquivo, como nome de artista, ou o autor das músicas, entre outras informações. A idéia inicial segue o padrão usado nas Tags de MP3].

Conteúdos em formato Matroska[editar | editar código-fonte]

Inicialmente a adoção do formato foi muito restrita, sendo usada principalmente em pirataria de conteúdos de DVD, VHS, e conteúdos capturados de transmissões das emissoras, muitos em HDTV, pelo mundo. Como o formato permitia a inclusão de legendas, conteúdos de áudio com maior facilidade, passou a ter maior aceitação. Normalmente este container possui arquivos de multimidia com codificação H.264, e uma ou mais faixas de áudio AC3 e legendas. A maioria do código Matroska é escrita em C++, porém suporta C e Java.

Referências externas[editar | editar código-fonte]

  1. Matroska: Older Archives. Visitado em 18 September 2009.
  2. Google lança formato de vídeo aberto para web
  3. Matroska: What is Matroska.
  4. Matroska: Diagrama.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.