Matthäus Merian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Matthäus Merian
Nascimento 22 de setembro de 1593
Basileia, Suíça
Morte 19 de junho de 1650 (56 anos)
Bad Schwalbach, Alemanha
Ocupação gravurista

Matthäus Merian, o velho (Basileia, 22 de setembro de 1593 - Bad Schwalbach, 19 de junho de 1650) foi um gravurista suíço, que trabalhou em Frankfurt a maior parte de sua carreira, onde também manteve sua editora.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Início da vida e casamentos[editar | editar código-fonte]

Nascido na cidade suíça de Basileia, Merian aprendeu a arte da gravura em cobre em Zurique. Em seguida, trabalhou e estudou em Estrasburgo, Nancy e Paris, antes de retornar a Basileia em 1615. No ano seguinte, mudou-se para Frankfurt, na Alemanha, onde trabalhou na editora de Johann Theodor de Bry, que era o filho do viajante e gravurista de renome Theodor de Bry.

Em 1617, Merian casou-se com Maria Magdalena de Bry, filha do editor, e associou-se durante um tempo a editora de Bry. Em 1620, eles se mudaram para Basileia, mas três anos mais tarde retornaram a Frankfurt. Eles tiveram quatro filhas e três filhos. Maria Magdalena de Bry morreu em 1645 e posteriormente Matthäus se casou com Johanna Catharina Hein. Cinco anos depois, Matthäus morreu, deixando a mulher com duas crianças pequenas, Maria Sibylla Merian (nascida em 1647), que mais tarde tornou-se ilustradora e naturalista pioneira, e um filho, Maximilian, que morreu antes de seu terceiro aniversário.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Frankfurt ca. 1612; gravura de Matthäus Merian

Em 1623 Merian assumiu a editora de seu sogro, após a morte de Bry. Em 1626 tornou-se um cidadão de Frankfurt e pode, doravante, trabalhar como um editor independente. Ele passou a maior parte de sua vida trabalhando em Frankfurt.

No início de sua vida, tinha criado mapas urbanísticos detalhados em seu estilo original, por exemplo, um mapa de Basileia (1615) e um mapa de Paris (1615). Com Martin Zeiler (1589 - 1661), um geógrafo alemão, e mais tarde (cerca de 1640) com o seu próprio filho, Matthäus Merian (o jovem, 1621 - 1687), produziu a série Topographia. O conjunto de 21 volumes foi coletivamente conhecido como Topographia Germaniae. O trabalho inclui vários mapas urbanísticos e vistas, bem como mapas da muitos países e um mapa-múndi, que tornou-se tão popular que foi reimpresso em muitas edições. Ele também assumiu e concluiu as partes posteriores e edições de Grand Voyages e Petits Voyages, originalmente iniciadas por de Bry em 1590.

O trabalho de Merian inspirou o trabalho Suecia Antiqua et Hodierna de Erik Dahlbergh.

Matthäus Merian morreu após vários anos doente, em 1650, em Bad Schwalbach, perto de Wiesbaden.

Após sua morte, seus filhos Matthäus e Caspar assumiram a editora. Eles continuaram publicando, sob o nome de Merian Erben (os Herdeiros de Merian), as obras Topographia Germaniae e Theatrum Europaeum.

Referências