Maurício Sirotsky Sobrinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maurício Sirotsky Sobrinho
Nascimento 5 de junho de 1925
Passo Fundo
Morte 24 de março de 1986 (60 anos)
Porto Alegre
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Parentesco Jayme Sirotsky (irmão)

Eduardo Sirotsky Melzer (neto)

Cônjuge Ione Pacheco Sirotsky
Filho(s) Nelson Pacheco Sirotsky
Pedro Pacheco Sirotsky
Ocupação Jornalista e empresário

Mauricio Sirotsky Sobrinho (Passo Fundo, 5 de junho de 1925Porto Alegre, 24 de março de 1986) é o fundador do Grupo RBS (Rede Brasil Sul). Foi sucedido na presidência da RBS por seu irmão mais novo, Jayme Sirotsky, em 1986; em 1991, o comando da empresa passou para o filho de Maurício, Nelson Pacheco Sirotsky; e, em 2012, o neto Eduardo Sirotsky Melzer tornou-se o novo presidente do Grupo RBS.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maurício Sirotsky Sobrinho nasceu em Passo Fundo, em 1925, filho de Rita Birmann e José Sirotsky, imigrantes judeus de origem russa, que se mudaram para o interior do Rio Grande do Sul e possuíam um armazém como negócio de família.

Já em Passo Fundo, para onde a família mudou-se do distrito de Erebango, desde muito jovem mostrava seu talento de comunicador, ao animar programas de calouros no pátio do Instituto Gimnasial (hoje Instituto Educacional). Aos 14 anos, tornou-se locutor do Serviço de Alto-Falantes Sonora Guarany, ganhando seu primeiro salário.

Aos 17 anos, apesar da desaprovação do pai, deixou Passo Fundo rumo a Porto Alegre, onde fez um teste e foi contratado para trabalhar na Rádio Gaúcha. Acabou retornando a Passo Fundo para, em 1947, concluir o curso de contabilidade no Ginásio Nossa Senhora da Conceição. Um ano antes, assumiu a gerência da Rádio Passo Fundo, sem deixar de lado as funções de locutor, animador e ator de rádio-teatro.

Casou-se em 1949 com Ione Pacheco, com quem viveu por 37 anos, até falecer, e teve os filhos Suzana, Sônia, Nelson e Pedro. Em 1950, mudou-se em definitivo para Porto Alegre, atuando como locutor na Rádio Farroupilha e, no ano seguinte, na Rádio Difusora Portoalegrense. Tornou-se gerente de publicidade das Emissoras Reunidas em 1952 e, em 1953, fundou a Rádio Publicidade Ltda., escritório de representação de emissoras e jornais do interior do Rio Grande do Sul em Porto Alegre. Em 1956, estreia na Rádio Farroupilha o Programa Maurício Sobrinho, atração de auditório apresentada no Cinema Castelo, em cujo palco apresentavam-se nomes nacionais e locais da música brasileira. Apresentando-se toda semana no programa, uma iniciante Elis Regina assinou com Maurício Sirotsky Sobrinho seu primeiro contrato.

Em 1957, uma sociedade capitaneada por Maurício adquiriu a Rádio Gaúcha. Cinco anos depois, em 1962, ele criou com Frederico Arnaldo Ballvé e Nestor Rizzo no Rio Grande do Sul a TV Gaúcha, antiga afiliada da TV Excelsior. Posteriormente, em 1965, antes da extinção da TV Excelsior, a empresa afiliou-se à Rede Globo dando origem ao que hoje constitui-se na RBS TV – nesta época, a RBS, assim como a Globo, apoiou a ditadura militar no Brasil, episódio pelo qual a RBS se retratou com um editorial em 2014.[1]

Em 1967, criou a TV Caxias, formando a primeira rede regional de TV do Brasil, e também a Rádio Atlântida, primeira rádio jovem do Brasil, em homenagem à Jovem Guarda e à praia de Atlântida Sul, no litoral norte gaúcho. O controle acionário do jornal Zero Hora foi adquirido por Maurício em 1970. Faleceu em 1986, devido a uma parada cardíaca.

Associações[editar | editar código-fonte]

  • Diretor da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), de 1968 a 1972;
  • Fundador e membro do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Empresas de Televisão (Abrate), em 1970;
  • Diretor da Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (Agert), de 1966 a 1968;
  • Fundador e primeiro vice-presidente da Associação Brasileira de Jornais (Abrajor);
  • Presidente do Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Rio Grande do Sul;
  • Membro do Conselho Deliberativo da Associação Rio-grandense de Imprensa (ARI).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. O esforço da velha mídia para justificar o apoio à ditadura. Revista Fórum (3-4-2014). Página visitada em 15-5-2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Presidente do Grupo RBS
1957 - 1986
Sucedido por
Jayme Sirotsky