Max Knoll

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Max Knoll (17 de Julho de 18976 de Novembro de 1969) foi um engenheiro elétrico alemão.

Knoll nasceu em Wiesbaden e estudou em Munique, na Technical University of Berlin, onde obteve seu doutoramento no Institute for high voltage technology (literalmente, "Instituto para a tecnologia de alta voltagem"). Em 1927 tornou-se o chefe do grupo de pesquisas em elétrons da mesma Universidade, onde, juntamente com seu colaborador Ernst Ruska, inventou o microscópio eletrônico.[1] Em Abril de 1932, Knoll juntou-se à Telefunken em Berlim, desenvolvendo trabalhos no campo de projetos de televisores. Simultaneamente, manteve um grupo de estudos em Berlim.

Após a Segunda Guerra Mundial, Knoll ingressou na Universidade de Munique, sendo considerado um ótimo professor, alcançando o cargo de direção do Instituto de Eletromedicina.

Mudou-se para os Estados Unidos da América em 1948 para desenvolver trabalhos no departamento de Engenharia Elétrica da Universidade de Princeton.

Em 1956 retornou a Munique e investiu em uma série de experimentos na Technische Hochschule ("Escola Técnica") que envolviam a geração de fosfenos por estimulação elétrica em seu próprio cérebro e no de voluntários. Aposentou-se em 1966.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Knoll, Max & Kügler, J. (1959) Nature (London) 184: 1823-1824. "Subjective Light Pattern Spectroscopy in the Electroencephalic Range."

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi elaborado a partir de tradução do artigo Max Knoll, da Wikipédia em inglês, que se encontrava nesta versão.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.