Max Tegmark

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cosmologia, Física Teórica, Astrofísica
Max Tegmark
Nacionalidade Suécia Sueco Estados Unidos Americano
Nascimento 05 de maio de 1967 (47 anos)
Local Estocolmo
Atividade
Campo(s) Cosmologia, Física Teórica, Astrofísica
Instituições MIT
Alma mater Instituto Real de Tecnologia
Berkeley
Conhecido(a) por Suicídio Quântico


Max Tegmark (Estocolmo, 05 de maio de 1967) é um cosmólogo sueco radicado nos Estados Unidos. Tegmark é professor no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e pertence à diretoria científica do Instituto de Questões Fundamentais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tegmark nasceu como Max Shapiro na Suécia, filho de Karin Tegmark e Harold S. Shapiro, estudou no Instituto Real de Tecnologia, em Estocolmo, e mais tarde recebeu seu Ph.D. da Universidade da Califórnia, Berkeley. Já trabalhou na Universidade da Pensilvânia, e atualmente trabalha no Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Sua pesquisa se concentrou em cosmologia, combinando trabalho teórico com novas medidas para colocar restrições sobre modelos cosmológicos e seus parâmetros livres, muitas vezes em colaboração com especialistas. Ele tem mais de 200 publicações, das quais 9 foram citadas mais de 500 vezes.[1] Tegmark desenvolveu ferramentas de análise de dados com base na teoria da informação e aplicou-as à radiação cósmica de fundo em micro-ondas em experimentos como COBE, QMAP E WMAP. Com Daniel Eisenstein e Hu Wayne, ele introduziu a ideia de usar oscilações acústicas de bárions como uma régua padrão.[2] Com Angélica de Oliveira-Costa e Hamilton Andrew, ele descobriu o alinhamento multipolar anômalas na WMAP dados por vezes referido como o "eixo do mal".[3] Ele desenvolveu o suicídio quântico, experimento mental com propostas anteriores de Hans Moravec e Bruno Marchal, propondo um argumento matemático para o multiverso.[carece de fontes?]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Foi casado com a astrofísica Angelica de Oliveira-Costa, em 1997, e se divorciaram em 2009. Eles têm dois filhos, Filipe e Alexandre.

Mídia[editar | editar código-fonte]

  • Em 2006, Tegmark foi um dos 50 cientistas entrevistados pela revista New Scientist sobre suas previsões para o futuro. Sua previsão: Em 50 anos, você pode ser capaz de comprar T-shirts em que são impressos equações que descrevem as leis unificadas de nossos universos"[4]
  • Tegmark aparece no documentário Mundos Paralelos, Vidas Paralelas na qual ele é entrevistado por Mark Oliver Everett, filho do fundador da interpretação de muitos mundos da mecânica quântica, Hugh Everett.
  • Tegmark também aparece em "Quem tem medo de um grande buraco negro?", "Que horas são?", "Ao infinito e além", "Tudo o que sabemos sobre o universo está errado?" e "O que é a realidade?", toda a parte da BBC horizon dedicada à programas científicos.

Referências