Medieval II: Total War

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa do jogo.

matheuspley, abreviado como M2TW, é a sequência indireta do jogo Medieval: Total War lançado em 2002 pela Activision[1] , e o quarto jogo da série Total War, baseado em estratégia por turnos e táticas em tempo real que foi desenvolvido pela The Creative Assembly e lançado primeiramente pela Electronic Arts em novembro de 2006 e posteriormente pela SEGA. O jogo se passa de 1080 até 1530. Com a mesma premissa do primeiro medieval, o novo jogo foca as guerras medievais, política e religião na Europa, África do Norte e no Oriente Médio. Entretanto, diferente de seu predecessor, o jogo se estende até os eventos do descobrimento, invasão e conquista das Américas.

O tutorial do jogo é uma mini-campanha introdutória, que se passa na Inglaterra durante a Conquista Normanda.

Aspectos do Jogo[editar | editar código-fonte]

Similar aos títulos anteriores da série, o jogo consiste de dois modos de jogo: batalhas históricas, que simulam batalhas reais, como a Batalha de Arsuf ou a Batalha de Agincourt, ou batalhas multiplayer, pré-definidas pelos jogadores, bem como o modo de campanha single-player, onde o jogador escolhe uma facção e avança com ela no tempo do jogo, valenso-se do ambiente tático e estratégico proporcionado.

Campanha[editar | editar código-fonte]

A campanha permite ao jogador assumir o controle de um reino do período, e construir uma civilização e poderio militar e econômico para conquistar as outras facções. A jogabilidade consiste em controlar os aspectos militares, econômicos e sociais. Durante o turno do jogador, exércitos, frotas e agentes podem ser movidos pelo mapa. Quando um exército se defronta com outro, o jogador tem a escolha de comandar pessoalmente as tropas, no modo de batalha, ou calcular automaticamente o resultado.

A meta na campanha depende do tipo de campanha que se joga. A campanha curta requer que o jogador derrote uma ou duas facções inimigas (por exemplo, a Inglaterra deve derrotar seus inimigos históricos Escócia e França) e controlar ao menos 15 a 20 províncias. A campanha longa requer que o jogador controle pelo menos 45 províncias e uma ou duas cidades significantes, como Jerusalém, Roma, Constantinopla ou Granada.

O mapa de campanha no Medieval II: Total War consiste no espaço geográfico que engloba desde Portugal até o atual Iraque no sentindo oeste-leste, enquanto no sentido norte-sul vai desde a Escandinávia até o Norte de África. Em adição ao eventos históricos retratados no jogo, é possível construir embarcações capazes de explorar o Oceano Atlântico e eventualmente chegar às Américas. O mapa de campanha do Novo Mundo consiste na representação distorcida do que seriam hoje os territórios dos Estados Unidos, Caribe, México e Brasil, dispostos em 6 províncias habitadas por povos rebeldes e no caso dos territórios mexicanos os Aztecas.

Batalhas[editar | editar código-fonte]

Cena de uma batalha do jogo. Um grupo de cavaleiros ingleses ataca cavaleiros feudais franceses desmontados.

Um dos principais focos da franquia Total War é a incorporação de uma batalha tática, dentro da esfera estratégica maior de jogo, que acontece no mapa de campanha. Uma batalha, que ocorre em uma mapa de batalha, consiste de dois ou mais exércitos de facções opostas lutando entre si. As batalhas do jogo são semelhantes às do Rome: Total War, com formações de vários tipos de tropas de combate. O objetivo da batalha é derrotar o exército inimigo, destruindo-o completamente, ou fazendo com que todo o exército inimigo debande. Em uma batalha de cerco, o objetivo é destruir completamente o exército defensor, ou assumir o controle da praça central da localidade. Há também uma opção, que permite ao jogador escolher o tempo máximo de duração de uma batalha, o que significa que o atacante tem que derrotar o defensor dentro de um certo limite de tempo, determinado pelo computador, caso contrário o resultado de batalha será a vitória do defensor.

Facções[editar | editar código-fonte]

Existem 24 facções no total (incluindo os rebeldes e saxões), onde 17 são jogáveis, sendo 5 desbloqueadas desde o início do jogo enquanto as outras podem ser desbloqueadas derrotando-as durante a campanha. As facções não-jogáveis podem ser utilizadas somente nos modos de batalha, porém podem ser habilitadas (com exceção dos saxões) na campanha principal através de truques.

A tabela abaixo apresenta uma breve descrição das facções do jogo, em ordem de disponibilidade no início (desbloqueado, bloqueado e não-jogável). No campo de "territórios" sua respectiva capital está em negrito:

Bandeira Facção Descrição Estado Cores Territórios
Bandeira inglesa‎ Inglaterra Representando Anglo-Normando Reino da Inglaterra, suas principais característas militares são seus excelentes arqueiros de arco longo, como uma poderosa infantaria. Sua maior desvantagem estão nas poucas unidades de cavalaria, embora seja da melhor qualidade. Seus rivais históricos são a Escócia e a França.

Religião: Católico.

Desbloqueado
Caen, Londres, Nottingham
Bandeira francesa França A Dinastia Capetiana representa a França neste momento histórico. Suas unidades de cavalaria pesada são uma das melhores da Europa, além de excelentes lanceiros. Nos períodos mais avanaçados dispõe de uma rica variedade de unidades, entretanto logo no início carace, principalmente, de infantaria. Seus rivais históricos são a Inglaterra, Milão e Espanha.

Religião: Católico.

Desbloqueado
Paris, Angers, Marselha, Reims, Toulouse
Bandeira Imperial Sacro Império Romano-Germânico O império fundado por Carlos Magno tem seu momento de esplendor sob a dinastia de Frederico Barbarossa. possui unidades poderosas de todos os tipos, especialmente focando os Lansquenês nos períodos avançados e a cavalaria pesada (composta principalmente de cavaleiros góticos e reiters). Logo de início carecem de arqueiros de qualidade, tendo esse problema suprido pelo treino de besteiros posteriormente.

Religião: Católico.

Desbloqueado
Frankfurt, Bolonha, Insbruque, Nuremberg, Hohenstaufen, Viena
Bandeira de castela Espanha O Reino Espanhol de Leão e Castela dispõe de uma ótima cavalaria durante todo o seu desenvolvimento, como também de forte infantaria (com lanceiros ruins apenas nos períodos iniciais) e artilharia. Nos períodos avanaçados torna-se destaque principalmente a sua tecnologia e suas tropas profissionais.

Religião: Católico.

Desbloqueado
Leão, Toledo
Bandeira veneziana Veneza A República de Veneza é uma potência marítima do Mar Mediterrâneo, com o seu domínio consilidado sobre várias ilhas da região. Embora possua uma cavalaria fraca, suas unidades de infantaria e milícia tem boa qualidade.

Religião: Católico.

Desbloqueado
Veneza, Heraclião, Ragusa
Bandeira bizantina O Império Bizantino Com suas tropas influenciadas tanto pelo oriente como pelo ocidente, o Império Bizantino conta com boa infantaria (destacando-se os Varegues), cavalaria e arquearia. Fortes unidades de milícia e cavalaria de artilharia, mas carecem de boas unidades nos períodos avançados, como unidades de armas de fogo e lanceiros.

Religião: Ortodoxo.

Bloqueado
Constantinopla, Corinto, Nicéia, Nicósia, Tessalônica
Bandeira dinamarquesa Dinamarca Diversos povos nórdicos, feudos e ducados escandinavos representam esta facção, suas principais unidades são os Vikings e os huscarls. Possuem infantaria e cavalaria muito poderosas, em detrimento de suas unidades de artilharia.

Religião: Católico.

Bloqueado
Arhus
Bandeira fatímida Egito Representado pelo Califado Fatímida e suas posteriores dinastias. Os egípcios poussuem uma forte cavalaria, como os mamelucos, mas uma artilharia limitada e uma medíocre infantaria.

Religião: Islâmico.

Bloqueado
Cairo, Alexandria, Gaza
Bandeira húngara Hungria Os húngaros possuem forte cavalaria e infantaria (nos períodos avançados, ainda sim demonstrando uma fraca infantaria no contexto geral). Os húngaros são católicos e possuem Budapeste como capital.

Religião: Católico.

Bloqueado
Budapeste, Bran
Bandeira milanesa Milão O Ducado de Milão e a República de Gênova formam esta facção. Tem fortes milícias italianas e besteiros genoveses. Nos períodos iniciais possuem uma forte tecnologia, mas uma fraca cavalaria.

Religião: Católico.

Bloqueado
Milão, Gênova
Bandeira moura Mouros Os Mouros, representados pela Dinastia Almorávida, possuem a união do camelo com o lanceiro e poucas, mas efetivas, unidades do período avançado como atiradores a camelo.

Religião: Islâmico.

Bloqueado
Córdova, Argel, Granada, Marraquesh
Bandeira polonesa (1025 – 1385) Polônia O Reino da Polônia, representado pela Dinastia Piast, possui uma excelente cavalaria, tal como os hussardos e szlachtas. Há a ausência de fraca infantaria nos períodos iniciais como a de forte nos períodos avançados.

Religião: Católico.

Bloqueado
Cracóvia, Halych
Bandeira portuguesa Portugal Os portugueses dominam a região mais ocidental da Europa em Lisboa e o norte da Ibéria na cidade de Pamplona. Possui unidades melhoradas como arcabuzeiros e lanceiros, excelente tecnologia nos períodos avançados como também a melhor força naval. Nos períodos avançados carece de tropas profissionais e possui uma cavalaria pesada muito fraca. Os portugueses são católicos e possuem Lisboa como capital.

Religião: Católico.

Bloqueado
Lisboa, Pamplona
Bandeira russa Rússia Os russos são representados pela Rus Kievana e pela República de Novgorod. Possui a melhor cavalaria e cavalaria de artilharia da Europa e tem excelentes arqueiros a pé, bem como os dvoryane, os boiardos e asunidades de armas de fogo. Entretanto, eles tem uma infantaria pobre nos períodos iniciais.

Religião: Ortodoxo

Bloqueado
Novgorod
Bandeira escocesa Escócia Os escocesses tem excelentes piqueiros, arqueiros e cavalaria pesada experientes (embora possuam uma variedade pobre), carecem de todo o tipo de tecnologia em armas de fogo ao lado da artilharia.

Religião: Católico.

Bloqueado
Edimburgo
Bandeira siciliana Sicília A conquista normanda ajudou a sicília a se livrar da influência turco-árabe, assim sendo representados pelo Reino normando-italiano da Sicília e ainda depois por uma parte do Reino de Nápoles. Tem uma mistura de arqueiros árabes, milícias italianas e cavaleiros normandos.

Religião: Católico.

Bloqueado
Palermo, Nápoles
Bandeira Otomana Os Turcos Representados pela Dinastina Seljúcida e depois pelo Império Otomano, os turcos tem a engenharia de armas de cerco mais forte do jogo e possuem poderosas unidades de artilharia que utilizam a pólvora, especialmente os janízaros, mas uma pobre tecnologia de armaduras e uma medíocre cavalaria.

Religião: Islâmico.

Bloqueado
Icônio, Cesareia, Mossul, Erevan
Bandeira do papado Os Estados Papais Os Estados Papais possuem uma forte milícia, guarda suíça e unidades da guarda papal, mas tem uma cavalaria pouco variada. Essa facção católica é o lar do Papa, com uma grande influência sobre as outras facções católicas. O Papado não pode ser destruído a menos que todos os agentes católicos estejam destruídos e as terras dos Estados Papais conquistadas.

Religião: Católico.

Não-jogável
Roma
Bandeira timúrida Timúridas Os timúridas possuem os mais caros e poderosos regimentos no jogo, como os elefantes de guerra, elefantes de artilharia, bombardos e mísseis, porém eles caracem de boas unidades de infantaria. Os timúridas aparecem no fim do século XIV, do Oriente Médio.

Religião: Islâmico.

Não-jogável
Inicia sem cidade, como uma horda nômade.
Bandeira de Wessex Saxões Os governadores da Inglaterra antes da Conquista Normanda em 1066, os anglo-saxões aparecem no contexto histórico durante a Batalha de Hastings como o tutorial do jogo. Eles tem lanceiros muito fortes e infantaria de choque.

Religião: Católico.

Não-jogável
Não aparecem na campanha principal
Ilustração não oficial da bandeira asteca Astecas Os astecas não possuem tecnologia de armadura, cavalaria ou de armas, mas tem excelentes tropas de choque. Eles não tem qualquer tecnologia naval, em compensação possuem vastas hordas e uma ótima economia.

Religião: Pagão.

Não-jogável
Tlaxcala, Texcoco, Tenochtitlán
Os Mongóis Representados pela Invasão Mongol, Horda Dourada e pelo Ilcanato, os mongóis tem uma poderosa cavalaria e artilharia, mas uma limitada e fraca infantaria. Eles carecem de pólvora nos períodos avançados. São nômades, chegando em ondas das províncias do leste do oriente médio durante o início do século XIII.

Religião: Islâmico.

Não-jogável
Inicia sem cidade, como uma horda nômade.

Por fim as províncias rebeldes também são uma facção, representadas no mapa com a mesma cor cinza dos outros jogos da série.

Referências

  1. Medieval: Total War demo available. GameSpot (26/06/2002). Página visitada em 31/09/2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.