Megadeth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Megadeth
Megadeth atuando no Sonisphere 2010 na República Checa.
Informação geral
Origem Los Angeles, Califórnia
País  Estados Unidos
Gênero(s) Heavy metal, thrash metal, hard rock,[1] [2] [3] speed metal[4]
Período em atividade 19832002
2004–atualmente
Gravadora(s) Combat Records (1984–1986)
Capitol Records (1986–2000)
Sanctuary Records (2001–2006)
RoadRunner Records (2006–2012)
Tradecraft (actual)
Página oficial www.megadeth.com
Integrantes Dave Mustaine
David Ellefson
Chris Broderick
Shawn Drover
Ex-integrantes Greg Handevidt, Nick Menza, Gar Samuelson, Kerry King, Chris Poland,Glen Drover, Jay Reynolds, Jeff Young, Marty Friedman, Al Pitrelli, James Lomenzo, Jimmy DeGrasso

Megadeth é uma banda estado-unidense de thrash metal liderada por seu fundador, o vocalista e guitarrista Dave Mustaine. O grupo foi formado em 1983, após Dave ser expulso do Metallica. Desde então, a banda lançou quatorze álbuns de estúdio, quatro álbuns ao vivo, dois EP e cinco compilações.

A banda ganhou fama internacional ligeiramente. Ficou muito conhecida por sempre trocar sua formação devido aos constantes problemas de personalidade, e pelo fato de que , o vocalista não queria viciados na banda em suas turnes. Após o lançamento de seu álbum estreia em 1985, a banda lançou álbuns premiados com o disco de ouro, platina e o álbum Rust in Peace (1990) é considerado a melhor realização da banda, assim como Countdown to Extinction (1992), maior sucesso de vendas e nomeado ao Grammy no mesmo ano, além de que Youthanasia (1994) manteve o bom ritmo da banda. Com os lançamentos de Cryptic Writings (1997) e Risk (1999), a banda afastou de seus lançamentos antigos, tendo quase que abandonado o thrash metal, e indo pra um lado mais heavy metal, somente com The World Needs a Hero (2001) a banda voltou às raízes do thrash metal. O grupo foi dissolvido em 2002, após Mustaine descobrir uma séria lesão no nervo do braço esquerdo, mas após dois anos de longas e exalstivas fisioterapia, Mustaine reformulou a banda decidiu voltar a ativa com o lançamento de The System Has Failed (2004). Desde então, a banda lançou outros quatro álbuns: United Abominations (2007), Endgame (2009), TH1RT3EN (2011) e Super Collider (2013). Megadeth faz parte do "Big Four of Thrash", juntamente com Metallica, Slayer e Anthrax.

O grupo já vendeu mais de 50 milhões de discos no mundo[5] , com destaque para os álbuns Peace Sells... But Who's Buying, So Far, So Good... So What!, Rust in Peace, Youthanasia e Cryptic Writings que já alcançaram discos de platina e já foi nomeado para 10 Grammys [6] [7] . Em 28 anos de atividade, mais de 18 músicos já tocaram com Mustaine, o único presente em todas formações.

História[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

No verão de 1983, apenas dois meses após o guitarrista Dave Mustaine ser expulso do Metallica após os membros da banda o trairem, e o substituirem friamente por Kirk Hammett,[8] Mustaine, o baixista David Ellefson, o guitarrista Greg Handevidt, e o baterista Dijon Carruthers criaram o Megadeth, que mais tarde usaram o nome Megadeth em Los Angeles. Mustaine mais tarde disse, "Após ser expulso do Metallica, tudo que eu lembrava era que eu queria sangue. O deles. Queria ser mais rápido e pesado que eles.".[9]

Dave Mustaine Dave Ellefson
Dave Mustaine (esquerda) e David Ellefson (direita) são os fundadores do Megadeth

Impulsionado pelo desejo de vingança,[10] Mustaine aumentou a velocidade e intensidade das canções que já tinha escrito, como "Mechanix" (que seria usada indevidamente no álbum Kill 'em all do Metallica com o titulo de The Four Horsemen). Após a procura sem sucesso de seis meses por um novo vocalista, Mustaine decidiu assumir a posição, se tornando assim, líder, guitarrista, compositor e vocalista. Ainda em 1983, o baterista Dijon Carruthers foi substituído por Lee Rausch.

No início de 1984, o Megadeth gravou três demos. Antes disso, o guitarrista Greg Handevidt saiu da banda para formar o grupo Kublai Khan, então as demos apresentaram somente Mustaine, Ellefson e Rausch, que continham as canções "Last Rites/Loved to Death", "Skull Beneath the Skin", e "Mechanix". Nos shows de apresentação das demos, o Megadeth contou com o guitarrista Kerry King,

Após alguns shows, Lee Rausch foi substituído pelo baterista Gar Samuelson, e depois de exatos 5 shows, foi a vez de King se retirar, voltando ao Slayer.

Mike Albert assumiu o lugar provisoriamente na banda.

Depois de mostrar talento nas três demos, o Megadeth assinou contrato com uma Gravadora independente de Nova Iorque, chamada Combat Records, e em dezembro adicionou Chris Poland como novo guitarrista.

Killing is My Business... And Business is Good![editar | editar código-fonte]

Com Poland, Mustaine, Samuelson e Ellefson tocando, o Megadeth lançou o demo Last Rites e em 1985 o primeiro álbum, o Killing Is My Business... And Business Is Good!, com excepcional aceitação do público e da mídia. Vendeu mais de 100.000 cópias, um bom número por ser um álbum lançado por um selo de gravação independente , destaques para as músicas Rattlehead , Mechanix , The Skull Beneath the Skin e "Last Rites / Loved to Death" .

Peace Sells... But Who's Buying[editar | editar código-fonte]

Peace Sells (1986)
Amostra de Peace Sells. Segundo single do álbum "Peace Sells... but Who's Buying?".

Problemas para escutar este arquivo? Veja introdução à mídia.

Já no ano de 1986, a banda lança o álbum Peace Sells... But Who's Buying, com destaque para as canções "Peace Sells" "My Last Words" e "Good Mourning/Black Friday". Foi o primeiro álbum da banda certificado com o disco de platina nos Estados Unidos (em 1992) e listado no livro "1001 Albums You Must Hear Before You Die" (1001 álbuns que você precisa ouvir antes de morrer).

É considerado um dos melhores álbuns da banda, juntamente com Rust in Peace.

A capa do álbum tem o mascote da banda "Vic Rattlehead" com uma placa na mão escrito For Sale (a venda). Dave Mustaine quis dizer que a ONU estava se vendendo na época.

Após o lançamento do álbum, Chris Polland e Gar Samuelson foram despedidos da banda por Mustaine, sendo substituídos pelo guitarrista provisório Jay Reynolds e pelo baterista Chuck Behler. no mesmo ano, Jeff Young chegou para assumir o posto de guitarrista definitivo.

So Far, So Good... So What![editar | editar código-fonte]

Com essa nova formação, o Megadeth lança em 1988 o álbum So Far, So Good... So What!, com destaque para as canções "In My Darkest Hour", ''Set The World Afire'' , "Anarchy in the U.K.", cover dos Sex Pistols e Mary Jane . O álbum foi certificado com o disco de platina em 1998.

Certa vez, em abril de 1988, em um concerto musical na Irlanda, Mustaine dedicou a canção "Anarchy in the U.K." à República Armada Irlandesa. Antes do final da canção, Mustaine disse "Essa canção é pela causa! Devolvam a Irlanda aos irlandeses ". Uma grande confusão se gerou na platéia e a banda teve de usar um ônibus blindado até o fim da tour.

Infelizmente naquela época o relacionamento de Mustaine com os membros do grupo não era muito bom. Ele sofria de dependência de drogas e foi preso uma vezes por isso,por culpa de um amigo. Após isso, Mustaine teve que ser internado em uma clínica de reabilitação.

Formação Rust in Peace[editar | editar código-fonte]

Poucos meses depois, Mustaine dizia-se um novo homem e reformulou a banda, que era composta pelo guitarrista Marty Friedman e o baterista Nick Menza.

Rust in Peace[editar | editar código-fonte]

A nova formação lançou em 1990 o álbum Rust in Peace, um sucesso de vendas em todo o mundo, e por várias semanas entre os TOP 10 dos Estados Unidos, com destaque para as canções "Tornado of Souls", "Hangar 18" e "Holy Wars... The Punishment Due".

Este álbum é considerado um clássico do thrash metal. Alguns o apontam, ao lado de Master of Puppets do Metallica, como o melhor de toda história desse estilo. Críticos destacaram a qualidade sonora superior à de seus antecessores, as letras mais complexas e o estilo parcialmente progressivo adotado pela banda. O Megadeth recebeu disco de platina pelo álbum em 1994 e recebeu indicações ao Grammy em 1991 e 1992 por Melhor Performance de Metal. Rust in Peace foi incluído no livro "1001 Albums You Must Hear Before You Die" (1001 álbuns que você precisa ouvir antes de morrer). Foi a turnê de Rust in Peace que levou o Megadeth pela primeira vez ao Brasil, onde o grupo se apresentou na segunda edição do Rock in Rio, realizado no Maracanã, em janeiro de 1991.

Countdown to Extinction[editar | editar código-fonte]

Em 1992, lançaram o álbum Countdown to Extinction, também um grande sucesso comercial, sendo certificado com dupla platina nos Estados Unidos. O destaque vai para a canção "Symphony of Destruction", que é a mais conhecida do público e foi regravada por várias outras bandas , também teve a canção ''Sweating Bullets'' que teve otima repercussão.

Youthanasia[editar | editar código-fonte]

Youthanasia, lançado em 1994, manteve o bom nível do álbum anterior. O título é um trocadilho com o termo eutanásia, implicando que a sociedade está promovendo uma eutanásia em seus jovens, o que é consistente com a visão de Mustaine. Youtnanasia continua a tendência de canções mais lentas, direcionadas ao hard rock, que começou com o álbum Countdown to Extinction.

Destaque para a canção "A tout le monde", que foi por quase 1 ano a mais tocada nas rádios dos Estados Unidos.

Em meados dos anos 1990, foi tentado uma reunião com a formação "quase original" do Metallica, com James Hetfield no vocal, Dave Mustaine na guitarra solo, Lars Ulrich na bateria e o lugar de Cliff Burton seria ocupado por David Ellefson. Mas os contatos entre os empresários não deram certo.

Hidden Treasures[editar | editar código-fonte]

No ano 95 lançaram o EP Hidden Treasures, que agradou o público, mas a mídia não deu muita atenção.

Cryptic Writings[editar | editar código-fonte]

Em 1997 o Megadeth lançou Cryptic Writings, um álbum de "volta às origens" com canções que lembram toda a carreira da banda: "She-Wolf", "Trust", "Secret Place", "Vortex", "FFF", "Almost Honest", "The Desintegrators".

Nesse mesmo ano Nick Menza saiu da banda. Nick foi diagnosticado com um tumor no joelho. Exames constataram-no como benigno, e o tumor foi removido. Ao invés de cancelar os shows, Dave Mustaine chamou o baterista Jimmy DeGrasso. Nick Menza contou em várias entrevistas que um dia, enquanto ainda estava no hospital se recuperando da cirurgia, Dave Mustaine telefonou e simplesmente disse "seus serviços não são mais necessários".

Jimmy DeGrasso foi o baterista do Megadeth entre 1998 e 2002.

Risk[editar | editar código-fonte]

Em 1999, lançaram o álbum Risk, álbum que seguindo o caminho de canções como "Almost Honest" do disco anterior, apresentava samples semieletrônicos. Apesar de decepcionar alguns fãs, gerou muitos adeptos e foi sucesso de vendas nos Estados Unidos.[11]

A sonoridade do álbum ficou próxima à sonoridade do rock alternativo, o que gerou críticas por parte de ouvintes do thrash metal, estilo pelo qual o Megadeth é freqüentemente rotulado.

Destaque para a canção "Crush Em'", que virou tema de vários programas de luta, foi tema do filme Soldado Universal e fez a banda ganhar alguns prêmios. Um dos fãs assumidos que a banda ganhou foi o ator Jean-Claude van Damme, que hoje é um grande amigo de Dave Mustaine.

Mustaine previa que o álbum Risk seria o último do guitarrista Marty Friedman. Até hoje não se sabe ao certo o motivo de sua saída. A versão oficial é de que ele não queria mais tocar em nenhuma banda, e sim criar uma longa carreira solo, a qual vem dando certo até hoje no Japão. Para o seu lugar, foi escalado Al Pitrelli, ex-guitarrista da banda Savatage.

The World Needs a Hero[editar | editar código-fonte]

Era o ano de 2001, e a banda lançou o polêmico álbum The World Needs a Hero. Este teve muito boa aceitação. Foi tido como um retorno do Megadeth às raízes do thrash metal, após o estilo mais comercial de Rock encontrado nos três álbuns anteriores — entretanto, o álbum ainda reteve um pouco do estilo comercial. Dave Mustaine disse que o álbum foi como "um navio perdido no mar tentando voltar ao seu curso".

Uma curiosidade é que a banda foi barrada ao entrar na Malásia para fazer um show. O motivo foi que "a banda causa má conduta e deixa os jovens visivelmente modificados".

Encerramento temporário[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de abril de 2002 Dave decide encerrar temporariamente o Megadeth por problemas em um nervo no braço. Naquela época ele entrou em crise com o baixista David Ellefson, que saiu para formar o grupo F5. Em meio das confusões, Mustaine relança o álbum Killing Is My Business... and Business Is Good!, com novas faixas.

The System Has Failed[editar | editar código-fonte]

Formação oficial do Megadeth após o reinício. Da esquerda para a direita: Shawn Drover, James MacDonough, Mustaine, e Glen Drover

Era o ano de 2004, todos pensavam que a banda iria encerrar definitivamente suas atividades. Mas Dave Mustaine conseguiu se recuperar do seu problema no tendão e anunciou o reinício da banda. Além disso, lançou mais CDs remasterizados e com faixas novas.

Na metade do ano 2004, o Megadeth lança o álbum The System Has Failed destaque para as canções "Blackmail the Universe" e "Kick the Chair" . Para alguns o segundo melhor da história do grupo. As letras eram ótimas, e faziam ataques ao governo americano. Chris Poland (guitarra), Vinnie Colaiuta (bateria) e Jimmie Lee Sloas (baixo) completaram a banda como uma formação temporária, pois esse álbum era planejado para ser um álbum solo de Dave, que mudou de ideia, e depois da gravação resolveu fazer uma reformulação da banda.

The System Has Failed (O Sistema Falhou) é uma alusão ao "sistema americano e da civilização ocidental" que, na opinião de Dave Mustaine, dita os caminhos do mundo. Dave cita exemplos de tal falha no sistema educacional americano, que paga mal a seus professores, e sua corte, que permite que criminosos escapem às punições.

Após as vendas do novo álbum serem melhores de que o esperado, Mustaine anuncia uma turnê pelo mundo. Preferindo reformular a banda, ele chama o guitarrista Glen Drover e seu irmão Shawn Drover para a bateria. O baixista foi James MacDonough. Em 11 de outubro de 2005, a banda tocou no Brasil.

Em fevereiro de 2006, o então baixista MacDonough foi despedido por Mustaine. Boatos na internet sugeriram a volta de David Ellefson. Este havia processado Mustaine 2 anos antes, mas fizeram as pazes. Todos queriam a volta do baixista original, menos ele próprio. Chamou, então, o baixista James LoMenzo ex-Black Label Society.

Ainda em 2006, a banda lançou o novo DVD intitulado Arsenal of Megadeth que foi muito bem vendido nos Estados Unidos.

United Abominations[editar | editar código-fonte]

James LoMenzo foi o baixista do Megadeth entre 2006 e 2010

Em outubro de 2005, a banda lançou um DVD intitulado That One Night: Live in Buenos Aires. O álbum United Abominations saiu em maio e despontou como o retorno da banda às suas raízes , destaque para as canções "Sleepwalker" , "Washington Is Next!" , "Never Walk Alone (A Call To Arms)" e a releitura da clássica "A Tout Le Monde". O álbum repercutiu muito bem entre os fãs do mundo inteiro. Alguns até dizem ser o melhor álbum desde o Rust In Peace.

O nome é um trocadilho com o nome das Nações Unidas (United Nations)

Recentemente, a banda lançou uma nova coletânea, intitulada Megadeth Warchest, que traz 4 CDs com grandes músicas da banda, incluindo algumas inéditas e um DVD bônus de um show.

No dia 14 de janeiro de 2008, Mustaine anunciou oficialmente a saída de Glen Drover. Glen preferia passar mais tempo com sua família, então foi despedido. O escolhido para substituir Glen foi o ex-guitarrista do Nevermore, Chris Broderick.

Endgame[editar | editar código-fonte]

Chris Broderick, ex-Nevermore é o guitarrista atual da banda.

Com Broderick na guitarra, a banda lançou em 2009 o Endgame, que até agora teve muito boa aceitação da mídia e do público, sendo considerado um dos melhores álbuns já lançados pelo Megadeth , destaque para as músicas "Head Crusher" e "The Hardest Part of Letting Go… Sealed With a Kiss" .

Dave Mustaine disse que o álbum era "rápido, pesado, tem canto, tem grunhido, fala e vozes convidadas, e os solos são insanos".

No dia 8 de fevereiro de 2010, Mustaine anuncia a volta do baixista original sem duvida David Ellefson, que integrara a banda desde seu início até 2002. Junto com a volta de Ellefson, Mustaine anuncia a realização de uma turnê de aniversário de vinte anos do Rust in Peace. Inicialmente realizada apenas nos Estados Unidos, a turnê é estendida para a América do Sul.

TH1RT3EN[editar | editar código-fonte]

Com a volta do baixista original, o Megadeth lança em novembro de 2011 o álbum TH1RT3EN.

Recebeu esse nome por ser o décimo terceiro álbum da banda, e também por que Mustaine nasceu no dia 13, então preferiu que fosse assim. De acordo com ele: "Este disco é o culminar do meu trabalho ao longo dos treze registros que eu gravei. Há momentos em que captura toda minha emoção, e outros onde eu estou liberando sentimentos que eu nunca soube que existia! Meus melhores momentos da minha carreira musical foram capturados em TH1RT3EN."

Destaque para as canções Public Enemy No. 1 e Sudden Death. Esta última foi composta para o jogo Guitar Hero: Warriors of Rock. Foi lançado o single dizendo na capa 'Featured in Guitar Hero: Warriors of Rock'. Mais tarde, em maio de 2012, a banda lança um lyrics video para a música Whose Life (Is It Anyway).

13 dias depois do lançamento do álbum, a banda se apresentou no Brasil no festival de música SWU, sendo uma das maiores atrações.

Super Collider[editar | editar código-fonte]

Em 17 de julho de 2012, um tweet da conta de Twitter da fan page da banda Megadeth Vic Rattlehead, informou que o vocalista Dave Mustaine tinha começado a escrever letras para um álbum sucessor de Thirteen. Além disso, em uma entrevista à NME , Mustaine revelou o existência de material novo, comentando: "Uma parte é um pouco mais escura, e alguns são um pouco mais rápidos". Mais tarde, em julho, em uma entrevista com o ativista e apresentador de rádio Alex Jones , Mustaine anunciou que a banda estava se preparando para começar a trabalhar em um novo álbum de estúdio. Ele desejou boa sorte no lançamento para a primavera de 2013. Mustaine também esclareceu que a banda estava à procura de uma nova gravadora para lançar o álbum. No entanto, Mustaine não identificou qual rótulo pode ser escolhido. A banda tinha um contrato com a Roadrunner Records, mas era apenas para três álbuns, expirando após o lançamento do álbum de estúdio da banda anterior a este, Thirteen. Durante janeiro de 2013, vários pequenos vídeos foram enviados para o canal oficial da banda no YouTube mostrando os membros da banda no estúdio tocando e gravando. Em 24 de janeiro de 2013, o Megadeth postou em seu Facebook uma foto dos integrantes no ensaio com a legenda: "Dave e Shawn gravaram 10 músicas para o nosso novo álbum, até agora, e estamos fazendo a última faixa esta noite".

Em entrevista ao Shockwaves, Dave Mustaine reconheceu que a mudança de gravadora trouxe certa pressão ao novo álbum do Megadeth, Super Collider. "Sem ofensa à Roadrunner, nossa antiga companhia, mas nos sentimos mais respeitados pela Universal. Eles quiseram ouvir as músicas antes do disco ficar pronto, o que nos causou alguma ansiedade". O vocalista David Draiman da banda Disturbed contribuiu em duas faixas no álbum. As músicas são "Forget To Remember" e "Dance In The Rain". Mas o músico não registrou voz em "Forget to Remember", apenas contribuiu na composição. A informação foi confirmada por Dave Mustaine nas redes sociais.

O Album foi lançado em 4 de junho de 2013, e vendeu 29,000 cópias na primeira semana, estreando em 6# na Billboard. O número de vendas foi aquém do que se esperava, isso por conta principalmente da morna recepção da crítica e do público. Super Collider não agradou aos fãs mais extremistas do Megadeth.[carece de fontes?]

Em 2014, a banda se apresentará pelo mundo na turnê "Youthanasia 20th Aniversary", tocando na íntegra o álbum Youthanasia em comemoração ao vinte anos de seu lançamento,[12] enquanto Mustaine planeja o lançamento de novo álbum para 2015, iniciando os trabalhos de composição em agosto de 2014.[13]

Membros[editar | editar código-fonte]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

O MD.45[editar | editar código-fonte]

No ano 1996, Dave Mustaine, juntamente com Lee Ving, o vocalista da banda LA Punk Fear, formam o projeto paralelo ao Megadeth. A esse se dá o nome de MD.45. MD são as inicias de Dave Mustaine ao contrário. 45 são as iniciais de Lee Ving - LV) em números romanos invertidos. Jimmy DeGrasso, "que futuramente iria fazer parte do Megadeth", era o baterista. Com Kelly LeMieux no baixo, completaram a formação. O grupo lançou em 1996 um álbum The Craving. Em 2004, o álbum foi regravado, mas dessa vez com Dave Mustaine nos vocais.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Dave Mustaine se tornou popular por declarações polêmicas na imprensa,[14] quase sempre abordando assuntos relacionados a rivalidades com antigos companheiros e músicos de bandas como Slayer e Metallica. Ficou conhecido por sua desavença com James Hetfield e Lars Ulrich, sempre os acusando de terem feito uma grande injustiça após sua expulsão do Metallica, e de eles terem roubado letras de músicas prontas de Dave, sem ao menos dar crédito a ele.[15]

Em julho de 2004, o antigo baixista David Ellefson processou Mustaine e pediu $18.5 milhões. Ellefson alegou que Dave Mustaine alterou seu contrato e se negou a um acordo após a banda acabar em 2002.[16] Ellefson também acusou Mustaine de ficar com todo o dinheiro que a banda ganhava com propaganda e públicações em revistas. O processo foi interrompido em 2005,[17]

Desde o retorno da banda, o Megadeth nunca mais tocou canções com citações demoníacas, por Mustaine ter se convertido à religião cristã.[18] [19] Em 2004, Dave Mustaine é batizado novamente. Em maio de 2005, Mustaine cancelou dois shows na Grécia e um em Israel, pois se negou a subir ao palco com bandas de black metal, que utilizavam muitas referências Anti-Cristo em suas letras.[20]

Temas das canções[editar | editar código-fonte]

Desde o seu início, o Megadeth tem um tema que expoe com grande frequência nas suas músicas. Guerra - o que já é bem explicito no nome da banda. Nas músicas "Set The World Afire" e "Gears of War", Mustaine expõe os problemas de uma guerra nuclear. As músicas "Architecture of Aggression" e Hangar 18 mostram temas militares, que quase sofreram censura. A conhecida Holy Wars… The Punishment Due fala sobre a guerra em Israel e as consequencias do sangrento combate. Peace Sells.., fala sobre a paz mundial, cada vez mais afetada pelos políticos, que não se interessam por ela. Mas as músicas mais polêmicas, na verdade, falam sobre suicídio. O videoclipe da música A Tout Le Monde foi banido da MTV mundial, porque passava tal mensagem. O mesmo aconteceu com a música "In My Darkest Hour" , que apesar de não ser sobre o suicido é intrepretada por muitos como sendo. Após a conversão de Dave Mustaine em 2004 ele tem feito letras sobre o cristianismo, como de Shadow of Death, Truth Be Told e Blessed Are the Dead.

Outros temas comuns nas músicas são política e relacionamentos.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio

Turnês[editar | editar código-fonte]

Notas e Referências

  1. one of hard rock¹s most revered acts release their first new album in three years. Ilikemusic.com (17 de outubro de 2010). Página visitada em 7-11-2010.
  2. Up for Discussion Jump to Forums (3 de outubro de 2009). Endgame was #1 on the BillBoard Hard Rock List. Billboard.com. Página visitada em 7-11-2010.
  3. Endgame Review. Ultimate-guitar.com. Página visitada em 7-11-2010.
  4. The System Has Failed Review. Ultimate-guitar.com. Página visitada em 7-11-2010.
  5. http://www.dallasobserver.com/2013-07-11/music/megadeth-bassist-dave-ellefson-on-the-metal-aging-process/
  6. Megadeth - The System Has Failed. I Like Music review. Página visitada em 2007-04-22.
  7. http://www.rappler.com/entertainment/10211-thrash-it-up-megadeth-ignites-manila%7D
  8. Cecolini, Vinny. "Foreclosure of a Team", Novembro de 1998, Metal Hammer,reportado por The Realms of Deth; Acessado em 24 de maio de 2008.
  9. "Killing Is My Business… and Business Is Good!" Álbum remasterizado. Maio de 2002, Loud Records, 9046-2.
  10. Dave. "No começo eu só queria buscar a vingança", Setembro de 1999, Metal Hammer, reportado por The Realms of Deth; acessado em 24 de maio de 2008.
  11. Shake, Wrestle, and Roll
  12. http://whiplash.net/materias/news_820/193992-megadeth.html#.Ut7XStK5fMo
  13. http://whiplash.net/materias/news_820/194455-megadeth.html#.Ut7YRdK5fMo
  14. Blabbermouth.net. "Dave Mustaine esmaga ex-companheiros, e defende seus atuais", at Blabbermouth.net; 16 de novembro de 2006.
  15. The Realms of Deth. "Megadeth Vs. Metallica", no The Realms Of Death; acessado em 13 de novembro de 2006.
  16. Blabbermouth.net "Former MEGADETH Bassist Sues DAVE MUSTAINE For $18.5 Million", 2004, reportado por Blabbermouth.net; acessado 10 de novembro de 2006.
  17. Blabbermouth.net "MEGADETH: DAVID ELLEFSON's cancela processo ", 16 de janeiro de 2005, reportado por Blabbermouth.net; acessado em 20 de novembro de 2006.
  18. Blabbermouth.net "DAVE MUSTAINE diz que não irá mais tocar 'Anarchy' por referências anti-cristo", Agosto de 2005, reportado por Blabbermouth.net; last accessed November 20, 2006.
  19. [1]
  20. Kerby, Jeff. "Dave Mustaine na GT", Julho de 2005, no KNAC.com;

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Megadeth