Mehmed Emin Aali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mehemed Emin Aali
Paxá Mehemed Emin Aali
Nascimento 5 de março de 1815
Constantinopla
Morte 7 de setembro de 1871 (56 anos)
Erenkeni
Nacionalidade Império Otomano otomano
Ocupação estadista
Assinatura
Mehmed Emin Aali Pasha signature.svg

Paxá Mehmed Emin Aali (em turco: Mehmed Emin Âli Paşa; Constantinopla, 5 de março de 1815 – Erenkeni, Anatólia, 7 de setembro de 1871, também escrito Mehemed Ali ou Mehmet Ali) foi um estadista otomano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mehemed Emin Aali nasceu em Constantinopla, filho de um funcionário do governo. Uma vez que tinha conhecimento do francês, foi admitido no serviço diplomático de seu país, ainda muito jovem, onde ocupou um cargo no gabinete de tradução do Império Otomano, em 1833. Tornou-se então secretário de legação na Turquia (1834-36), e depois, secretário de embaixada em Viena. Em 1840 tornou-se ministro das Relações Exteriores por um curto período de tempo, antes de servir como embaixador no Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, em Londres (1841-44), e novamente ministro das Relações Exteriores, no governo do paxá Reshid, em 1846. Em 1852 foi promovido ao cargo de grão-vizir, mas depois de alguns meses retirou-se para a vida privada.[1]

Em 1854, durante a Guerra da Crimeia, foi chamado para ocupar o cargo de ministro das Relações Exteriores, pela segunda vez no governo do paxá Reshid, e nessa qualidade participou, em 1855, da Conferência de Viena. Em 1855 voltou a ser o grão-vizir por um ano, um cargo que ele ocupou pelo menos cinco vezes; nessa função ele representou a Sublime Porta no Congresso de Paris de 1856 e assinou o tratado de paz que pôs fim à Guerra da Crimeia.[1]

Mehemed Aali continuou a representar o Império Otomano na maior parte do resto de sua vida, sendo ministro das Relações Exteriores em 1857-58, julho e novembro de 1861 até 1867, e grão-vizir em 1858-59, 1861 e 1867-71.[1]

Em 1867 foi nomeado Regente do Império Otomano durante a visita do sultão à Exposição de Paris. O paxá Aali foi um dos mais zelosos defensores da introdução de reformas ocidentais nos governos dos sultões Abd-ul-Medjid I e Abd-ul-Aziz. Após a morte do paxá Mehmed Fuad em 1869, Aali acumulou os cargos de ministro das Relações Exteriores e grão-vizir.[1]

Estudioso e linguista, ele competia com os diplomatas das potências europeias, contra os quais defendeu com sucesso os interesses de seu país. Estava determinado a dirigir a Turquia no século XIX, mas era também autoritário e arrogante na sua maneira pessoal. Foi um político reformista e o processo de ocidentalização ocorreu no governo otomano durante seu período de ministério. Morreu em Erenkeni na Ásia Menor em 7 de setembro de 1871, após três meses doente.[1]

Notas

  1. a b c d e Encyclopædia Britannica (1911) entrada para Aali, Mehemet (em inglês), volume 1, página 2

Referências