Meio de contraste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}
Um angiograma cerebral contrastado

Meio de contraste é uma substância geralmente líquida injetada ou ingerida pelo paciente (ou inserida no objeto de análise) para bloquear os raios X ou que emite radiação própria.

É usado normalmente na técnica de tomografia.

Exemplo é o sulfato de bário, usado como contraste no exame trânsito intestinal.

Meio de contraste na Tomografia[editar | editar código-fonte]

Endovenoso a base de iodo, cuja densidade metálica permite não só dissociar vasos como demonstrar processos dinâmicos de funcionamento dos órgãos estudados.

Na avaliação do abdômen e pelve, deve haver opacificação do estômago e alças intestinais, através da ingestão de solução pouco concentrada do meio de contraste iodado.A diluição é necessária devida a alta sensibilidade do computador na detecção do meio de contraste.

As alças não opacificadas podem simular massas ou linfonodomegalias.

Em alguns casos, usa-se a opacificação da ampola retal via retrógrada.

Quando fazemos injeção endovenosa do meio de contraste, as lesões podem captar ou não o iodo.Baseados nesse fato, podemos classificar as lesões em:

  • lesão hipercaptante: lesão que capta muito o meio de contraste;
  • lesãohipocaptante: lesão que capta pouco o meio de contraste;
  • lesão não captante: lesão que não capta o meio de contraste;
  • lesão espontaneamente lisa: lesão de alta densidade sem a injeção do meio de contraste;
  • lesão isodensa: lesão que capta o meio de contraste e torna-se de igual densidade as estruturas vizinhas.

Meio de contraste na Radiografia[editar | editar código-fonte]

Além das densidades radiográficas, uma imagem se define pelo contraste radiológico.

Não podemos distinguir uma estrutura de outra se ambas possuirem a mesma densidade radiográfica.

É preciso que a estrutura seja delineada por um material de outra densidade contrastante para se tornar nítida.

Os meios de contraste artificiais a base de iodo e bário apresentam densidade metálica, por isso são radiopacos e são introduzidos por via oral, retal ou intravenosa.

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.