Melancolia (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Melancholia
Melancolia (PT/BR)
 Dinamarca
 Suécia
 França
 Alemanha

2011 • cor • 136 min 
Direção Lars Von Trier
Roteiro Lars Von Trier
Elenco Kirsten Dunst
Kiefer Sutherland
Charlotte Gainsbourg
Género Drama
ficção científica
suspense
Idioma inglês
Cinematografia Manuel Alberto Claro
Estúdio Zentropa
Distribuição Nordisk Film
Lançamento Dinamarca 26 de maio de 2011
Orçamento 52,5 milhões kr
Página no IMDb (em inglês)

Melancholia (título no Brasil e em Portugal, Melancolia) é um filme dinamarquês independente com referências de ficção científica escrito e dirigido por Lars von Trier que, em duas partes do filme, retrata o cotidiano de duas irmãs durante e após um casamento, fundamentando o enredo da trama.

A inspiração inicial para iniciar o filme, segundo o próprio von Trier, fora um episódio depressivo que tivera e posteriormente o conhecimento de quê pessoas depressivas permaneciam calmas sob efeitos catastróficos.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O filme retrata duas irmãs: Uma ainda noiva, Justine (Kirsten Dunst) e outra já mãe, Claire (Charlotte Gainsbourg), com o seu marido John (Kiefer Sutherland), nas suas relações familiares e interpessoais e na sua dimensão mental. Passa-se em duas partes, apelidadas ambas com os nomes das personagens (Parte um, Justine; Parte dois, Claire) a primeira apresentada em um cenário predominantemente palaciano, no casamento de Justine, que é aí o centro das atenções; na segunda parte, se fornece atenção ao "desmoronar" do mundo pessoal de Claire, acentuando o "clímax" do filme. Von Trier opta por iniciar o filme precisamente com o momento em que a Terra embate, sendo destruída por um planeta fictício. Explicou à imprensa que o fez precisamente porque queria deslocar a atenção do espectador do acontecimento em si para o cenário humano subjacente e a situação psicológica dos envolvidos na trama.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme é divido em duas partes, porém é iniciado por uma "fase introdutória" independente das duas partes, mais voltada para cenários artísticos em câmera lenta onde ocasionalmente as irmãs aparecem, rodeadas por elementos surrealistas ou simbolistas. Após esta fase, a primeira parte se inicia com Justine e Michael, seu noivo, dentro de um carro em direção ao casamento. Eventualmente, ao chegar ao local e encontrando parentes e amigos, todos observam o céu, e Justine se depara com a estrela Antares; pouco depois eles se dirigem para dentro da mansão. O casamento, ao decorrer do tempo, vai se mostrando um fiasco. Justine começa a se mostrar melancólica e desanimada, além de deixar de comparecer a vários dos eventos programados para a cerimônia; permanecendo, ora em uma banheira, ora no jardim, observando as estrelas, especificamente nesse momento, Justine nota que a estrela de Antares, a qual tinha avistado mais cedo, havia desaparecido. Estas ausências recorrentes e a evidente falta de interesse com o casamento e com o noivo em si causa um desconforto para Michael (o noivo) que, eventualmente, passa a desconsiderar que o casamento irá resultar em algo duradouro, e acaba deixando Justine ao amanhecer do outro dia, se despedindo da mesma.

Justine vai morar com sua irmã, Claire, juntamente com o marido da mesma e seu filho, principalmente por apresentar sintomas de depressão profunda cada vez mais severos, que até a impedem de tomar banho ou comer.

John, marido de Claire, explica que a estrela que Justine havia avistado, Antares, havia sido ofuscada por um planeta que vaga pelo espaço, chamado Melancolia. É revelado eventualmente que o Planeta chegaria bem próximo da Terra, mas seria empurrado de volta pela força gravitacional pelo planeta e seu campo magnético, um evento raro e estudado por vários físicos que confirmavam essa tese. Ainda assim, Claire se mostra insegura quanto a isso, e encontra na internet um documento que ilustra um suposto evento chamado "Dança da Morte entre a Terra e Melancolia", onde o planeta sairia a orbita da Terra, mas voltaria logo em seguida, colidindo com o a mesma. John tenta tranquilizar Claire, e tem sucesso, ainda mais quando apresenta a ela um suposto arame metálico, feito pelo filho pequeno dos dois, que se dispõe em forma de círculo e é colocado de frente aos olhos, em direção ao planeta Melancolia (que a essa altura já está visível no céu diurno ou noturno do filme), após isso, aguardar cinco minutos e verificar novamente, observando que o planeta estaria agora, distante. Após realizar com sucesso o procedimento, Claire se tranquiliza, mas não por muito tempo.

No outro dia, pela manhã, Claire repete o procedimento, e, cinco minutos depois, para sua surpresa, Melancolia está mais próximo; Claire se desespera e procura o marido pela casa, o encontrando morto no estábulo, provavelmente vítima de suicídio. A partir daí, Claire e Justine estabelecem um diálogo voltado para os afazeres anteriores ao choque do planeta, os quais são ridicularizados por Justine, que parece cada vez mais confortável com a ideia do fim do mundo.

Nos minutos finais do filme, os três (Justine, Claire e Léo, seu filho) se reúnem dentro de uma "cabana imaginária" construída por Justine, onde uma onda de fogo provocada pelo choque do planeta os atingem. A cena corta para a visão da Terra em choque com o planeta.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Foi uma produção maioritariamente dinamarquesa com co-produtores internacionais na Suécia, França, Alemanha e Itália; foi lançado em maio de 2011 no 64º Festival Internacional de Cannes, onde a atriz Kirsten Dunst recebeu o prêmio de Melhor Atriz pelo seu desempenho no longa.[2]

Referências culturais[editar | editar código-fonte]

O filme está carregado de referências culturais de grande importância histórica e filosófica [carece de fontes?]: Melancolia (o nome do planeta) advêm de um estado mental e filosófico muito estudado desde épocas remotas. Justine (o nome da noiva) é uma referência à "Justine", do Marquês de Sade; a música do filme é essencialmente "Tristão e Isolda", de Richard Wagner.[3] Essencialmente, o filme parece tratar de orgulho; tanto o orgulho do chefe de Justine, o de John em admitir que estava errado quanto ao planeta, e o de Claire em ser equilibrada, a trama parece girar, de forma intencional ou não, em torno dessa particularidade.

Crítica[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu críticas na sua maioria positivas. Também ficou associado a uma polêmica relativa ao suposto apoio por parte de von Trier ao regime Nazi alemão, na cerimonia de entrega dos prêmios de Cannes de 2011.[3] [4]

Recebeu o prêmio de melhor filme europeu de 2011, nos Prêmios do Cinema Europeu.[5]

A atriz Kirsten Dunst conquistou o prêmio de melhor atriz (Prix d'interprétation féminine) do 64º Festival de Cinema de Cannes.[6]

Referências

  1. Kirsten Dunst Has Melancholia Empire Bauer Media Group. Visitado em 16 de abril de 2010.
  2. Fil-Jensen, Lars (2010-06-22). Støtte til Caroline Mathildes år og Melancholia (em dinamarquês) dfi.dk Danish Film Institute. Visitado em 2 de março de 2011.
  3. a b Estadão. O mundo segundo duas irmãs. Visitado em 19 de outubro de 2012.
  4. Folha de São Paulo. Diretor Lars von Trier fica abalado com banimento de Cannes. Visitado em 19 de outubro de 2012.
  5. Folha de São Paulo. "Melancolia", de Lars Von Trier, é eleito melhor filme europeu em 2011. Visitado em 19 de outubro de 2012.
  6. O Globo. 'A árvore da vida', de Terrence Malick, conquista a Palma de Ouro em Cannes. Visitado em 19 de outubro de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.