Memorial da Paz de Hiroshima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Memorial da Paz de Hiroshima (Cúpula Genbaku) *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

A-bomb dome.jpg
Cidadãos de Hiroshima passam pelo Memorial em direcção a uma cerimónia (6 Ago 2004)
País Japão
Critérios C (iv)
Referência 775
Coordenadas 34º 23' N 132º 27' E
Histórico de inscrição
Inscrição 1996  (20ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

O Memorial da Paz de Hiroshima, chamado Cúpula Genbaku (原爆ドーム) ou Cúpula da Bomba Atómica pelos japoneses, localiza-se em Hiroshima, Japão.

O edifício foi originalmente projectado pelo arquitecto tcheco Jan Letzel. Foi terminado em Abril de 1915, e intitulado Exposição Comercial da Prefeitura de Hiroshima (HMI). Foi inaugurado oficialmente em Agosto do mesmo ano.

Bombardeio atómico[editar | editar código-fonte]

O hipocentro da explosão atómica de 6 de Agosto de 1945 situou-se apenas a 150 metros de distância do edifício, que foi a estrutura mais próxima a resistir ao impacto.

A Cúpula Genbaku deveria ter sido demolida com o restante das ruínas, mas o fato de ter ficado praticamente intacta adiou os planos. Enquanto a cidade era reconstruída em torno do domo, sua permanência tornou-se motivo de controvérsia; alguns moradores queriam sua destruição, enquanto outros preferiam que a estrutura fosse preservada como um memorial do bombardeio.[1]

Em 1966, Hiroshima declarou a intenção de preservar a agora chamada "Cúpula da Bomba Atómica" de forma definitiva. Trinta anos depois, em dezembro de 1996, a construção foi registrada como Património Mundial da UNESCO, baseado na Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Cultural e Natural. A China apresentou objeções quanto à confirmação do memorial como Património Mundial, e o delegado dos Estados Unidos no Comitê da UNESCO decidiu abster-se da decisão. A China citou a possibilidade do monumento ser usado para minimizar a importância do fato de que os países vítimas do Japão durante a Segunda Guerra Mundial sofreram perdas muito maiores em número de mortos, enquanto os Estados Unidos declararam que instituir ali um memorial para um "local de guerra" seria omitir o contexto histórico necessário.[2]

Parque Memorial da Paz de Hiroshima[editar | editar código-fonte]

A Cúpula Genbaku insere-se no Parque Memorial da Paz de Hiroshima que contém diversos outros monumentos erguidos posteriormente:

  • Estátua das Crianças da Bomba Atómica, em memória das crianças que morreram vítimas da bomba e em homenagem à Sadako Sasaki.
  • Monte Memorial da Bomba Atómica, com as cinzas de 70 mil vítimas não identificadas
  • Cenotáfio das Vítimas Coreanas, em homenagem aos cerca de 20 mil coreanos mortos no bombardeamento
  • Cenotáfio Memorial, com a sua inscrição "Descansai em paz, pois o erro jamais se repetirá"
  • Chama da Paz, que permanecerá acesa até que a ameaça de aniquilação nuclear deixe o planeta Terra
  • Sino da Paz, que os visitantes podem soar em honra da paz mundial
  • Sala Nacional Memorial da Paz de Hiroshima, que inclui a Sala da Lembrança com uma reconstituição a 360º de Hiroshima após a bomba, formada por 140 mil ladrilhos (o número de vítimas até final de 1945)
  • Museu Memorial da Paz de Hiroshima
  • Portas da Paz, cinco portas de cinco metros de altura com a palavra "paz" escritas em diversas línguas
Vista de 180º do Parque Memorial da Paz de Hiroshima. A Cúpula Genbaku, que permaneceu em pé após os bombardeamentos, pode ser vista claramente no centro da imagem.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]