Menasseh ben Israel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Menasseh ben Israel, 1642

Menasseh ben Israel, nascido em 1604 na Madeira (Portugal) com o nome de Manuel Dias Soeiro, falecido em Middelburg, Países Baixos, em 20 de Novembro de 1657, foi um líder religioso da comunidade judaica de Amesterdão, fundador da primeira impressora portuguesa naquela cidade e incentivador da moderna comunidade judaica na Inglaterra. Foi o primeiro rabino português formado em Amsterdão.

Notas biográficas[editar | editar código-fonte]

Infância em Portugal[editar | editar código-fonte]

Menasseh, então Manuel Soeiro, pertencia a uma família de religião judaica portuguesa que, como tantas outras, foi obrigada a converter-se ao cristianismo. A perseguição religiosa em Portugal no século XVII era intensa. Os cristãos-novos (judeus convertido ao Cristianismo) eram vítimas da segregação e estavam sob a observação das autoridades religiosas e à mercê da Inquisição. Cristãos-novos que mantivessem a fé judaica eram submetidos a castigos severos.

Após a suspeita de judaísmo ter recaido sobre o pai de Manuel, a família decide deixar Portugal e emigrar ao norte da Europa, assentando-se em Amesterdão.

Amesterdão[editar | editar código-fonte]

Túmulo de Menasseh no cemitério israelita português de Beth Haim, nos arredores de Amesterdão

Manuel, ainda uma criança, chega a Amesterdão com a família em 1610. A Holanda, em guerra com a Espanha, (a guerra dos oitenta anos 1568-1648) é um país tolerante. Judeus são aceites e integram-se sem grandes dificuldades. A chegada da família, em 1610, foi possível devido a uma trégua mediada pela França e Inglaterra em Haia. Manuel adoptou o seu novo nome hebraico menasseh. Frequentou a escola, tendo sido um aluno brilhante. Tornou-se rabino e um intelectual respeitado, autor de várias obras para a primeira editora hebraica na Holanda. Casou com uma descendente do ilustre Isaac Abravanel. Foi amigo pessoal de Rembrandt, que lhe pintou um retrato.

O rabino Menasseh tornou-se particularmente conhecido por ter pedido a Oliver Cromwell e ao Parlamento Britânico que revertessem as decisões históricas de governantes anteriores e permitissem aos judeus que regressassem à Inglaterra (os judeus tinham sido expulsos em 1290, por Eduardo I de Inglaterra.

A sua petição foi bem sucedida e os judeus começaram gradualmente a estabelecer-se na Grã-Bretanha a partir de então. 200 anos depois, os judeus estavam perfeitamente integrados na sociedade britânica e havia mesmo um primeiro-ministro de religião judaica: Benjamin Disraeli.

O Rabi Menasseh faleceu em Middelburg na Holanda, no Outono de 1657, pouco depois do regresso de Inglaterra.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Menasseh ben Israel