Menino da Tábua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Antônio Marcelino (Maracaí, 1900? - Maracaí, 18 de junho de 1945), conhecido como o Menino da Tábua, é uma personalidade religiosa de devoção popular brasileira, cultuada informalmente pela realização de supostos milagres.1 .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Marcelino, segundo os relatos, foi um bebê prematuro, tendo nascido de sete meses2 .

Vítima de uma doença que o impedia de andar e restringia seu crescimento, passou a maior parte da sua vida deitado sobre uma tábua de lavar roupa. Para se alimentar consumia apenas leite e água, não gostava de usar roupas e não deixava que forrassem sua tábua. Também se diz que nunca saía de casa e jamais viu a luz do sol.

Morreu no ano de 1945 e foi enterrado junto com sua tábua.

Devoção popular[editar | editar código-fonte]

Logo depois da morte de Marcelino, seu túmulo se tornou o destino de romeiros, que vinham pedir sua ajuda. Uma capela foi construída ao lado para abrigar ex-votos e agradecimentos pelos milagres a ele atribuídos. Foi instituída uma festa anual em sua homenagem3 .

Em 2011 a comemoração atraiu milhares de fieis. No mesmo ano, o deputado estadual Mauro Bragato (PSDB) apresentou projeto de lei declarando a cidade de Maracaí uma Estância Turística Religiosa e inclui a festa no calendário turístico de São Paulo4 .

Embora tenha morrido aos 45 anos, a imagem venerada pelos romeiros é a de uma criança.

Música[editar | editar código-fonte]

Parte da popularidade alcançada pelo culto se deve às canções gravadas pela dupla sertaneja Pardinho & Pardal.

Em 1978, eles gravaram Menino de Tábua. O sucesso levou à continuação Os milagres do Menino da Tábua, em 1981, com a participação de Tião Carreiro e Paraíso. A trilogia se encerrou com Capela do Menino de Tábua5 .

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]