Mercado Municipal de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Mercado Municipal de Curitiba é um mercado localizado na capital paranaense destinado a venda de hortifrutigranjeiros e uma variedade de outros produtos nacionais e importados.

Lojas e restaurantes[editar | editar código-fonte]

Hoje o mercado abriga lojas que vendem desde carnes e peixes à picolés asiáticos, uma variedade de produtos tais como frutas, doces e chocolates, presentes e artesanato, produtos orgânicos, entre outros. Andando pelos corredores do mercado se percebe a vida cosmopolita da cidade, principalmente a influência oriental e européia. O segundo andar contém vários restaurantes que trazem desde comidas típicas brasileiras à alimentos de preparação asiática.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro mercado público da cidade de Curitiba surgiu em 1864 no antigo Largo da Ponte (atual Praça Zacarias)1 em um imóvel de propriedade do governo da província do Paraná e localizado numa construção ao lado do Rio do Ivo. O mercado era popularmente chamado de Mercado dos Quartinhos2 . Em 1869 o governo requisitou a desocupação do imóvel e assim o mercado desapareceu por quatro anos até que em 1873, no dia do aniversário de emancipação do Paraná (19 de dezembro), foi lançada a pedra fundamental para a construção no novo “Mercado”, agora localizado no Largo da Cadeia (atual Praça Generoso Marques)3 . Em 11 de outubro de 1874 foi inaugurado o novo Mercado Municipal de Curitiba. Em 1890 o Largo da Cadeia é rebatizado para Largo do Mercado.

Em 1912 o Mercado Municipal foi fechado (demolido em 1914) para dar lugar ao Paço Municipal e assim o mercado é transferido, provisoriamente, para o Largo da Nogueira (atual Praça 19 de Dezembro). Em 1915, nova transferência, agora para um imóvel em estilo Chalet, no Batel. Este imóvel ficava onde é hoje a Praça Theodoro Bayma. Neste endereço o Mercado Municipal ficou até 1937, quando foi demolido e novamente os curitibanos ficaram sem um entreposto fixo para a compra de víveres.

Com a execução do projeto Agache, é planejado para a cidade um lugar específico para o Mercado Municipal, porém, a execução não saiu do papel e neste meio tempo a prefeitura regulamentou as feiras livres e assim os hortifrutigranjeiros percorriam os bairros da capital para a venda dos seus produtos. Cada dia da semana era em uma diferente região.

Ney Amintas de Barros Braga é eleito prefeito da cidade em 1954 e aprovou a Lei N° 1.136/1955 que determina a construção do "novo" Mercado Municipal de Curitiba e entre maio de 1956 e julho de 1958 o projeto do engenheiro Saul Raiz é executado em um terreno em frente às oficinas da antiga Rede Ferroviária (em frente à atual Rodoferroviária de Curitiba) e finalmente em 2 de agosto de 1958 ocorreu a inauguração, definitiva, do "Mercado"4 . Em 2010 houve uma reforma e ampliação do “Mercado”, no mesmo local que se encontra desde a sua reinauguração em 1958, ocupando toda a quadra entre a Avenida Sete de Setembro e a Avenida Presidente Affonso Camargo5 .

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. SGANZERLA, 2005, p14.
  2. Mercados & Cia Gazeta do Povo - Publicado em 08/09/2013 por CID DESTEFANI
  3. SGANZERLA, 2005, p118.
  4. SGANZERLA, 2005, p119.
  5. 2010 – Ampliação do Mercado Municipal de Curitiba Portal Parana-online — acessado em 6 de julho de 2010
  • Linha do Tempo Site do Mercado Municipal de Curitiba – acessado em 6 de julho de 2010

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SGANZERLA, Eduardo. Mercado Municipal de Curitiba.Curitiba: Ed. Esplendor; 2005, 148p