Mercado de trabalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Economia.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde Abril de 2008.

Mercado de trabalho relaciona aqueles que oferecem força de trabalho com aqueles que procuram-na, num sistema típico de mercado onde se negocia a fim de determinar os preços e as quantidades a transaccionar. O seu estudo procura perceber e prever os fenómenos de interação entre estes dois grupos tendo em conta a situação económica e social do país, região ou cidade.

Lei da oferta e da procura[editar | editar código-fonte]

Talvez a característica mais marcante das relações económicas seja a lei da oferta e da procura. Via de regra, quanto maior for a oferta de um produto ou de um serviço, se a procura se mantiver a mesma, menor será o valor cobrado por ele, pois a concorrência de mercado obriga a redução dos preços para tornar viável as vendas. Por outro lado se a procura é maior do que a oferta, a tendência é que o valor cobrado pelo produto seja maior.

Em termos de profissões pode-se dizer que quando existe a formação de excesso de profissionais e falta de procura desses profissionais não há um equilíbrio entre a oferta e a procura e ocorre o que se chama uma saturação de mercado, em que não existem suficientes postos de trabalho para absorver os profissionais. Por outro lado pode acontecer que não exista oferta em excesso mas sim procura em falta. Este é um dos casos que acontece quando, por exemplo, a indústria progride e inova rapidamente. Deixa de haver procura de uma dada profissão ou qualificação que está sendo substituída pela procura de outra profissão ou qualificação em que ainda não há oferta suficiente, gerando desemprego que também está ligado com o aumento no numero de máquinas, que podem substituir a mão-de-obra. abc

Conceitos[editar | editar código-fonte]

População activa[editar | editar código-fonte]

É o conjunto de indivíduos com idade mínima de 15 anos (em Portugal) que constituem a mão-de-obra disponível para a produção de bens e serviços destinados ao circuito económico (inclui os empregados e desempregados).

População empregada[editar | editar código-fonte]

É o conjunto de população que produz trabalho em troca de benefícios na forma de dinheiro ou outro tipo de remuneração.

População desempregada[editar | editar código-fonte]

É o segmento da população activa que está privada involuntariamente de emprego e que o procura.

Taxa de desemprego[editar | editar código-fonte]

É a relação que existe entre o número de desempregados e de população activa.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]