Mesentério

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mesentério
Gray1038.png
Disposição horizontal do peritoneu, na parte inferior do abdómen. O mesentério está marcado em vermelho.
Gray1035.png
Disposição vertical do peritônio. Cavidade principal em vermelho, bolsa omental em azul.
Latim Mesenterium
MeSH Mesentery

O mesentério (do grego μεσεντέριον) é um ligamento em forma de leque que dá suporte ao jejuno e ao íleo. Faz parte do peritôneo, sendo formado por tecido conjuntivo denso extraperitoneal, vasos sanguíneos, nervos, vasos e gânglios linfáticos.Na fase embrionária o peritônio é divido em dois pelos mesentérios ventral e dorsal, mas o mesentério ventral gradualmente desaparece deixando apenas a parte caudal do intestino anterior. A fronteira intestinal do mesentério é de cerca de seis metros e meio de comprimento. [1]

Em pessoas corpulentos, o mesentério, assim como o omento, contém uma quantidade excessiva de gordura. Este aumento de peso do tecido mesentérico tende a alongá-lo irregularmente e, portanto, predispõe a uma hérnia.[2]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A raiz do mesentério é de cerca de 15 centímetros de comprimento, e é ligado à parede posterior da cavidade abdominal. A linha de fixação da raiz do mesentério é oblíqua. Estende-se do final do duodeno, próximo a borda inferior do pâncreas até o lado esquerdo da segunda vértebra lombar, para a base do ceco, o qual é na fossa ilíaca direita , perto da articulação sacro-ilíaca direita.[2]

Mesentério Dorsal do Esôfago[editar | editar código-fonte]

No esôfago ocorre a fusão do mesentério dorsal com o septo transverso e as membranas pleuroperitoneais. No mesentério dorsal do esôfago crescem os mioblastos se desenvolve em Crura do Diafragma, que é um par de feixes musculares divergentes em formas de pernas que cruzam o plano mediano em posição anterior à aorta.[3]

Mesentério do Estômago[editar | editar código-fonte]

Mesogástrio dorsal primitivo é a parte que une o estomago e o duodeno ao fígado e à parede ventral da cavidade abdominal.

Mesentério ventral[editar | editar código-fonte]

O mesentério delgado ventral origina duas estruturas:

  • O omento menor, que divide-se em ligamento hepatogástrico (estende-se do fígado à pequena curvatura do estomago) e ligamento hepatoduodenal ( porção do fígado ao duodeno).
  • O ligamento falsiforme que compreende a região do fígado à parede abdominal ventral.

Irrigação[editar | editar código-fonte]

Artéria Mesentérica Inferior

Entre os dois folhetos peritoneais passam, dentro de uma camada de gordura, os elementos que chegam ou partem do intestino delgado: como a artéria mesentérica superior que origina-se da parte abdominal da aorta descendente e se ramifica em artérias jejunais e ileais. Esta é responsável por irrigar todo o intestino delgado, exceto a parte superior do duodeno; também irriga o cécum, colo ascendente e uma porção do colo transverso; a veia mesentérica superior este vaso drena o íleo e o jejuno. A veia mesentérica superior e a veia esplênica sofrem anastomose e dão origem a veia porta hepática; e a veia mesentérica inferior e os seus ramos. [4]

Vasos e Gânglios Linfáticos[editar | editar código-fonte]

Linfonodos do Cécum e Apêndice Vermiforme
Linfonodos do Intestino Grosso

A principal divisão da porção linfática superior do mesentério é em Glândulas Mesentérica, Glândulas Ileocólicas e Glândulas Mesocólicas. A parte inferior é constituída por pequenas glândulas de artérias nos ramos cólicos esquerdo e sigmoide; e um grupo do mesocolo sigmoide.[5] Os vasos linfáticos especializados nas vilosidades intestinais que absorvem gordura são denominados lactíferos devido a aparência esbranquiçada do fluido que contem durante a digestão intestinal. A linfa atravessa no mesentério sequencialmente três tipos de linfonodos que são, os linfonodos juntaintestinais, linfonodos mesentéricos e linfonodos centrais superiores.

Inervação[editar | editar código-fonte]

No plexo nervoso mesentérico superior passam as fibras simpáticas do jejuno e íleo. As fibras simpáticas pré-ganglionares fazem sinapse nos corpos celulares dos neurônios simpáticos pós-ganglionares, gânglios celíacos e mesentérico superior. As fibras parassimpáticas nos nervos para o jejuno e íleo provêm dos troncos vagais posteriores. As fibras parassimpáticas pré-ganglionares fazem sinapse com os neurônios parassimpáticos pós-ganglionares nos plexos mioentérico e submucoso na parede intestinal.

A estimulação simpática é responsável pela redução da ação peristáltica e secretora do intestino e atua como um vasoconstrictor, reduzindo ou interrompendo a digestão e disponibilizando sangue para "fugir ou lutar". Enquanto que o estimulo parassimpático aumenta a atividade peristáltica e secretora do intestino, restaurando o processo de digestão após uma reação simpática. Apesar de possuir fibras sensitivas o intestino delgado é insensível á maioria dos estímulos dolorosos, por exemplo incisão e queimadura; entretanto é sensível à distensão que é percebida como cólica. [4]

Patologias do Mesentério[editar | editar código-fonte]

  • Linfangioma Cístico
  • Mesotelioma Cístico
  • Pseudocisto Pancreático
  • Cisto Hidático
  • GIST (Gastrointestinal Stromal Tumor) Tumor Estromal Gastrointestinal.


Referências

  1. Qual a função do mesentério. Visitado em 10 de fevereiro de 2013.
  2. a b http://www.anatomyexpert.com/structure_detail/4820/1337/
  3. [Embriologia Básica]
  4. a b [Anatomia Orientada para a Clínica]
  5. [Anatomy of the Human Body| Anatomia do Corpo humano]
Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.