Metáfrase

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Metáfrase é um termo do campo da tradução que se refere a tradução literal, ou seja, tradução palavra a palavra e linha a linha[1] . No seu uso comum, metáfrase significa literalismo. Porém, metáfrase significa também a tradução de poesia para prosa[2] . Ao contrário da paráfrase, que tem um uso comum em teoria da literatura, metáfrase tem apenas uso em teoria da tradução.[3]

A metáfrase é, juntamente com a paráfrase e a imitação, uma das três formas de transferência,[4] de acordo com John Dryden. Dryden considera a paráfrase preferível à metáfrase (na sua acepção de tradução literal) e à imitação.

O termo metáfrase é pela primeira vez usado por Fílon de Alexandria (20 a.C.) na sua obra De vita mosis.[5] Quintiliano distingue metáfrase de paráfrase na medida em que a metáfrase altera uma palavra e a paráfrase altera uma expressão; esta distinção é também defendida pelos eruditos renascentistas[6]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Ovid's Epistles, Preface by John Dryden, London: Jacob Tonson, 1681, cited in Mona Baker, Kirsten Malmkjær, Routledge encyclopedia of translation studies, Routledge, 1998, ISBN 0415093805, p. 153
  2. Andrew Dousa Hepburn, Manual of English Rhetoric, BiblioBazaar, LLC, 2008, ISBN 0559762321, p.18
  3. Baker, Malmkjær, p. 154
  4. Baker, Malmkjær, p. 153
  5. Baker, Malmkjær, p. 153
  6. Baker, Malmkjær, p. 154
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.