Meteorito Hoba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O meteorito Hoba em 2006.

O meteorito Hoba[1] (também conhecido como Hoba West) é um meteorito que pode ser visto na fazenda de "Hoba West", próximo de Grootfontein, na região de Otjozondjupa na Namíbia. Foi posto a descoberto, mas devido à sua grande massa, nunca foi movido do local onde caíu. Estima-se que a massa principal pese cerca de 60 toneladas, e é o maior meteorito conhecido (num único fragmento) e o mais maciço objeto de ferro de ocorrência natural que se conhece à superfície da Terra.

A queda[editar | editar código-fonte]

Pensa-se que o meteorito Hoba tenha caído há menos de 80 000 anos. Inferiu.se que a atmosfera terrestre abrandou o objeto até ao ponto em que caíu na superfície com velocidade terminal, permanecendo assim intacto e causando pouca escavação. O meteorito é incomum pelo facto de ser plano em ambas as superfícies principais, o que possivelmente fez com que ricocheteara através da atmosfera superior de igual modo que uma pedra plana ricocheteia na água.

Descoberta[editar | editar código-fonte]

O meteorito Hoba antes da construção dos degraus circulares.

O meteorito Hoba não deixou uma cratera de impacto preservada e a sua descoberta foi fruto do acaso. Diz-se que o proprietário do terreno terá encontrado o objeto enquanto lavrava os seus campos. Durante este trabalho, o fazendeiro ouviu um ruído de metal a ser arranhado, antes do arado ter ficado preso. O meteorito foi escavado pouco tempo depois e identificado por Jacobus Hermanus Brits, cujo relatório foi publicado em 1920. Este relatório pode ser visto no Museu de Grootfontein.

Descrição e composição[editar | editar código-fonte]

O meteorito Hoba é um corpo metálico com forma tablóide, medindo 2,7x2,7x0,9 m3. Em 1920 a sua massa foi estimada em 66 toneladas. A erosão, amostragem científica e o vandalismo reduziram a sua massa ao longo dos anos. Estima-se que a sua massa atual seja de aproximadamente 60 toneladas. A sua composição é de aproximadamente 84% ferro e 16% níquel, com vestígios de cobalto. É classificado como um siderito ataxítico pertencente à classe química IVB, rica em níquel. Devido ao intemperismo a superfície está coberta por uma crosta de hidróxidos de ferro.

História moderna[editar | editar código-fonte]

O meteorito Hoba em 1967.

Numa tentativa de controlar o vandalismo, o governo da Namíbia (então África do Sudoeste), declarou o meteorito Hoba como Monumento Nacional em 15 de Março de 1955, com a permissão da Sra. O. Scheel então proprietária do terreno[2] . Em 1985, a empresa Rossing Uranium Ltd. disponibilizou fundos e meios ao governo namibiano para melhorar a proteção contra o vandalismo. Em 1987, J. Engelbrecht, o proprietário da fazenda "Hoba West" doou o meteorito e o local onde se encontra ao Estado para fins "educativos". Mais tarde nesse ano, o governo abriu um centro turístico no local. Como resultado deste desenvolvimentos, o vandalismo do meteorito cessou e este é agora visitado por milhares de turistas por ano.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Meteoritical Bulletin Database: Hoba
  2. Geochimica Et Cosmochimica Acta, Geochemical Society. Pergamon Press, 1967. page 1470
  • Universe: The Definitive Visual Dictionary, Robert Dinwiddie, DK Adult Publishing, (2005), pg. 223.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Meteorito Hoba


Ligações externas[editar | editar código-fonte]