Metrô do Recife

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Superintendência de Trens Urbanos do Recife S.A.
Estação do Metrô do Recife 2.jpg
Informações
Local Recife,Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Camaragibe, Pernambuco
 Brasil
Tipo de transporte Ferroviário (metropolitano)
Número de linhas 4 (Centro 1, Centro 2, Sul, VLT do Recife)
Sede Recife
Dados técnicos
Extensão do sistema 71,0 km (39,5 Linhas Centro 1, Centro 2 e Sul + 31,5 VLT do Recife)
Mapa da rede

Recife metro geografic map.png

O Metrô do Recife é o sistema de trens metropolitanos da Região Metropolitana do Recife, estado de Pernambuco, Brasil. É operado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em parceria com a autarquia Metrorec.

Compõe-se atualmente (2014) de vinte e nove estações, com linhas que somam 71 quilômetros de extensão, transportando cerca de 350 mil usuários por dia, sendo a maior parte da demanda concentrada na linha centro, embora a linha sul esteja com demanda crescente, resultado do aumento da quantidade de trens em funcionamento e inaugurações de novos terminais de ônibus integrados ao metrô.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Governo Federal, através do Ministério dos Transportes criou em setembro de 1982, o consórcio Metrorec, constituído pela Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) e pela Empresa Brasileira de Transportes Urbanos, hoje extinta. A construção do Metrô foi iniciada em janeiro de 1983.

Em fevereiro de 1984 foi criada no Rio de Janeiro a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O Metrorec integrou-se a ela em janeiro de 1985.

Em março de 1985, teve início a circulação dos primeiros trens com passageiros. A partir de então, o METROREC passou por várias modificações, a mais significativa ocorreu em janeiro de 1988, quando a CBTU, através da Superintendência do Recife, absorveu os trens de subúrbio da RFFSA em Maceió (Alagoas), João Pessoa (Paraíba), Natal (Rio Grande do Norte) e Recife.

Em janeiro de 1995, os trens de subúrbio de Maceió, João Pessoa e Natal foram desvinculados da Superintendência do Recife e passaram a ser subordinados diretamente à Administração Central da CBTU, no Rio de Janeiro.

Em 1998 foram iniciadas as obras de expansão do Metrô do Recife, compreendendo a eletrificação de 14,3 km da Linha Sul, entre as Estações Recife e Cajueiro Seco e o prolongamento da Linha Centro, a partir da Estação Rodoviária até Camaragibe, trecho já inaugurado em dezembro de 2002. Entre 2004 e 2009 foram inaugurados trechos da linha sul, que já terminou a sua expansão.

Desde o início de 2013, após um investimento de cerca de 100 milhões de reais, a antiga Linha Diesel/Trens Diesel, que vai do Cabo de Santo Agostinho até a estação Cajueiro Seco, passou a operar com VLT, beneficiando cerca de 35 mil passageiros. Todos os vagões são equipados com ar condicionado e GPS.[2] O Trecho entre a estação Cajueiro Seco e a estação Curado também recebeu um VLT. Existe um plano de prolongar o VLT até a estação Rodoviária, onde se localiza o Terminal de ônibus da Cidade do Recife. Em março de 2013 começaram a operar os dois primeiros dos novos trens comprados para aumentar a frota da linha sul. Desde então, novos trens chegam todos os meses.

Em 8 de junho de 2013, a estação Cosme e Damião, na Linha Centro, foi inaugurada, facilitando o transporte dos torcedores até a Arena Pernambuco. A estação está localizada entre as estações Rodoviária e Camaragibe, na cidade do Recife, próximo da divisa com a cidade de São Lourenço da Mata.

Características do sistema[editar | editar código-fonte]

Mapa esquemático do Metrô do Recife, com as estações representadas por pictogramas.

O Metrô do Recife é formado por duas linhas distintas, a Linha Centro (Linha Centro 1 e a Linha Centro 2) e Linha Sul. Ainda a partir de 1988 também passou a administrar a antiga Linha Cajueiro Seco–Cabo que era operada por locomotivas.

Os trens da Linha Centro, que partem da Estação Recife, possuem dois destinos distintos: a estação de Camaragibe e a de Jaboatão. Isso acontece devido ao fato de as linhas Centro - 1 (Camaragibe) e Centro - 2 (Jaboatão) compartilharem a mesma via e estações no trecho entre as estações Recife e Coqueiral, graças ao traçado da antiga ferrovia onde o metrô foi construído.

Nas Linhas da Metrorec a distância média entre as estações é de 1,2 km, com os trens seguindo a uma velocidade média de 40 km/h, podendo chegar a 80 km/h. A bitola é 1600 mm e a alimentação dos trens é feita por catenárias aéreas. Na Linha Diesel a distância média entre as estações é de 4 km, a velocidade comercial dos trens é de 31,5 km/h, a bitola é métrica e os trens utilizados possuem tração a diesel.

O sistema possuía um total de 25,2 km de extensão e, após a conclusão da expansão de sua rede—expansão esta que se deu de fevereiro de 2005 até março de 2009--, chegou aos atuais 39,5 km.[3] A estes foram adicionados os 31,5 km da linha Diesel, totalizando 71 km.

Devido à significativa taxa de analfabetismo na região (aproximadamente 10,55% de acordo com o censo de 2000 do IBGE — ver fonte), as estações foram desenhadas de modo a incluir várias formas de identificação. Além do serviço de alto-falantes dentro dos trens anunciando o nome da parada, cada uma destas tem uma cor diferente para as paredes de suas plataformas, e, em todas as placas indicativas e mapas das linhas, o nome de cada estação acompanha sempre um símbolo individualizado, também chamado pictograma. O uso de tais pictogramas já era aplicado no Metrô da Cidade do México, iniciado em 1967 (ver página oficial).

No quesito acessibilidade, as estações possuem rampas de acesso a cadeirantes e algumas dispõem de escadas rolantes (como as estação Recife, Joana Bezerra, Camaragibe e todas as estações da linha Sul) e elevadores (nas mesmas estações). O já citado serviço de alto-falantes dentro dos trens também serve aos deficientes visuais.

Mapa

O Metrorec também conta com várias linhas de ônibus interligadas a quinze terminais de integração ônibus/metrô do S.E.I., localizados nas estações Recife (em ampliação) e Joana Bezerra (em ampliação), nas linhas Centro e Sul; Afogados, Santa Luzia (em construção), Barro (Em Ampliação), Cavaleiro, Jaboatão, Rodoviária, Cosme e Damião (em construção) e Camaragibe, na linha Centro; Largo da Paz (em construção), Aeroporto, Tancredo Neves, Prazeres (em construção) e Cajueiro Seco, na linha Sul.[4]

Os novos terminais nas estações de Santa Luzia e Cosme e Damião, na linha Centro, e Largo da Paz e Prazeres, na linha Sul, têm conclusão prevista para antes da Copa do mundo de 2014.

O terminal na estação Cabo do Trem Diesel, embora seja citado nos mapas como parte do sistema férreo, fica a cerca de 500 metros de distância da estação; não foi divulgado ainda como será feita a ligação entre os dois.

Número de passageiros[editar | editar código-fonte]

Tabela de quantidade de passageiros (diariamente por viagem).
Ano Quantidade de pessoas (por dia)
1984 2.800 pessoas
1988 7.500 pessoas
1995 60.000 pessoas
2000 105.000 pessoas
2004 123.000 pessoas
2008 196.000 pessoas
2012 277.850 pessoas
2013 350.000* pessoas

(*) Estimativa.

Tabela do sistema[editar | editar código-fonte]

Dados das linhas[editar | editar código-fonte]

Linha Trajeto Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min) Funcionamento
Centro - 1 Recife ↔ Camaragibe 18,3* 15 28 Diariamente, das 5 às 23h
Centro - 2 Recife ↔ Jaboatão 16 14 26 Diariamente, das 5 às 23h
Centro - 1 + Centro - 2 Recife ↔ Camaragibe e Jaboatão 25,2 19 --- Diariamente, das 5 às 23h
Sul Recife ↔ Cajueiro Seco 14,3 12 22 Diariamente, das 5 às 23h
VLT (**) Cabo ↔ Curado 31,5 9 54 Segunda a sexta, das 5 às 20h (aos sábados, até as 14h)

(*) Comprimento aproximado, obtido a partir da medição em escala de um mapa • (**) Antiga Linha Diesel que passou a operar com VLT em implantação gradual

Por trecho (com cronologia)[editar | editar código-fonte]

Linha Trecho Inauguração Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min)
Centro - 1 e 2 Recife ↔ Werneck 11 de março de 1985 --- 7 12
Centro - 1 e 2 Werneck ↔ Coqueiral 8 de agosto de 1986 --- 4 6
Centro - 1 Coqueiral ↔ Rodoviária 24 de setembro de 1986 --- 4 6
Centro - 1 Rodoviária ↔ Camaragibe 26 de dezembro de 2002 --- 2 4
Centro - 2 Coqueiral ↔ Jaboatão 29 de agosto de 1987 6,9 5 8
Sul Recife ↔ Imbiribeira 28 de fevereiro de 2005 --- 4 6
Sul Imbiribeira ↔ Shopping 28 de março de 2009 --- 3 4
Sul Shopping ↔ Tancredo Neves 1 de fevereiro de 2010 --- 2 2
Sul Tancredo Neves ↔ Cajueiro Seco 29 de agosto de 2010 --- 6 10
Trem Diesel Cinco Pontas ↔ Cabo A partir de 1988 --- --- 54
VLT Curado ↔ Cabo 14 de julho de 1999*** 31,5 9** 54

(*) A Estação Cosme e Damião fica entre duas estações existentes anteriormente, construída para a ligação da Cidade do Recife a Cidade da Copa, onde está localizada a Arena Pernambuco

(**) A Estação Cajueiro Seco, da linha Sul do metrô, passou a fazer parte também da Linha Diesel, entre as estações Ângelo de Souza e Marcos Freire

(***) Data da desativação do trecho Cinco Pontas ↔ Ângelo de Sousa - mais tarde transformado na nova Linha Sul - e da inauguração do trecho Curado ↔ Ângelo de Sousa

Por estação (com cronologia)[editar | editar código-fonte]

Algumas estações foram inauguradas posteriormente aos trechos que estão inseridos, como é o caso das estações abaixo.

Linha Estação Inauguração Trecho a que pertence Inauguração do trecho a que pertence
Centro - 1 e 2 Estação Barro 30 de janeiro de 1987 Werneck ↔ Coqueiral 8 de agosto de 1986
Centro - 1 Estação Alto do Céu 11 de março de 1987 Coqueiral ↔ Rodoviária 24 de setembro de 1986
Centro - 1 Estação Curado 27 de maio de 1988 Coqueiral ↔ Rodoviária 24 de setembro de 1986
Centro - 2 Estação Engenho Velho 17 de junho de 1988 Coqueiral ↔ Jaboatão 29 de agosto de 1987
Centro - 1 Estação Cosme e Damião 8 de junho de 2013 Rodoviária ↔ Camaragibe 26 de dezembro de 2002

Linhas e estações do sistema[editar | editar código-fonte]

Frota[editar | editar código-fonte]

Modelo/Série Potência (kW) Fabricante Origem Ano de fabricação Frota ativa Frota inativa Frota total TUEs Frota total carros
800 2208 Santa Matilde / MAN AG Brasil / Alemanha 1984/85 25 0 25 100
Modelo/Série Potência (hp) Fabricante Origem Ano de fabricação Frota ativa Frota inativa Frota total locomotivas Frota total carros
ALCO RS-8 1050 American Locomotive Company EUA 1959 0 4 4 16
Modelo/Série Potência (hp) Fabricante Origem Ano de fabricação Frota ativa Frota inativa Frota total TUDHs Frota total carros
Mobile 3 500 Bom Sinal / VOITH GmbH Brasil / Alemanha 2012/2013 4 3 7 21
Modelo/Série Potência (Kw) Fabricante Origem Ano de fabricação Frota ativa Frota inativa Frota total TUEs Frota total carros
9000 3120 CAF Brasil / Espanha 2012/2013 9 4 15 60

Projetos[editar | editar código-fonte]

Em março de 2007, o Governo Federal disponibilizou recursos que estão sendo empregados na aquisição de novos equipamentos. Entre eles, a compra de novas composições para o trecho entre as estações Cajueiro Seco e Cabo da Linha Curado–Cajueiro Seco que foi remodelada e está recebendo novas composições do tipo VLT.

As composições que compõem as linhas Sul e Centro foram reformadas por um consórcio liderado pela Siemens Transportation Systems.[5]

A frota do Metrô do Recife está sendo ampliada em 15 TUEs (60 carros) fabricados pela

CAF.[6]

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Imagens de satélite[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [1]
  2. [2]
  3. [3]
  4. [4]
  5. [5]
  6. Notícias da Revista Ferroviária. CAF é habilitada para fornecer 15 TUEs do Recife. Visitado em Novembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Metrô do Recife