Michael Hardwick

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Michael Hardwick (23 de fevereiro de 195413 de junho de 1991) foi réu no caso Bowers v. Hardwick, na Suprema Corte dos Estados Unidos da América.

Em 1986, Michael Hardwick foi preso praticando sexo oral com outro homem dentro de sua própria casa, descoberto por um oficial da polícia que estava cumprindo um mandado judicial a respeito de uma multa por ele ter bebido em público.

Segundo as leis da Georgia, sodomia era um delito grave, que sujeitava o infrator a uma pena de até 20 anos de prisão.

Hardwick processou o Estado, desafiando a constitucionalidade da lei que criminalizava a sodomia. Porém, por cinco votos contra quatro, Hardwick perdeu o processo. Afinal, segundo um dos juízes da Suprema Corte, até 1961 todos os 50 estados norte-americanos consideravam ilegal a prática da sodomia e, na data do julgamento, 24 estados ainda consideravam tal prática proibida.

Hardwick morreu em 1991 devido a complicações advindas da AIDS.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]