Michael Palin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Michael Palin
Nome completo Michael Edward Palin
Nascimento 5 de Maio de 1943 (71 anos)
Sheffield, South Yorkshire
 Inglaterra


Michael Edward Palin, CBE (Sheffield, South Yorkshire, 5 de Maio de 1943) é um comediante, actor, escritor e apresentador de televisão inglês, mais conhecido por ser um dos membros do grupo de comédia Monty Python e pelos seus documentários de viagens.

Palin escreveu a maioria do seu material com Terry Jones. Antes dos Monty Python, tinham trabalhado noutros programas como The Ken Dodd Show, The Frost Report e Do Not Adjust Your Set. Palin apareceu em alguns dos sketches mais famosos dos Monty Python, incluindo "Dead Parrot", "The Lumberjack Song", "The Spanish Inquisition" e "Spam". Palin continuou a trabalhar com Jones e escreveu com este a série Ripping Yarns. Também apareceu em vários filmes realizados pelo amigo dos Monty Python, Terry Gilliam e teve participações notáveis em filmes como A Fish Called Wanda (Um Peixe Chamado Wanda), pelo qual venceu um BAFTA.

Depois dos Monty Python, começou uma nova carreira como um escritor de viagens. As suas jornadas levaram-no a todo o mundo, os pólos Norte e Sul, o deserto do Saara, os Himalaias e, à Europa de Leste. Em 2000 Palin tornou-se Comandante da Ordem do Império Britânico pelos seus serviços prestados à televisão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Palin é filho de Mary Rachel Lockhart e Edward Moreton Palin. O seu pai era um engenheiro que trabalhava numa firma de papel higiénico. Michael começou a sua educação na Birkdale Preparatory School em Shettffield e, mais tarde, foi para a Shrewsbury School. Quando tinha 5 anos, teve a sua primeira experiência como actor na Birkdale. O seu primeiro papel foi o de Martha Cratchit na peça A Christmas Carol, organizada pela sua escola. Aos 10 anos, o seu interesse pela representação aumentou, assim Palin escreveu um monólogo cómico e recitou uma peça de Shakespeare, onde fez todas as personagens, que apresentou à sua mãe. Depois dos seus dias de escola, Michael seguiu para a Brasenose College em Oxford em 1962, onde tirou o curso de História Moderna. Foi com o seu amigo Robert Hewison que escreveu e representou material humorístico pela primeira vez na festa de Natal da Universidade. Terry Jones, outro estudante da Universidade de Oxford, viu a actuação e começou a escrever com Palin e Hewison. Nesse mesmo ano Palin juntou-se à Brightside and Carbook Co-Operativa Society Players onde começou a ganhar fama quando venceu um prémio de melhor representação no Co-Op Drama Festival. Michael também trabalhou na Oxford Revue com Jones.

Em 1966, casou-se com Helen Gibbins, que conheceu em 1959 quando estava de férias em Southwold, Suffolk. O encontro foi mais tarde tornado numa obra de ficção com a peça East of Ipswitch, escrita por Michael. O casal teve três filhos e pelo menos um neto. Quando ainda era bebé, o seu filho do meio, William apareceu no filme Monty Python e o Cálice Sagrado como Sir Que Não Aparece Neste Filme.

Depois de terminar a universidade em 1965, Palin tornou-se o anfitrião de um programa de comédia pop chamado Now! para a estação Television Wales and the West. Ao mesmo tempo, Michael foi contratado por Terry Jones, que tinha deixado a Universidade um ano antes de terminar o curso, para o ajudar a escrever um documentário teatral sobre o sexo durante a História. Apesar de o projecto ter sido abandonado, fez com que Jones e Palin se tornassem numa esquipa de escrita e levou-os a escrever comédia para vários programas da BBC como The Ken Dodd Show, The Billy Cotton Bandshow e o The Illustrated Weekly Hudd. Eles também entraram nas equipas de escritores para o The Frost Report, onde conheceram os futuros colegas dos Monty Python Graham Chapman, John Cleese e Eric Idle. Apesar de se terem cruzado uns com os outros ao longo dos anos, o The Frost Report representou a primeira vez que trabalharam juntos (à excepção de Terry Gilliam que, na altura, ainda se encontrava nos Estados Unidos). O programa também marcou uma mudança na escrita de Terry Jones e Michael Palin, uma vez que, pela primeira vez, tiveram de escrever em narrativa e não apenas conceber pequenos sketches.

Depois de The Frost Report, Palin e Jones trabalharam como actores e escritores no programa Twice a Fortnight e o bem-sucedido programa infantil Do Not Adjust Your Set, onde se juntaram a Eric Idle e David Jason. Terry Gilliam juntou-se ao programa por sugestão de John Cleese e fazia as animações. O próximo passo de Michael foi feito pela mão de John Cleese, que ansioso por trabalhar com ele pediu-lhe para se juntar ao seu programa How to Irritate People. Palin e Jones voltaram a reunir-se para The Complete and Utter History of Britain.

Nesta altura, Cleese contratou Michael para fazer um programa que mais tarde se tornaria o Monty Python's Flying Circus. Devido ao sucesso que Cleese e Chapman fizeram com os seus sketches em The Frost Report e em outros programas, a BBC ofereceu-lhes um programa, mas Cleese não queria que este fosse feito apenas por duas pessoas por várias razões, entre elas a alegada personalidade complicada de Chapman. Com o sucesso de Do Not Adjust Your Set, também foi oferecida uma série a Michael Palin, Terry Jones, Eric Idle e Terry Gilliam, e enquanto esta estava em produção, Palin aceitou a proposta de Cleese e levou os seus colegas Idle, Jones e Gilliam consigo. Diz-se que os Monty Python nasceram do desejo de Cleese de trabalhar com Palin, as suas circunstâncias juntaram o grupo.

Monty Python[editar | editar código-fonte]

Na série Monty Python’s Flying Circus, Palin representou vários papéis que foram do entusiasmo maníaco, (tal como o lenhador em The Lumberjck Song) à calma inabalável (como o vendedor em Dead Parrot, ou o proprietário da loja de queijos). A variedade de personagens de Palin também apresentava homens honestos que não se conseguiam sobrepor à autoridade de personagens representadas na sua maioria por John Cleese.

Palin escrevia com Terry Jones. Os seus sketches incluem The Lumberjack Song (A Canção do Lenhador) e Spam. Michael escreveu sozinho ou teve a ideia principal, como é o caso da Inquisição Espanhola onde foi criada a expressão “Ninguém espera a Inquisição Espanhola” (Nobody expects the Spanish Inquisition).

Estes sketches retratam situações do dia-a-dia: o homem comum numa sala de espera; um jantar fora, e introduzem um elemento inesperado: Cardiais da Inquisição Espanhola, um homem exageradamente obeso com o inesperado apelido de Creosote. A partir daqui Palin e Jones começam a elaborar um ambiente completamente novo, que passa do lógico à irracionalidade extrema.

Depois dos Monty Python[editar | editar código-fonte]

Após o final de Flying Circus em 1974, a equipa Palin\Jones trabalhou em Ripping Yarns, uma série de comédia que passou irregularmente durante 3 anos a partir de 1976. Os dois também colaboraram na peça Secrets da série da BBC Black and Blue em 1973. Palin também apareceu em All You Need Is Cash (1978) como Eric Manchester (baseado em Derek Taylor), o agente de imprensa dos The Rutles.

Em 1982, Palin escreveu e protagonizou o filme The Missionary, que também contou com a presença de Maggie Smith. No filme, Michael faz de Reverendo Charles Fortesque, que é trazido de volta de África para ajudar protistutas.

Também apareceu nos filmes Time Bandits, Jabberwocky e Brasil de Terry Gilliam. O seu papel de maior sucesso internacional, fora dos Monty Python, foi o de gago, quase assassino Ken Pile em Um Peixe Chamado Wanda (1988), papel que lhe valeu o BAFTA de Melhor Actor Secundário.

O grande sucesso do filme fez com que John Cleese voltasse a reunir o seu elenco principal quase 10 anos depois no filme Fierce Creatures.

Depois de filmar Fierce Creatures, Palin fez um documentário de viagens para a BBC. Quando regressou, um ano depois, descobriu que o final original de Fierce Creatures falhou nos testes e teve de voltar a ser filmado.

O último papel que Michael Palin representou num filme, até hoje, foi uma pequena participação em The Wind in the Willows, realizado e protagonizado por Terry Jones. Palin também apareceu no documentário do seu amigo John Cleese, The Human Face. Palin também trabalhou no filme You've Got Mail, com Tom Hanks e Meg Ryan, mas o seu papel foi cortado integralmente.

Nos anos que se seguiram aos Monty Python, Michael também mostrou a sua faceta de ator dramático. Em 1991, Palin escreveu, produziu e protagonizou o filme American Friends, baseado em eventos verídicos da vida do seu bisavô, Edward Palin. Nesse mesmo ano, Palin representou o papel do diretor de uma escola de crianças doentes mentais na série dramática G.B.H..

Michael também teve uma pequena participação na telenovela australiana Home and Away. A sua pequena participação consistia num surfista inglês com medo de tubarões que interrompe uma conversa entre duas outras personagens para lhes perguntar se há tubarões naquelas águas. A sua cena foi filmada quando se encontrava na Austrália a filmar o documentário de viagem, Full Circle.

Em 2008, surgiram rumores de que Michael estava em conversações com Terry Gilliam para interpretar o papel de D. Quixote em The Man Who Killed Don Quixote, substituindo Jean Rochefort que tinha o papel na primeira tentativa de Gilliam de realizar o filme em 2000. O filme vai contar com Johnny Depp e prevê-se que as gravações comecem em 2009.

Documentários de viagens[editar | editar código-fonte]

O primeiro documentário de viagens de Palin foi uma parte da série de BBC de 1980, Great Railway Journeys of the World, no qual Michael recordou humoristicamente o seu passatempo de infância de viajar de comboio. Viajou por todo o Reino Unido de comboio, desde Londres até a Kyle of Lochalsh, passando por Manchester, York, Edimburgo e Inverness.

Em 1994, Palin viajou pela Irlanda na série Derry to Kerry. A série segue a jornada de Michael para encontrar as raízes da sua família, ele tentou encontrar a linha de família da sua bisavó, Brita Gallagher, que emigrou da Irlanda 150 antes durante a Grande Fome Irlandesa (1845-1849) para procurar uma vida nova em Burlington, New Jersey.

A partir de 1989, Palin começou a apresentar várias séries de viagens para a BBC. Estes programas já foram transmitidos em todo o mundo e foram também lançados em VHS e, mais tarde, em DVD.

Os programas foram:

  • Michael Palin Around the World in 80 Days(1989): uma viagem que seguiu o mais próximo possível a do romance de Júlio Verne, sem recorrer a transportes aéreos.
  • Pole to Pole (1992): viagem desde o Pólo Norte até ao Polo Sul através da linha 30º E de longitude, andando o mais possível por terra.
  • Full Circle (1997): nesta viagem, Palin andou por todos os países banhados pelo Oceano Pacífico.
  • Michael Palin’s Hemmingway Adventure (1999): Palin seguiu os passos de Ernest Hamingway pelos Estados Unidos, Europa, África e Caraíbas.
  • Sahara with Michael Palin (2002): viagem pelo deserto do Sara.
  • Himalaya with Michael Palin (2004): viagem pela região do Himalaia.
  • Michael Palin’s New Europe (2007): viagem pelos países da Europa de Leste.
  • Brazil with Michael Palin (2012): viagem pelo Brasil.

Depois de cada viagem, Palin escreveu livros sobre as mesmas, onde revelou aspectos e informações que não foram incluídos nos programas. Cada livro é ilustrado com fotografias de Basil Pao.

Os programas de viagens de Michael são responsáveis pelo chamado “Efeito Palin”: as áreas do Mundo que visita, tornam-se repentinamente atracções turísticas populares. Por exemplo houve um aumento significativo da procura turística pelo Peru após Palin ter visitado Machu Picchu.

Royal Geographical Society[editar | editar código-fonte]

Michael Palin presidiu a prestigiada Royal Geographical Society entre 2009 e 2012[1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livros de viagem[editar | editar código-fonte]

  • Around the World in 80 Days (1989)
  • Pole to Pole(1992)
  • Full Circle (1997)
  • Michael Palin's Hemingway Adventure (1999)
  • Sahara (2002)
  • Himalaya (2004)
  • New Europe (2007)

Monty Python[editar | editar código-fonte]

  • The Pythons Autobiography by The Pythons (2003)
  • Diaries 1969-1979: The Python Years (2006)

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • Hemingway's chair (1995)
  • Bert Fegg's Nasty Book for Boys and Girls (1974)
  • Dr Fegg's Encyclopaedia of all world knowledge (1984)

Livros infantis[editar | editar código-fonte]

  • Small Harry and the Toothache Pills (1982)
  • Limerics or The Limerick Book (1985)
  • Cyril and the House of Commons (1986)
  • Cyril and the Dinner Party (1986)
  • The Mirrorstone (1986)

Peças[editar | editar código-fonte]

  • The Weekend (1994)

Referências

  1. People & Staff Royal Geographical Society. Acesso em 24 de junho de 2012