Michael Ventris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Michael George Francis Ventris (Wheathampstead, Hertfordshire, Inglaterra, 12 de julho de 1922 - Hatfield, Hertfordshire, Inglaterra, 6 de setembro de 1956) foi um arquitecto inglês interessado em línguas antigas que, juntamente com John Chadwick, foi responsável pela decifração da escrita Linear B. Ventris foi educado na Suíça e pertenceu à FAR (Força Aérea Real).

No início do século XX, o arqueólogo Sir Arthur Evans iniciou a escavação de Cnossos, um antigo assentamento na ilha de Creta. Aí, descobriu várias tabuinhas de argila contendo três escritas que ele apelidou de "lineares". A designação manteve-se para duas delas, hoje conhecidas por Linear A e Linear B, e a terceira ficou conhecida como pictográfica ou hieroglífica cretense. Evans passou muito tempo a tentar decifrar ambas as escritas, mas sem sucesso.

Parte da dificuldade derivou do próprio Evans - ele estava convencido que a Linear B era uma língua por ele chamada de minoica, não admitindo a possibilidade de ser uma língua helênica. Antes de decifrar o texto, Ventris manteve contato com vários outros pesquisadores, entre eles a doutora estadunidense Alice Kober, responsável pela classificação de alguns caracteres da Linear B. Após o processo de decifração, ficou claro que a língua subjacente era, na verdade, o grego. Isto levou a um grande progresso no conhecimento da Creta da Idade do Bronze: após o colapso da Civilização Minoica, a ilha fora ocupada por invasores micênicos.

Ventris faleceu em um acidente de automóvel.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.