Micrographia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Micrographia
Autor (es) Robert Hooke
Lançamento 1665

Micrographia é o título da obra escrita em 1665 pelo cientista inglês Robert Hooke[1] , que contém a descrição detalhada de cinquenta e sete observações realizadas com o microscópio que o próprio autor fabricou, e três observações telescópicas. A obra foi recebida com entusiasmo por uma parte da comunidade científica europeia. Hooke tinha 28 anos quando a escreveu. A obra foi uma oferta da Royal Society de Londres para impressionar positivamente o monarca inglês.

Estrutura da obra[editar | editar código-fonte]

A obra recolhe observações de todo o tipo de objetos cotidianos, estudados de maneira não sistemática, e ordenados segundo um critério de complexidade crescente, desde os objetos mais simples até aos mais complexos.

  1. Observações sobre objetos artificiais.
  2. Observações sobre elementos inertes: Neste grupo destacam-se as descrições de gelo e neve.
  3. Observações do mundo vegetal: Neste grupo destacam-se a descrição da cortiça, fósseis e carvão vegetal.
  4. Observações sobre o reino Animal: 26 descrições de animais e partes de animais, como os piolhos ou o olho composto da mosca.
  5. Três observações telescópicas.
Desenho de uma pulga, no livro Micrographia, de R.Hooke.

Interesse da obra[editar | editar código-fonte]

A obra foi escrita numa linguagem clara, humorística em alguns casos, e os desenhos apresentavam pela primeira vez, com uma qualidade artística apreciável, aspectos desconhecidos até então de factos de natureza microscópica. Mais importante foi o caminho que abriu para a utilização de instrumentos para descrições científicas da natureza e as novidades que trouxe em diversos campos. Nesta obra aparece pela primeira vez o termo célula, ao referir-se aos poros observados numa fina lâmina de cortiça, que faziam lembrar ao autor, as celas dos monges. Também descreveu pela primeira vez a estrutura do gelo, a neve e os cristais de urina. A interpretação sobre as observações microscópicas de fósseis, consideram-se como uma das primeiras proposições da teoria da evolução biológica. Neste livro também se encontra o primeiro registro da possibilidade de se produzir uma fibra têxtil artificial^3.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. Manuel Varela. Hooke, La ambición de una ciência sin limites. Ed. Nivola. Madrid Sept 2004.
  2. Hooke Robert. Micrografía y algunas descripciones fisiológicas de los cuerpos diminutos realizadas con cristales de aumento con observaciones y disquisiciones sobre ellas.Ed. Círculo de lectores, Barcelona 1995
  3. LEWIN Menachem; PEARCE Eli M. Handbook of fiber chemistry. 2nd rev. and expanded ed. New York : Marcel Dekker, 1998. xxiv, 1083p, il. (International fiber science and technology series, 15).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Micrographia

Referências

  1. Arron Wood, David Ellyard. In: New Holland Publishers. Who Discovered What When (em inglês). [S.l.: s.n.], 2005. ISBN 192165564X Visitado em 15 de Maio de 2014.