Microsoft Azure

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Out of date clock icon.svg
Este artigo ou seção pode conter informações desatualizadas.

Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes.

Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Windows Azure
Produção Microsoft
Família do SO Microsoft Windows
Estado Em desenvolvimento
Versão em teste 27 de outubro de 2008
Página oficial www.microsoft.com/azure/windowsazure.mspx

O Microsoft Azure é uma plataforma especial para execução de aplicativos e serviços, baseada nos conceitos da computação em nuvem. É um serviço totalmente hospedado e controlado pela Microsoft, o que difere das versões do Windows lançadas até hoje. Qualquer desenvolvedor cadastrado pode enviar seus aplicativos para o Azure e rodá-los diretamente através do serviço, que confere escalabilidade e economia de licenciamento. Portanto, o Microsoft Azure não é vendido para ambientes desktop, mobile ou servidores corporativos.

Foi apresentado para os desenvolvedores e para o público no dia 27 de outubro de 2008 durante a Conferência de Desenvolvedores Profissionais da Microsoft, ocorrida em Los Angeles e segundo estimativas da Microsoft, pode ser lançado comercialmente em 2013 com preço acessível (foi colocado em produção em 1 de Janeiro de 2010).

Podemos definir cloud computing ou computação em nuvem como uma combinação de grid computing com software como serviço (SaaS - Software as a Service). Do grid computing temos o poder de computação e alta escalabilidade oferecida para as aplicações, através de milhares de máquinas (hardware) disponíveis em datacenters de última geração. Do software como serviço temos a capacidade de contratar um serviço e pagar somente pelo uso. Essa característica de provisionamento dinâmico é muito interessante, permitindo a redução de custos operacionais, com uma configuração de infraestrutura realmente mais aderente às necessidades do nosso negócio.

Um elemento chave do modelo de cloud computing é a virtualização. Basicamente, quando contratamos mais ou menos poder de computação de uma de cloud estamos trabalhando com instâncias de máquinas virtuais, que irão suportar a execução de nossas aplicações na nuvem. Assim, teremos máquinas virtuais para computação de processos, para interfaces web, para armazenamento de imagens, para dados, etc.

O Microsoft Azure coordena a malha de hardware disponíveis em datacenters Microsoft, provisionando máquinas virtuais para a oferta de serviços online de alta escalabilidade e aplicações com provisionamento dinâmico. Essa malha é baseada em containeres, onde milhares de máquinas estão disponíveis para a infraestrutura Azure.

Além dos recursos de computação, armazenamento e administração oferecidos pelo Microsoft Azure, a plataforma também disponibiliza uma série de serviços para a construção de aplicações distribuídas, além da total integração com a solução on-premise (local) baseada em plataforma .NET. Entre os principais serviços da plataforma Windows Azure encontramos o SQL Azure Database (um banco de dados relacional na nuvem), o Azure AppFabric Platform (um barramento de serviços e controle de acesso na nuvem) além de uma API de gerenciamento e monitoração para aplicações colocadas na nuvem.

Podemos usar uma infraestrutura de nuvem conforme a necessidade, sempre que pensamos em alta escalabilidade via internet e redução de custos operacionais (com um ambiente onde pago apenas pelo uso). Porém, que aplicação vou colocar na nuvem?

Assim, cenários de carga “On/Off”, carga com “Crescimento Rápido”, carga com volume “Imprevisível” ou mesmo picos “Sazonais” de carga durante a operação do sistema são exemplos de demandas que são aderentes ao Windows Azure, devido sua capacidade de configuração dinâmica e elástica.

O Microsoft Azure entrou em produção em 1 de Janeiro de 2010 e sua fase comercial está no ar desde 1 de Fevereiro de 2010. Na primeira onda de lançamentos, 21 países foram atendidos.

Até meados de março de 2010, os seguintes datacenters estavam disponíveis para deployment de solução sobre o Microsoft Azure:

  • Europe: West Europe e North Europe
  • Asia Pacific: East Asia e Southeast Asia
  • North America: South Central US, North Central US, East US, West US

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Software é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.