Miguel II de Constantinopla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Miguel II de Constantinopla (em grego: Μιχαήλ Β΄ Κουρκούας), dito Curcuas (da prestigiosa família Curcuas) ou Oxeíta (do mosteiro de onde veio), foi o patriarca grego ortodoxo de Constantinopla entre julho de 1143 e março de 1146.

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

No início de 1143, o patriarca Leão Styppes e o imperador bizantino João II Comneno morreram num intervalo de poucos meses entre si, iniciando um período turbulento para a Igreja Bizantina[1] . Manuel I Comneno chegou em Constantinopla em 27 de junho de 1143 para assumir o poder[2] , mas, para ser coroado como Manuel I, ele precisava primeiro escolher um patriarca. O selecionado foi o abade do mosteiro de Oxeia, Miguel Curcuas[2] . Porém, a coroação não pode ser realizada até 28 de novembro de 1143 por que Miguel ameaçou renunciar por razões obscuras[2] .

Durante seu reinado, Miguel teve que lidar com o julgamento fortemente político de um monge chamado Niphon[2] . Em 22 de fevereiro de 1144, Miguel condenou-o por apoiar dois bispos capadócios que foram acusados de heresia e, posteriormente, condenados pela prática do bogomilismo[1] [2] . Isso fez com que os fieis ortodoxos - inclusive Miguel - fossem obrigados a cortar relações com ele[1] .

Miguel II renunciou em março de 1146 para retornar para o seu mosteiro em Oxeia[2] , provavelmente decepcionado com o imperador[1] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Miguel II de Constantinopla
(abdicou)

(1143-1146)
Precedido por: Cruz ortodoxa.png
Lista dos patriarcas grego ortodoxos de Constantinopla
Sucedido por:
Leão 109.º Cosme II


Referências

  1. a b c d Paul Magdalino. (2002). The Empire of Manuel I Komnenos, 1143-1180, Cambridge University Press, pp.276-277
  2. a b c d e f Angold, Michael. Church and Society in Byzantium under the Comneni, 1081-1261. Cambridge University Press, 1995, p.78-79