Miguel I da Romênia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde junho de 2014) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Miguel I
Miguel em 2007.
Rei dos Romenos
Reinado 20 de julho de 19278 de junho de 1930
Predecessor Fernando I
Sucessor Carlos II
Reinado 6 de setembro de 1940 - 30 de dezembro de 1947
Predecessor Carlos III
Sucessor Monarquia abolida
Cônjuge Ana de Borbón-Parma
Descendência
Margarida
Helena
Irina
Sofia
Maria
Nome completo
Miguel de Hohenzollern-Sigmaringen
Casa Hohenzollern-Sigmaringen (até 2011)
Romênia (desde 2011)[1]
Pai Carlos II
Mãe Helena da Grécia
Nascimento 25 de outubro de 1921 (92 anos)
Sinaia, Romênia
Religião Ortodoxa Romena
Família real romena
Casa da Romênia
Kingdom of Romania - Big CoA.svg

SM o Rei
SM a Rainha

  • SAR a Princesa Herdeira*
    SAR o príncipe Radu*
  • SAR a princesa Elena
    • SAR o príncipe Nicholas*
  • SAR a princesa Irina
  • SAR a princesa Sofia
  • SAR a princesa Maria

*Titulado de acordo com as regras privadas da família.

Miguel da Romênia, nascido em 25 de Outubro de 1921, foi o último rei da Romênia Maior no século XX, com o título de Miguel I (em romeno, Majestatea Sa Regele Mihai I de România). Reinou entre 20 de Julho de 1927 e 8 de Junho de 1930, e novamente de 6 de Setembro de 1940 até 30 de Dezembro de 1947, quando foi deposto, indo viver no exílio desde então.

Ele é primo em terceiro grau da rainha Elizabeth II do Reino Unido, e uma das últimas figuras públicas da era da Segunda Guerra Mundial ainda vivas.

Miguel (Mihai) assumiu o trono após a morte de Fernando I da Romênia, em 1927, devido à renúncia ao trono, em Dezembro de 1925, do príncipe herdeiro Carlos (Carol). Como era menor de idade, foi estabelecida uma regência. Em 1930, Carol retorna ao país, a convite de políticos que estavam insatisfeitos com a regência, e foi proclamado rei. Miguel foi proclamado príncipe.

Em 1940 o regime pró-Alemanha do marechal Ion Antonescu realizou um golpe contra Carol, que era considerado antialemão. Mihai foi novamente proclamado rei, mas aos 18 anos de idade era apenas uma figura decorativa do governo Antonescu.

Em 1944, com o avanço das forças da União Soviética, Miguel juntou-se aos políticos pró-Aliados e deu um golpe de estado contra Antonescu, que foi preso. O rei Miguel proclamou a lealdade da Romênia aos Aliados, mas isto não foi suficiente para impedir uma invasão soviética.

Em Março de 1945, o rei Miguel foi forçado a indicar um governo pró-soviético encabeçado pelo Partido Comunista da Romênia. Sob o governo comunista, Miguel novamente foi pouco mais do que uma figura decorativa. Chegou a ser condecorado com a Ordem da Vitória soviética, mas, em dezembro de 1947, os comunistas anunciaram a abolição da monarquia e o rei foi forçado a abdicar, deixando o país.

No exílio viveu primeiramente na Grã-Bretanha e, em seguida, na Suíça. Durante o regime comunista, perdeu a cidadania romena, e adquiriu cidadania suíça. No exílio, adotou o título de "príncipe Miguel de Hohenzollern-Sigmaringen" (sua linhagem real remonta à família real alemã Hohenzollern).

Em 1992, três anos após a queda do regime de Nicolae Ceausescu, Miguel foi autorizado a voltar à Romênia para celebrar a Páscoa. Em 1997 teve sua cidadania romena restabelecida.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligaçôes externas[editar | editar código-fonte]