Mike Carlin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mike Carlin
Mike Carlin em 2007, durante uma convenção de quadrinhos
Nascimento 06 de Outubro de 1958 (56 anos)

Michael "Mike" Carlin (6 de outubro de 1958)[1] é um escritor e editor de revistas em quadrinhos americanas. Em 1992, após coordenar a publicação do arco de história A Morte do Superman nas quatro revistas então publicadas pela editora envolvendo o personagem, foi indicado ao Prêmio Eisner de "Melhor Editor" daquele ano.[2] Após não ser indicado no ano seguinte, foi indicado e eleito "Melhor Editor" durante a edição de 1994 da premiação.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlin começou a trabalhar na DC Comics em 1977, como estagiário[4] e foi, durante as décadas de 1980 e 1990, o responsável por coordenar as revistas envolvendo o personagem Superman. Foi durante a sua gestão que foi publicado o arco de história "A Morte do Superman" em que o personagem, após ser bem-sucedido em derrotar o monstro Apocalypse, faleceria.[5] A história foi responsável por atrair para o personagem e para as revistas, tanto dos leitores quanto da imprensa em geral, uma atenção que elas não vinham recebendo há anos. A edição em que o personagem falece, Superman #75, teve uma tiragem sem precedentes de seis milhões de exemplares, e é até hoje uma das revistas mais vendidas da história.[6]

Após a morte do personagem, a publicação de todas as revistas foi suspensa, e só retomada quatro meses depois, com a publicação de Reign of Superman, história que, ao passo que reintroduzia o personagem, representou também significativas mudanças para o elenco de apoio do personagem - o vilão Erradicador passou a agir como herói durante a saga, apoiando Superman, e os personagens Aço e Superboy fizeram suas primeiras aparições - e para o Universo DC - a fictícia cidade americana de Coast City, lar do Lanterna Verde Hal Jordan foi completamente destruída pelo vilão Superciborgue. Reign colheu consideravelmente mais elogios que a história que a precedeu e, embora sua tiragem não tenha quebrado recordes, também apresentou vendas expressivas.[5] [6] [7] [8]

Referências

  1. John Jackson Miller (10 de junho de 2005). Comics Industry Birthdays (em inglês) Comic Buyer's Guide. Visitado em 11 de junho de 2011. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2010.
  2. http://www.hahnlibrary.net/comics/awards/eisner92.php
  3. http://www.hahnlibrary.net/comics/awards/eisner94.php
  4. Wilbur (9 de agosto de 2001). O Omelete na mesa redonda de Joe Quesada, Mike Carlin e Axel Alonso (em português) Omelete. Visitado em 11 de junho de 2011.
  5. a b Eduardo Marchiori. (Setembro/Outubro de 2009). "Dossiê Superman. Anos 1990: Mudanças radicais". Revista Mundo dos Super-Heróis (18): 40-43. ISSN 9771980523001.
  6. a b Manoel de Souza; Antônio Santos. (Agosto de 2006). "Super Dossiê: A morte do Superman". Revista Mundo dos Super-Heróis (1): 38-39. 97711676609101 ISSN 16766091.
  7. Michael Bailey (2002). Where Were You The Day Superman Died? (em inglês) Superman Homepage. Visitado em 11 de junho de 2011.
  8. Thiago Rique. Review: A MORTE DO SUPER-HOMEM (em português) Universo HQ. Visitado em 11 de junho de 2011.


Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.