Mikhail Bogdanovich Barclay de Tolly

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde novembro de 2007). Ajude e colabore com a tradução.
Retrato de Barclay de Tolly na Galeria Militar do Palácio de Inverno, por George Dawe.

O Príncipe Mikhail Bogdanovich Barclay de Tolly (27 de dezembro de 176126 de maio de 1818) (em alfabeto cirílico: Михаи́л Богда́нович Баркла́й-де-То́лли) foi um marechal e Ministro de Guerra russo durante a Invasão Napoleônica à Rússia, em 1812, e as subsequentes campanhas do exército russo na Europa.

Início de Carreira[editar | editar código-fonte]

Barclay de Tolly, o mais ilustre membro do Clã Barclay, da Escócia, nasceu em Pamūšis[1] [2] , no Grão-Ducado da Lituânia, então pertencente à República das Duas Nações (atualmente, distrito de Pakruojis, na Lituânia), e cresceu na província báltica da Livônia, que em seguida pertenceu à Rússia Imperial e é, hoje, parte da Estônia e da Letônia. A data de nascimento mais consensual, 27 de dezembro de 1761, é na verdade o dia de seu batismo na igreja luterana da cidade de Žeimelis.[3] Embora falasse alemão, Barclay de Tolly descendia de escoceses que viviam na Livônia desde o século XVII. Seu avô fora prefeito de Riga, seu pai pertencera à nobreza russa e Barclay entrou prematuramente no exército imperial russo.

Entre 1788 e 1789 Barclay lutou contra o Império Otomano, ocasião em que se destacou entre os militares nas tomadas de Ochakov e Akkerman. Em 1790 lutou contra os suecos e, quatro anos mais tarde, contra os poloneses. Tornou-se coronel em 1798 e major-general em 1799.

Na guerra de 1806 contra Napoleão Bonaparte, Barclay destacou-se na Batalha de Pultusk, em dezembro de 1806, e foi ferido na Batalha de Eylau, em 7 de fevereiro de 1807, ocasião em que foi promovido a tenente-general.

Após um período de convalescença, Barclay retornou ao exército para comandar, em 1808, operações contra os suecos durante a Guerra Finlandesa. Em 1809, ganhou reputação entre os europeus por ter marchado rapidamente e de forma ousada sobre o Golfo de Bótnia, que estava congelado. Isto permitiu a Barclay que surpreendesse seus inimigos e anexasse a Suécia e capturasse Umeå.

Invasão napoleónica[editar | editar código-fonte]

Campanhas no estrangeiro[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Aleksey Arakcheyev
Ministro das Forças por Terra
18101812
Sucedido por
Aleksey Gorchakov
Precedido por
Georg Magnus Sprengtporten
Governador do Grão-Ducado da Finlândia
18091810
Sucedido por
Fabian Steinheil

Referências

Leitura Adicional[editar | editar código-fonte]

  • Helme, Rein. Kindralfeldmarssal Barclay de Tolly. Tallinn: Eesti Entsüklopeediakirjastus, 2006. ISBN 9985-70-202-6.
  • Josselson, Michael; Josselson, Diana. The Commander: A Life of Barclay de Tolly. Oxford: Oxford University Press, 1980. ISBN 0-19-215854-6.