Milônia Cesônia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Milônia Cesônia
Imperatriz-consorte romana
Milonia Caesonia.jpg
Milônia Cesônia no "Promptuarii Iconum Insigniorum"
Governo
Reinado 39/4024 de janeiro de 41
Consorte Calígula
Antecessor Lolia Paulina
Sucessor Valéria Messalina
Dinastia Júlio-claudiana
Vida
Nome completo Milonia Cesonia
Morte 24 de janeiro de 41
Roma
Mãe Vistília

Milônia Cesônia (português brasileiro) ou Milónia Cesónia (português europeu) foi uma imperatriz-consorte romana, quarta e última esposa do imperador Calígula.

História[editar | editar código-fonte]

Milônia nasceu entre 2 e 4 de junho de um ano desconhecido, mas próximo do início do que chamamos de Era Comum. De origens modestas, Cesônia era filha de Vistília. Seu meio irmão era o cônsul e general romano Cneu Domício Córbulo e sua sobrinha, Domícia Longina, se casaria com o imperador Domiciano.

Pouco se escreveu sobre ela. Suetônio afirma que quando ela se casou com Calígula, já não era mais bela ou jovem[1] e que ela já era mãe de três filhos de outro casamento[1] . Ele descreve Milônia como sendo uma mulher extravagante e leviana[1] , mas que, de qualquer forma, Calígula amava apaixonada e fielmente[1] .

Dião Cássio afirma que o imperador começou um caso com Cesônia antes do casamento (no final de 39 ou início de 40)[2] . Ela estava grávida quando se casaram e deu a luz a Júlia Drusila um mês depois[3] . Suetônio, por outro lado, afirma que ela teria tido a filha no dia do casamento[1] . Dião Cássio acrescenta ainda que o povo romano não estava contente com o casamento de Calígula com Cesônia[2] .

O satirista Juvenal especulou que Calígula teria ficado louco por causa de uma poção do amor que Cesônia teria lhe dado[4] .

Suetônio conta que Calígula desfilava Cesônia perante as tropas e, às vezes, fazia-o com ela nua, mas apenas para alguns amigos selecionados[1] . Ele supostamente ameaçava matá-la ou torturá-la como uma forma bizarra de afeto[5] .

Em 41, Calígula foi morto por assassinos durante uma peça teatral. Cesônia e a filha, Júlia, foram assassinadas horas depois. De acordo com Flávio Josefo, ela morreu bravamente[6] : abalada pela morte do marido, ela teria oferecido espontaneamente o pescoço ao assassino, pedindo-lhe que a matasse sem hesitar[6] . A data foi 24 de janeiro de 41.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Cesônia já foi retratada diversas vezes em filmes e na televisão:


Ver também[editar | editar código-fonte]

Milônia Cesônia
Nascimento:  ? Morte: 41
Títulos reais
Precedido por:
Lolia Paulina
Imperatriz-consorte romana
40–41
Sucedido por:
Valéria Messalina

Referências

  1. a b c d e f Suetônio. A Vida dos Doze Césares: Vida. [S.l.: s.n.]. vol. 25.
  2. a b Dião Cássio. História Romana. [S.l.: s.n.]. Capítulo: 23.
  3. Dião Cássio. História Romana. [S.l.: s.n.]. Capítulo: 28.
  4. Juvenal, Sátiras VI.615-20
  5. Suetônio. A Vida dos Doze Césares: Vida. [S.l.: s.n.]. vol. 33.
  6. a b Josefo. Antiguidades Judaicas. [S.l.: s.n.]. Capítulo: 2.4. vol. XIX.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]