Mil e Uma Noites (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mil e uma Noites
Álbum de estúdio de Rouge
Lançamento 30 de maio de 2005[1]
Gravação 2002—2005
Gênero(s) Pop, Pop Rock, Dance-pop, Zouk
Gravadora(s) Sony BMG
Produção Rick Bonadio
Cronologia de Rouge
Último
Último
Blá Blá Blá
(2004)
Próximo
Próximo
Singles de Mil e uma Noites
  1. "Vem Habib (Wala Wala)"
    Lançamento: 29 de maio de 2005
  2. "O Amor é Ilusão"
    Lançamento: 27 de setembro de 2005

Mil e Uma Noites é o quarto e último álbum do girl group pop brasileiro Rouge, lançado no dia 30 de maio de 2005, pela Sony BMG. Esse álbum traz 7 grandes sucessos como: "Ragatanga" "Brilha La Luna" e "Blá Blá Blá". Com 6 músicas inéditas: "Me Leva Contigo", "Mais Uma Da Lista", "Cidade Triste", "Onde Está O Amor?", a recente "O Amor é Ilusão" e o sucesso "Vem Habib (Wala Wala)", além da versão acústica do sucesso "Um Anjo Veio Me Falar", o Rouge mostra o talento e perseverança de meninas que formaram o maior grupo Pop vocal visto no Brasil. O álbum teve cerca de 100 mil cópias distribuídas pelas lojas brasileiras e ao todo vendeu mais de 250.000 cópias.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Cquote1.svg "Percebemos que chega um momento na vida de todo artista, que ele grava um CD como Greatest Hits e nós já pensávamos em fazer isso antes. Juntamos os grandes sucessos, com seis músicas inéditas e gravamos este quarto CD, juntando o útil ao agradável. O nome Mil e Uma noites é porque nós estamos comemorando mil e uma noites de sucessos, de carreira." Cquote2.svg
Fantine falando sobre o porquê de lançar um álbum de "sucessos" e "músicas inéditas". [2]

Após lançarem três álbuns inéditos, as meninas queria que seu novo disco tivesse apenas músicas novas, mas a gravadora queria uma coletânea. Para o Rouge, mostrar músicas inéditas naquele momento (2005) era uma forma de provar para o público e a imprensa que o grupo não acabou, como foi especulado. Os boatos, segundo Patrícia, surgiram porque o quarteto estava vivendo um período de transição desde 2004, quando saiu da produtora RGB e foi para a Arsenal (de Rick Bonadio). Além disso, a gravadora delas, Sony Music, fundiu-se com a BMG.[3]

Cquote1.svg "Isso tudo mexeu bastante conosco. Ficamos seis meses paradas, meio sumidas, esperando o que iria acontecer. Disseram que seguiríamos carreiras solo. Realmente fizemos algumas coisas sozinhas, mas o grupo não acabou". Cquote2.svg
Patrícia falando sobre como a mudança de produtora afetou o grupo.[3]

"Hoje muitas pessoas nos respeitam e não nos vêem mais como uma banda de laboratório, um produto descartável, feito para vender milhões de um só disco, dar dinheiro a muita gente e depois sumir", desabafa.[3] Após a discussão sobre o destino do álbum, "Mil e Uma Noites" se tornou uma coletânea e um CD de músicas inéditas num só disco. O formato do disco foi a forma encontrada pelas meninas para conciliar seus interesses com os da gravadora.[3]

Canções[editar | editar código-fonte]

Cquote1.svg "Era para sair uma coletânea com no máximo três faixas inéditas, como acontece com todo artista que já tem dois ou três discos lançados. Nós não queríamos. A princípio batemos de frente com a gravadora, pois já estávamos vendo músicas novas para um próximo CD. Mas depois vimos que eles tinham razão. Conseguimos colocar seis faixas inéditas, o que para nós foi um trunfo". Cquote2.svg
Patrícia falando sobre o repertório do álbum, que conta com inéditas e sucessos.[3]

Das 14 faixas do CD, o quarto e último na carreira de Patrícia, Aline, Karin e Fantine, seis são novas. As oito músicas restantes são hits retirados dos álbuns anteriores, incluindo uma versão acústica inédita para o sucesso "Um Anjo Veio Me Falar".[3]

A primeira faixa de trabalho de Mil e uma Noites é "Vem Habib (Wala Wala)", uma das seis canções inéditas do CD. Mantendo a proposta do grupo – melodia dançante, letra descontraída e apelo infantil – a música foi comparada à "Ralando o Tchan (Dança do Ventre)", do grupo É o Tchan, pela temática árabe. Mas segundo Patrícia, as referências para a música foram Rich Girl, lançada pela vocalista do No Doubt, Gwen Stefani, em seu disco solo "Love. Angel. Music. Baby.", e "Whenever, Wherever", hit de Shakira.[3] Outro destaque é a versão para a canção "Torn", de Natalie Imbruglia, que se tornou "O Amor é Ilusão", escrita por Milton Guedes.[4]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Folhapé (positivo)[5]

O crítico Bruno Nogueira da Folhapé elogiou o álbum, argumentando: "Elas continuam mostrando o que provaram na maratona do programa Popstars: que são donas de vozes capazes de emplacar sucessos quando são bem disciplinadas. A variação de 'Mil e Uma Noites' é bem agradável, exceto provavelmente pela própria música de trabalho que investe demais nos sons do Oriente Médio apropriados pela Rede Globo na novela 'O Clone'. Tudo que faz parte do universo girl bands está no disco. Do pop empurrado pelo coro de vozes, baladas em violão e melodias que oscilam entre o melancólico e o agitado, dependendo do ponto vista que se quer dar pelo tema central, o amor. Sem desmerecer a parte original do trabalho de Bonadio, o ponto alto são mesmo as versões. Além de 'O Amor é Ilusão', aparecem as interessantes 'Não Dá pra Resistir', e "Um Anjo Veio Me Falar", em versão acústica.[5]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Para divulgar o álbum, as meninas, como de costume, foram no programa Domingo Legal, no dia 29 de maio (um dia antes do lançamento do álbum), para cantar alguns sucessos, incluindo o primeiro single, "Vem Habib".[6] Além da divulgação na televisão, as meninas também fizeram shows por todo o Brasil, no que se tornou a última turnê da banda, a Mil e Uma Noite Turnê, de 2005. O grupo também fez uma participação especial na novela Floribella, da Band, cantando o single "Vem Habib" e o sucesso "Um Anjo Veio Me Falar".[7]

Singles[editar | editar código-fonte]

O primeiro single do álbum, "Vem Habib (Wala Wala)" foi lançado no dia 23 de maio de 2005 nas rádios do Brasil.[8] Seu videoclipe foi gravado no deserto, no dia 3 de junho, e estreou no dia 16 de junho na MTV.[2] A canção foi um sucesso nas rádios, alcançando a posição de número 4 nas paradas de sucesso.[9]

O segundo e último single do álbum, "O Amor é Ilusão", foi lançado no final de setembro de 2005.[4] A canção alcançou a posição de número 23 nas paradas de sucesso do Brasil, se tornando o último single do grupo a ser lançado.[9]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas faixas foram produzidas por Rick Bonadio.[10]

# Título Compositores Duração
1. "Me Leva Contigo" (I Want You to Want Me) Max Martin – Versão: Milton Guedes 3:36
2. "Vem Habib (Wala Wala)" Rick Bonadio 3:33
3. "Mais uma da Lista" (Blacklisted) Nickas King, Nicklas Bergwall, Jeanette Olsson – Versão: Guedes 2:44
4. "Cidade Triste" (Sleepy City) Rampac e Jos Jorgensen – Versão: Clio 4:19
5. "O Amor É Ilusão" (Torn) P. Thomally, Cutlen e Previn – Versão: Guedes 4:06
6. "Onde Está o Amor" (Where Are You Now?) Eric Silver, Bonadio e Clio 3:51
7. "Não Dá pra Resistir" (Irresistible) F. Thomander, A. Wickstrom e Kara Dioguardi – Versão: Guedes 2:56
8. "Brilha La Luna" Bonadio 3:31
9. "Beijo Molhado (Strawberry Kisses)" Andy Marvel, Jeff Franzel e Marjorie Mayo – Versão: Guedes 3:30
10. "Ragatanga (Aserejé)" Francisco Manuel e Ruiz Goméz – Versão: Rick Bonadio 3:31
11. "Blá Blá Blá" Bonadio e Fúlvio Márcio 3:56
12. "Vem Cair na Zueira" Bonadio 3:24
13. "Hoje Eu Sei" (Just Another Day) Franne Golde, Guy Roche e Janette Jurado – Versão: Bonadio 4:11
14. "Um Anjo Veio Me Falar" (Angel in My Heart) - Acoustic Version Elliot Kennedy, Tim Woodcock e Suzane Shaw – Versão: Bonadio, Aline Wirley, Fantine Thó, Karin Hils, Luciana Andrade, Patrícia Lissa 3:45

Créditos adaptados do site Universo Musical.[10]

Referências

  1. Rouge lança inédito cheio de surpresas Território da Música (30 de maio de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  2. a b Rouge Agenda (01 - 16 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  3. a b c d e f g Entre o novo e o antigo : Rouge Universo Musical (26 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  4. a b Rouge regrava Natalie Imbruglia Território da Música (20 de setembro de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  5. a b As Mil e uma Noites... Sempre Rouge (16 - 30 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  6. Apresentação no Gugu e Letra de Vem Habib Sempre Rouge (16 - 31 de maio de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  7. Algo a mais Paraná Online (23 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  8. VEM HABIB NAS RÁDIOS!!! Sempre Rouge (16 - 31 de maio de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  9. a b Hot 100 Brasil (em português). Página visitada em 02 de outubro de 2013.
  10. a b Mil e Uma Noites : Rouge Universo Musical (26 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Rouge é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.