Milcíades

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Fevereiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Milcíades, o Jovem (em grego: Μιλτιάδης ὁ Νεώτερος, Miltiádēs ho Neōteros; ca. 550 a.C.489 a.C.) foi um general (estratego) helênico nascido em Atenas. Comandou a vitória sobre os persas em Maratona[1] , que livrou a Grécia de um poderoso ataque pelas forças de Dario I por volta de 490 a.C.. No princípio do século V a.C. transformou Atenas na maior potência da antiga Grécia.

Antepassados[editar | editar código-fonte]

Milcíades era filho de Címon, irmão, por parte de mãe, de Milcíades, o Velho;[2] o nome do pai de Címon era Stesagoras.[3] Milcíades, o Velho, governava o principado ateniense de Quersoneso da Trácia; morrendo sem filhos, foi sucedido por Stesagoras, filho de Címon.[2]

Tirano do Quersoneso[editar | editar código-fonte]

Após o assassinato de Stesagoras,[2] Milcíades foi enviado ao Quersoneso pelos filhos de Pisístrato,[Nota 1] e tornou-se o tirano do Quersoneso.[4] Milcíades se casou com Hegesípile, filha do rei Oloro, da Trácia.[4] [5]

Inicialmente teve de submeter-se ao poder de Dario I da Pérsia. Insatisfeito participou da insurreição jônica contra os persas e tomou para Atenas as ilhas de Lemnos e Imbros (499 a.C.). Ameaçado pela esquadra do imperador (495 a.C.), fugiu de Quersoneso e levou sua fortuna para Atenas, onde se tornou o mais poderoso dos dez generais do exército ateniense.

Primeira Guerra Médica[editar | editar código-fonte]

Quando Dario desembarcou em Maratona (490 a.C.), ele já se encontrava estrategicamente instalado nas colinas ao redor da baía em que estavam ancorados os barcos persas, e esperou o momento em que a cavalaria invasora estava sem condições de entrar em combate e atacou a infantaria, causando cerca de 6.400 baixas ao inimigo, que perdeu ainda sete navios. Movido pela vaidade de vencedor comandou uma malograda expedição naval (489 a.C.) contra as ilhas que haviam apoiado a Pérsia. Ferido e com a perna gangrenada, foi preso, acusado de infidelidade por seus inimigos atenienses. Condenado a pagar uma multa de cinqüenta talentos, ficou preso até que pagasse a dívida, e morreu na prisão, em Atenas[6] .

Filhos[editar | editar código-fonte]

O nome do seu pai, Címon,[6] foi dado ao seu filho Címon[5] com Hegesípile, filha do rei Oloro, da Trácia[5] . Outros seus filhos, de outras mulheres, foram Elpinice,[7] [8] que se casou com Cálias II,[8] e seu filho mais velho Metiochos, que foi capturado pelos fenícios, levado a Dario I e bem tratado, recebendo casa e uma mulher persa.[9]

Historiadores modernos, baseados no fato de que o pai do historiador Tucídides se chamava Oloro,[5] da deme Halimous,[10] e de que o túmulo de Tucídides se localizou ao lado do túmulo de Elpinice,[10] sugerem que Tucídides seria descendente de Milcíades: Oloro seria filho de uma filha (de nome desconhecido) de Milcíades e Hegesípile, casada com um ateniense da deme Halimous.[11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Árvore genealógica baseada nos artigos dos diversos personagens citados na mesma (síntese):

 
 
 
Stesagoras
 
 
Mãe de Címon e Milcíades
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Címon
 
 
 
 
 
Milcíades
 
 
Oloro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Stesagoras
 
 
 
 
Milcíades
 
 
 
 
 
 
Hegesípile
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Metiochos
 
 
Elpinice
 
 
Címon
 
 
 
 

Notas e referências

Notas

  1. Os filhos de Pisístrato eram os tiranos Hípias e Hiparco

Referências

  1. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Temístocles, 3.3
  2. a b c Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 38 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  3. Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 34 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  4. a b Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 39 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  5. a b c d Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Címon, 4.1
  6. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Címon, 4.3
  7. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Címon, 4.5
  8. a b Cornélio Nepos, As vidas dos grandes comandantes, Cimon, 1
  9. Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 41 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  10. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Címon, 4.2
  11. Dictionary of Literary Biography, Thucydides
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.