Ministério de Louvor Apascentar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Ministério de Louvor Apascentar, mais conhecido como Toque no Altar, é um grupo música gospel brasileiro da Igreja Evangélica Ministério Apascentar em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, surgido em janeiro de 2002.

Em 2007, houve uma divisão no grupo da qual integrantes como Davi Sacer, Luiz Arcanjo e Ronald Fonseca se separaram e originou-se outra banda chamada Trazendo a Arca.

História[editar | editar código-fonte]

Primeira formação liderada por Davi Sacer e Luiz Arcanjo (2002-2006)[editar | editar código-fonte]

Luiz Arcanjo cantando "Santo" durante a gravação em VHS do álbum Toque no Altar, 2004.

Em janeiro de 2002 foram contratados pelo Pastor Marcus Gregório para a formação de um grupo de louvor de tempo integral.[1] O conjunto se tornou conhecido no cenário gospel em 2003 com o álbum Toque no Altar, que junto com o álbum que seria lançado no mês seguinte renderiam dez indicações no maior prêmio da música gospel brasileira daquela época, o Troféu Talento de 2005,[2] vendendo na época 500 mil cópias.[3]

Em novembro daquele ano, o pastor Marcus Gregório iniciou uma campanha no Ministério Apascentar, e quem participaria ganharia um CD do grupo com duas faixas. Entretanto, com um repertório pronto, lançaram a obra musical Restituição, e vendeu um milhão de cópias, sendo o disco mais vendido do grupo[4] .

Capa do Cd Deus de Promessas que teve certificação de Diamante.

Em março de 2005 foi lançado o segundo álbum temático, intitulado Deus de Promessas, formado por faixas inéditas de estúdio e duas canções gravadas ao vivo. O álbum garantiu 500 mil cópias vendidas.[5] No mesmo ano a música Restituifoi escolhida como a música gospel do ano no Troféu Talento[6] , e no dia 8 de novembro fizeram a gravação do primeiro DVD no Olympia, em São Paulo, com as músicas dos trabalhos Toque no Altar e Restituição com participações especiais do Raiz Coral e de David Cerqueira.[7]

No início de 2006 ganharam novamente no Troféu Talento com "Deus de Promessas", que foi escolhida como a música do ano[8] . No dia 1 de maio de 2006 foi lançado o último CD de canções inéditas do Toque no Altar, o álbum de estúdio Olha pra Mim. O álbum vendeu 180 mil cópias antes de ser lançado no Brasil, recebendo um disco de platina[9] , e em seis meses já havia vendido 400 mil cópias[7] .

O último trabalho antes da divisão foi a gravação do CD e DVD Deus de Promessas Ao Vivo, em outubro de 2006, após o álbum Olha pra Mim, no Claro Hall, na cidade do Rio de Janeiro. A gravação era esperada pelo público, os ingressos se esgotaram dez dias antes do evento. Na gravação, o público estimado era de dez mil pessoas, surpreendendo a administração local. Ainda, durante o evento o grupo recebeu o disco de diamante do álbum Deus de Promessas, pelas mais de 500 mil cópias vendidas do álbum. O DVD, logo em seu lançamento vendeu 30 mil cópias, recebendo o disco de ouro.[10] A música "Olha pra mim" foi escolhida a música do ano de 2007 pelo Troféu Talento[11] . E neste mesmo ano Luiz Arcanjo, Davi Sacer, Ronald Fonseca, Verônica Sacer, Deco Rodrigues, Isaac Ramos e André Mattos saem do grupo, formando o Trazendo a Arca[12] .

Segunda formação liderada por Rafael Bitencourt e Scooby (2007-2011)[editar | editar código-fonte]

A partir disso, há a entrada de novos integrantes, como Rafael Bitencourt e Scooby, ex-integrante do Raiz Coral e em setembro daquele ano foi lançado o álbum É impossível, mas Deus Pode, ao qual vendeu 300.000 cópias[13] , disco que mostrou que não era o fim do grupo apesar da saída de alguns deles. Mas diferentemente dos outros anos, o grupo foi indicado ao Troféu Talento, mas não ganhou em melhor música do ano.

Já em 2008 foi gravado o trabalho Deus de Milagres[14] , disco que trouxe ao grupo quatro indicações no Troféu Talento de 2009, mas o grupo não ganhou em nenhuma.

Em 2009, o grupo perde o nome na justiça por causa de um processo envolvendo o grupo e o Trazendo a Arca, e o nome do grupo se torna Apascentar de Louvor. E no mesmo ano o grupo Trazendo a Arca se reconcilia com o Toque no Altar[15] .

Em Maio de 2010, Davi Sacer volta à Igreja Apascentar juntamente com Verônica Sacer, mas não para voltarem a cantar no ministério, mas sim à carreira solo.[16] O anúncio de reconciliação é feito pelo Pr. Marcus Gregório em um culto de Domingo à noite, na campanha Deus não pode falhar.

Em dezembro de 2011 foi lançado Ao Deus das Causas Impossíveis, gravado pelo casal Sacer. Na gravação do DVD, Davi apresentou Alexandre Dias, o novo vocalista do grupo. Na gravação também houve a participação especial de Jotta A.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo
Álbuns de estúdio
Álbuns de regravações
Álbuns de vídeo

Referências

  1. Gospel Prime. Toque no Altar - Biografia, notícias, vídeos, fotos, cifras e letras. Página visitada em 15/10/2011.
  2. Redação Super Gospel. Conheça os indicados ao Troféu Talento 2005. 02/02/2005. Página visitada em 15/10/2011.
  3. Gospel Goods. CD Toque no altar - Toque no Altar (Ouça as Músicas). Página visitada em 16/10/2011.
  4. CD - Restituição (Playback)-Ministério Apascentar de Nova Iguaçu. Página visitada em 15/10/2011.
  5. Roberto Azevedo para o Super Gospel. CD Deus de Promessas (Toque no Altar)- Análise. 10/07/2005. Página visitada em 15/10/2011.
  6. Biografia de Trazendo a Arca - Letras.com.br. Página visitada em 15/10/2011.
  7. a b Roberto Azevedo para o Super Gospel. DVD Toque no altar e Restituição (Toque no Altar) - Análise. 10/03/2007. Página visitada em 15/10/2011.
  8. Troféu Talento 2006. Página visitada em 15/10/2011.
  9. Roberto Azevedo para o Super Gospel. CD Olha pra mim (Toque no Altar). 20/06/2006. Página visitada em 15/10/2011.
  10. DVD Deus de Promessas. 18/01/2007. Página visitada em 15/10/2011.
  11. Gospel+. Vencedores Troféu Talento 2007. Página visitada em 17/10/2011.
  12. Biografia Trazendo a Arca
  13. CD É impossível, mas Deus pode
  14. Análise CD Deus de Milagres
  15. Reconciliação entre Toque no Altar e Trazendo a Arca
  16. Davi Sacer volta para a Igreja Apascentar

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]