Minitel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Le Minitel 1
1982

Minitel foi um pequeno terminal de consulta de banco de dados comerciais existentes nos Correios, nas Telecomunicações e nas Teledifusões existentes na França.[1] [2] [3]

Criação[editar | editar código-fonte]

O serviço de Videotexto on-line, Minitel, foi lançado na França em 1982 pela PTT (Postes, Télégraphes et Téléphones, tradução para o português: Correios, Telegráfos e Telefones). Desde 1991 que o serviço está dividido entre a France Télécom - Orange e a La Poste.[1]

Quando foi criado,os usuários faziam compras on-line, reservas para o trem, checavam a cotação das ações na bolsa de valores, a lista telefônica, e, ainda estabeleciam um Chat similar com aquele que é feito pela Internet.[4]

Percurso Cronológico[editar | editar código-fonte]

1982:depois de testes e feito o lançamento do Minitel.

1984: o quiosque de telemarketing é aberto.

1985: é inaugurado, na França, o Anuário Eletrônico Nacional.

1987: lançamento no mercado das tarifas de patamar.

1995: chega ao mercado uma nova geração de terminais:o Magis (microprocessador e revisor de textos do Minitel) e o Sillage (telefone com écran do Mintel).

2000: conversão do Minitel e da Internet (distribuição de um emulador i-minitel). Lançamento do Muti-Publication et Hop Minitel.

2002: O Minitel desenvolve-se sob novos suportes e o modelo de quiosque é adaptado à Internet (soluções w-HA).

2005: 351 milhões de ligações em, atingindo cerca de € 206 milhões de retorno[5]


2011: A France Télécom informou que vai encerrar o serviço para que tenha uma liberalização dos serviços telefônicos franceses. Também para consolidar o uso da internet e do teletexto.

2012: O serviço é definitivamente encerrado[6] [1] .

Os beneficios do Minitel[editar | editar código-fonte]

O usuário passa a ter acesso simples e rápido de números práticos de serviço (anuários, serviços bancários, bolsas, serviços profissionais, etc). E, ainda, conta com transações efetuadas.[4]

Técnica[editar | editar código-fonte]

O Minitel usa terminais constituídos por tela de texto, teclado e modem. Geralmente, o Minitel está integrado ao modem que lida com um número especais conectado ao PAVI (Point d'Accès Videotexte, "Ponto de Acesso do Videotexto"). O PAVI transmite informações de volta para o servidor da companhia apropriada ou para administração que utiliza o Transpac X.25 network.[7] Em França, era comum discar o número "36 15", enquanto que o "36 17" era usado para os serviços mais dispendiosos. Esses números eram os prefixos dos serviços do Minitel, que os identificava como tal; por exemplo o Google Minitel era conhecido por "36 15 Google". E o prefixo "36 15" tinha o mesmo significado que o ".com", atual sufixo do website da Internet. Tecnicamente, o Minitel refere-se aos terminais, enquanto que o network é conhecido por Teletel.[8]

Minitel e Internet[editar | editar código-fonte]

Muitos consideraram o Minitel como um motivo de atraso para o desenvolvimento da Internet na França, já que este último oferecia segurança e fácil acesso para vários serviços on-line, sem requerer o uso de um computador personalizado. Contudo, o Minitel possui vantagens, tais como: não precisa de assinatura para que se efetue um serviço ou compra nem para a manutenção de uma computador, e emite com segurança os pagamentos feitos por cartão de crédito ou outra informação pessoal. Além disso, o Minitel tem um padrão bem-definido que raramente apresenta problemas de compatibilidade. [9] [10]

Minitel em outros países[editar | editar código-fonte]

Suécia: em 1991, o estado sueco tentou introduzir um serviço similar na companiha de telfone Televerket, mas em 1993 o serviço faliu. E, assim, criaram o Teleguide nos quais os terminais eram constituídos pelo IBM.

África do Sul: em 1986, o Videotexto foi introduzido no Telkom, pelo nome de Beltel. Depois, o Minitel foi introduzido para os serviços populares.

Irlanda: em 1988, o Minitel foi introduzido na Irlanda pelo eircom (Telecom Eireann). O sistema era baseado no modelo francês e o serviço Irlandês era acessado na França pelo código "36 19 Irlanda". Os terminais do Minitel da Irlanda eram tecnicamente parecidos aos dos correspondentes franceses, apesar de terem o teclado Qwerty e o telefone RJ-11.

Países Baixos: o PTT (atual KPN) operou com duas plataformas: o Viditel (grande central de números) e o Videotex (central de acesso do sistema responsável pela conexão correta dos vastos números demandados por outros).

Canadá: a Bell Canadá incorporou na fase experimental do Minitel, o sistema conhecido por AlexTel. A similaridade entre ambos era enorme, apesar do telefone usar o Bell System Rj-11.

Brasil: um sistema bem sucedido foi iniciado em São Paulo, pela antiga estatal Telesp. Operou de 1982 até meados dos anos 1990; algumas poucas companhias telefônicas de outros estados instalaram sistemas similares, mas com bases de dados e serviços diferentes. O principal motivo para o sucesso do Minitel em São Paulo foi que a companhia telefônica oferecia apenas o serviço e o acesso à lista telefônica de assinantes, enquanto outras empresas - bancos, provedores de bancos de dados, jornais - ofereciam conteúdos e serviços adicionais. O sistema teve seu ápice em 1995, com cerca de 70 mil assinantes.

O Minitel também está incorporado em países como: Bélgica (pela Belgacom), Alemanha (Bildschirmtext, BTX), Estados Unidos da América (Qwest) e a Itália (Telecom Italia).[11]



Referências

  1. a b c Minitel: The rise and fall of the France-wide web, BBC News, 27 June 2012. Visited: 29 June 2012
  2. Presse, Agence France. "Le Minitel disparaîtra en juin 2012", 21 July 2011. (em francês) (English translation)
  3. Lichfield, John. "How France Fell Out of Love with Minitel", The Independent, 9 June 2012.
  4. a b "On the Farms of France, the Death of a Pixelated Workhorse", Scott Sayare, New York Times, 27 June 2012
  5. France Telecom. Bilan Minitel 2005(PDF, 920KB). Press release. Página visitada em 2006-08-02. (em francês)
  6. Projecto francês precursor da Internet vai ser desligado.
  7. Imprimantes Rouleau Thermique Acel Genesys. Cópia arquivada em 5 February 2009. (em francês)
  8. JR. DIZARD, Wilson. A Nova Mídia: A comunicação de massa na era da informação.Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 2000.
  9. História no Leskioske.com
  10. LES KIOSQUE. Benefices. Disponível em: http://www.leskiosques.com/V3/solutions/minitel/benefices.php4. Acesso em: 03.09.2008.
  11. MINITEL. Magis, le Minitel de base. Disponível em: http://www.minitel.fr/terminaux_public.htm. Acesso em: 03.09.2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]