Miostatina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
editar
Miostatina
Identificadores
Símbolos MSTN; GDF8; MSLHP
ID externos OMIM: 601788 MGI95691 HomoloGene3850 GeneCards: MSTN Gene
Ortólogos
Espécies Humano Rato
Entrez 2660 17700
Ensembl ENSG00000138379 ENSMUSG00000026100
UniProt O14793 O08689
RefSeq (mRNA) NM_005259.2 NM_010834.2
RefSeq (proteína) NP_005250.1 NP_034964.1
Localização (UCSC) Chr 2:
190.92 – 190.93 Mb
Chr 1:
53.06 – 53.07 Mb
Busca PubMed [1] [2]

A miostatina (formalmente conhecida como factor 8 de crescimento e diferenciação) é um fator de crescimento que limita o crescimento do tecido muscular, por exemplo concentrações elevadas de miostatina em um indivíduo provocam uma diminuição no desenvolvimento normal dos músculos.[1]

A proteína miostatina é produzida em células do músculo esquelético, circula no sangue e actua no tecido muscular, parecendo atrasar o desenvolvimento das "células-mãe" musculares. O mecanismo exato segue sendo desconhecido.

Miostatina e o gene associado foram descobertos 1997 pelos genetistas McPherron e Se-Jin Lee, que também produziram uma estirpe do mutante em ratos com a carência do gene e eram em torno de duas vezes mais fortes que ratos normais. [3] [2]

O gene foi sequenciado em humanos, ratos, peixes, zebras e vários outro animais,[3] demonstrando poucas diferenças entre espécies. Lee descobriu em 1997 que a raça bovina "Azul Belga Forte" e uma camada de Piedmontese tinham o gene da Miostatina defeituoso. Essas linhagens se produziram através de criação de gado.(fonte: http://www.pharyngula.org)

Em 2001, Lee cria ratos com o gene da Miostatina intacto e uma grande massa muscular inserindo mutações que aumentaram a produção de substâncias bloqueadoras da Miostattina.[4] [5] [6]

Em 2004, um sujeito alemão foi diagnosticado com uma mutação em ambas as cópias do gene que produz a Miostatina, fazendo-o consideravelmente mais forte que seus pais. Sua mãe possuia mutação em uma das cópias do gene.[7] [8] [9] [10] [11] [12] Mais recentemente, um garoto americano nascido em 2005 foi diagnosticado com a mesma condição.[13]

Investigações adicionais na Miostatina e o gene da miostatina pode conduzir a terapias para a distrofia muscular. A ideia é introduzir substâncias que bloqueiam a miostatina. Em 2002, investigadores da Universidade da Pensilvânia demonstraram que com um anticorpo monocloral específico para a Miostatina melhora a condição de ratos com distrofia muscular, provavelmente mediante o bloqueio da ação da Miostatina.

Em 2005, Lee demonstrou que com um tratamento de duas semanas a ratos normais com o receptor da activita tipo 11B solúvel, uma molécula que se une normalmente as células e a Miostatina, conduz a um aumento notável na massa muscular (até 60%). Se pensa que a união da Miostatina com o receptor solúvel impede que ela se una ao receptor da superfície celular.

Continua confuso se um tratamento longo da distrofia muscular com os inibidores da Miostatina é benéfico: O esgotamento das células-mãe musculares poderia piorar a doença a longo prazo.

Até 2005, não existem remédios no mercado para os seres humanos, mas foi desenvolvido um anticorpo geneticamente modificado para reconhecer a Miostatina e neutralizá-la pela companhia farmacêutica de Nova Jersey Wyeth. O inibidor se chama MYO-029 e está atualmente em fase experimental em humanos. Alguns atletas, impacientes para conseguir esses medicamentos, procuram pela internet, onde estão vendendo bloqueadores de Miostatina falsos.

A Miostatina é um membro da superfamília de proteínas TGF-beta. A Miostatina humana consiste em duas subunidades idênticas, cada uma consistindo de 110 aminoácidos. Seu peso molecular total é de 25.0 kDa. Pode ser produzido por "E. coli" modificada geneticamente e esta disponível para venda. A Universidade de Johns Hopkins possui as patentes da miostatina.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Garikipati DK, Gahr SA, Roalson EH, Rodgers BD. "Characterization of rainbow trout myostatin-2 genes (rtMSTN-2a and -2b): genomic organization, differential expression, and pseudogenization." Endocrinology 2007;148(5):2106-15. PMID 17289851.
  2. McPherron AC, Lawler AM, Lee SJ. Regulation of skeletal muscle mass in mice by a new TGF-beta superfamily member. Nature 1997;387:83-90. PMID 9139826.
  3. Rodgers e Weber. "A conservação sequencial entre a miostatina ortológica dos peixes e a caracterização de dois clones cDNA adicionais de Morone saxatilis e Morone Americana" Comp Biochem Physiol B Biochem Mol Biol 2001;129(2-3):597-603. PMID 11399495.
  4. Fotos com dupla musculatura por Miostatina inibida en touros Azul Belga
  5. Kambadur R, Sharma M, Smith T, Bass J. (1997). "Mutaciones en miostatina (GDF8) de ganado doble musculados Azul Belga y Piedmontese". Genome Res 7 (9): 910-6 pp.. PMID 9314496.
  6. McPherron A, Lee S. (1997). "Doble musculación en ganado debido a mutaciones en el gene miostatina". Proc Natl Acad Sci U S A 94 (23): 12457-61 pp.. PMID 9356471.
  7. cevgenetica: Mutación Génica hace a sujeto alemán extra muscularmente fuerte
  8. Gina Kolota: Un niño muy muscular ofrece esperanza contra enfermedades, The New York Times, June 24, 2004. (requiere login)
  9. Mutación genética hace un superboy
  10. Pibe Músculo
  11. One Strong Tyke: Gene mutation in muscular boy may hold disease clues
  12. Schuelke M, Wagner K, Stolz L, Hübner C, Riebel T, Kömen W, Braun T, Tobin J, Lee S. (2004). "Mutación en miostatina asociada con hipertrofia muscular en un niño". N Engl J Med 350 (26): 2682-8 pp.. PMID 15215484.
  13. "Rare condition gives toddler super strength"