Mirassol d'Oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Mirassol d'Oeste
"Miracity"
Bandeira desconhecida
Brasão de Mirassol d'Oeste
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 28 de outubro
Fundação 28 de outubro de 1964
Gentílico mirassolense
Prefeito(a) Elias Mendes Leal (Partido Social Democrata - PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Mirassol d'Oeste
Localização de Mirassol d'Oeste no Mato Grosso
Mirassol d'Oeste está localizado em: Brasil
Mirassol d'Oeste
Localização de Mirassol d'Oeste no Brasil
15° 40' 30" S 58° 05' 45" O15° 40' 30" S 58° 05' 45" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Sudoeste Mato-Grossense IBGE/2008 [1]
Microrregião Jauru IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Cáceres
Municípios limítrofes Cáceres, São José dos Quatro Marcos, Curvelândia, Lambari d'Oeste, Glória d'Oeste
Distância até a capital 288 km
Características geográficas
Área 1 072,537 km² [2]
População 25 331 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 23,62 hab./km²
Altitude 260 m
Clima Tropical subúmido Aw
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,739 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 286 000,718 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 277,63 IBGE/2008[5]
Página oficial

Mirassol d'Oeste é um município brasileiro do estado de Mato Grosso.

História[editar | editar código-fonte]

O povoado de Mirassol D'Oeste foi fundado em 28 de outubro de 1964. O nome foi dado em homenagem à cidade paulista homônima onde residia as famílias dos idealizadores da cidade de Mirassol D'Oeste, o Sr. Antonio Lopes Molon e Benedito Cesário da Cruz, que vieram para a região por volta de 1958, adquirindo algumas terras devolutas, onde hoje está o município.

No passado a área era ocupada por índios Bororós, também chamados pelos desbravadores paulistas de índios Cabaçais. Hoje os poucos descendentes dessa gente estão em reservas indígenas no município de Barra do Bugres.

A arrancada do povoamento da região de Mirassol d'Oeste começou realmente com a construção da Ponte sobre o rio Paraguai, no município de Cáceres, no ano de 1960, no governo estadual de João Ponce de Arruda. A colonização dessa área foi grandemente impulsionada pelos projetos do Governo Federal e Estadual que, entre outras vantagens, concediam incentivos fiscais à colonização do centro-oeste, como uma forma de incentivo para a ocupação da Amazônia, que era realmente o foco do Governo nessa época.

Até dezembro de 1976 Mirassol D'Oeste ficou sob a jurisdição do município de Cáceres, acontecendo a instalação oficial do município em 1.º de fevereiro de 1977, com sessão na Câmara Municipal, sendo nomeado interinamente na direção do município de Mirassol D'Oeste o Sr. Ataíde Pereira Leite, com apenas 25 anos de idade, sendo substituído pelo Sr. Samuel Greve, nomeado pelo Governador de Mato Grosso Frederico Campos.

A cidade concentra um grande número de imigrantes paulistas das cidades de Fernandópolis, Jales, Mirassol, Santa Fé do Sul, São José do Rio Preto e Votuporanga, entre outras.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 15º40'30" sul e a uma longitude 58º05'45" oeste, estando a uma altitude de 260 metros. Sua população estimada em 2008 é de 25 360 habitantes. Possui uma área de 1134,31 km². É o município de maior densidade demográfica, mais populoso e o que possui o segundo melhor IDH da microrregião do Jauru. Se o município continuar no mesmo ritmo de crescimento que apresentou de 1991 até 2000, então terá um IDH acima de 0.800 em 2010.

Clima[editar | editar código-fonte]

Mirassol d'Oeste possui um clima tropical subúmido, ou seja, um período seco e outro úmido bem definidos. O período das chuvas, ou úmido, inicia-se na primavera indo até o final do verão; e o período seco inicia-se no outono indo até o final do inverno. O primeiro período está associado a alta umidade relativa do ar e ao calor, quando a tempeartura pode chegar aos 40°C. O segundo período caracteriza-se pelas neblinas de outono, eventuais dias frios, noites e madrugadas amenas ou frias, e pela fumaça devido às queimadas. As geadas são raras.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia expressiva do município baseia-se no gado de corte e leiteiro e na produção de álcool. Possui um frigorífico, uma triparia de grande porte( indústria ), um laticínio, uma granja (indústria) e uma usina-de-cana. As demais áreas da economia giram em torno do próprio comércio local, atendendo às necessidades de toda a Microrregião de Jauru. Mirassol d'Oeste funciona como um minipólo à Microrregião de Jauru, sendo o pólo a cidade de Cáceres.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Mirassol d'Oeste possui uma estrutura urbana de uma cidade pequena de interior. No setor de lazer conta com clubes; recinto; pista de motocross. No setor de transportes conta com duas rodoviárias; aeroporto de pequeno porte; três linhas de ônibus circulares, sendo uma municipal e duas intermunicipais, conectando a cidade a São José dos Quatro Marcos e a Curvelândia; e ainda viagens diárias às cidades da região e à capital Cuiabá. Linhas interestaduais ligam o município aos estados de Rondônia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo, incluindo a capital deste estado. No setor de comunicação conta com uma afiliada à Rede Record, a TV Regional, além de emissoras de rádio e empresas de telefonia celular.

Ciência[editar | editar código-fonte]

A primeira vez que um trabalho científico realizado no país confirmou solidamente a ocorrência de uma glaciação global na América do Sul, foi feito no município de Mirassol d'Oeste, em 2001. A pesquisa que faz parte da tese de doutorado pela USP, de Afonso César Rodrigues Nogueira, da Ufam, revelou que no período Neoproteozóico, compreendido entre 600 e 570 milhões de anos atrás, a região foi submetida a uma tempearatura de 50°C negativos, aniquilando quase totalmente a vegetação, sobrevivendo apenas poucos organismos, como as cianobactérias, que resistiam à água gelada. No final desse período, a região foi submetida à temperatura de 50°C positivos. Foi justamente essa mudança brusca que deixou marcas no relevo de Mirassol d'Oeste. O estudo, realizado pela USP, em colaboração com a UFPE e as Universidades Federais do Amazonas (Ufam) e do Pará (UFPA), se baseou na análise de amostras de rochas coletadas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.