Miss Brasil 2003

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Miss Brasil 2003
Vila Olímpia.JPG
O bairro nobre de Vila Olímpia sediou o evento deste ano.
Data: 26 de Abril de 2003
Apresentadores: Marcos Mion e Astrid Fontenelle
Atrações Musicais: Daniela Mercury, Fábio Jr. e
Wanessa Camargo
Local: Via Funchal, São Paulo, SP
Emissora: Band
Candidatas: 27
Vencedora: Gislaine Ferreira
Representou: Tocantins Tocantins

Miss Brasil 2003 foi a 49ª edição do concurso tradicional que escolhe a representante brasileira para que esta represente sua cultura e país no Miss Universo. O evento foi realizado no dia 26 de abril no Via Funchal, em São Paulo. A Miss Brasil do ano anterior, catarinense Taísa Thömsen, coroou Gislaine Ferreira do Tocantins. Foi o primeiro concurso transmitido a nível nacional e ao vivo pela Rede Bandeirantes. Contou com a apresentação de Marcos Mion e Astrid Fontenelle. Teve como atrações musicais a cantora Daniela Mercury, o cantor e ator Fábio Jr. e a cantora Wanessa. [1]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Colocações[editar | editar código-fonte]

Posição Estado e Candidata
Miss Brasil 2003
2º. Lugar
  • Goiás Goiás - Lara Andressa de Brito
3º. Lugar
  • Pará Pará - Carlessa Macedo da Rocha
4º. Lugar
5º. Lugar
(TOP 10)
Semifinalistas

Premiações Especiais[editar | editar código-fonte]

  • Ainda continuava somente uma premiação especial:
Prêmio Estado e Candidata
Miss Simpatia
  • Ceará Ceará - Jacqueline Oliveira

Ordem dos Anúncios[editar | editar código-fonte]

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Repercussão na Mídia[editar | editar código-fonte]

Polêmica da Vitória[editar | editar código-fonte]

  • Logo após ser coroada como nova detentora do título de mais visibilidade no país, a mineira representante de Tocantins no concurso, Gislaine Rodrigues Ferreira foi acusada de não ter nascido no estado e mesmo assim ter ganho o concurso. O assunto ganhou dimensões sensacionalistas na imprensa, principalmente em jornais como o Diário de São Paulo, controlado pelas Organizações Globo, e revistas como a Veja e a Quem Acontece, que publicaram críticas ferrenhas ao Miss Brasil. Devido a repercussão, a vitoriosa e o coordenador do concurso, então Boanerges Gaeta Jr., foram no programa Domingo Legal, comandado por Gugu Liberato para desmentir e informar ao público que Gislaine realmente não é tocantinense de nascimento, mas que seu pai possui uma fazenda no estado. Apesar dos ataques da imprensa, Gislaine não se abalou, ficou entre as 10 semifinalistas do Miss Universo daquele ano. [2] [3] [4]

Audiência[editar | editar código-fonte]

  • A primeira transmissão do concurso nacional pela Band rendeu média de 7 pontos e pico de 12. Até então, as únicas experiências da rede paulista no campo dos concursos de beleza foram em 1982 (num quadro do Boa Noite Brasil de Flávio Cavalcanti), no Miss Brasil Mundo em 1991 apresentado por Emílio Surita e no VT do Miss Mundo 1991, levado ao ar apenas no horário nobre do sábado, 26 de janeiro de 1992. A média foi considerada boa para o horário em que foi transmitido o show. A rede figurou na terceira posição entre as emissoras mais assistidas da capital paulista. [5] [6]

Crossovers[editar | editar código-fonte]

Miss Intercontinental
Miss Globo Internacional
Rainha Hispano Americana

Referências

  1. Miss Tocantins é a nova Miss Brasil 2003 Terra. Página visitada em 13-01-2014.
  2. Miss Brasil 2003 representou o Tocantins mas é de Minas Gerais Babado IG. Página visitada em 13-01-2014.
  3. Concurso Miss Brasil é alvo de denúncia Estadão. Página visitada em 13-01-2014.
  4. Miss Brasil 2003! Manda tudo pro Iraque! Folha de S. Paulo. Página visitada em 13-01-2014.
  5. Miss Brasil resgata glamour do passado Folha Online. Página visitada em 13-01-2014.
  6. Band transmite concurso Miss Brasil 2003 Folha Online. Página visitada em 13-01-2014.