Mo Johnston

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mo Johnston
Informações pessoais
Nome completo Maurice Thomas Giblin Johnston
Data de nasc. 30 de Abril de 1963 (50 anos)
Local de nasc. Glasgow,  Reino Unido
Altura 1,70
Apelido MoJo
Informações profissionais
Clube atual sem clube
Posição Atacante (aposentado), técnico, dirigente
Clubes de juventude
1980 Escócia Milton Battlefield
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1981–1984
1983–1985
1984–1987
1987–1989
1989–1991
1991–1993
1993–1994
1994–1996
1996–2001
Escócia Partick Thistle
Inglaterra Watford
Escócia Celtic
França Nantes
Escócia Rangers
Inglaterra Everton
Escócia Heart of Midlothian
Escócia Falkirk
Estados Unidos Kansas City Wizards
085 (41)
038 (23)
140 (52)
066 (22)
100 (46)
034 (10)
035 0(5)
041 0(6)
149 (31)
Seleção nacional
1984-1992 Flag of Scotland.svg Escócia 38 (14)
Times que treinou
2005-2006
2007-2008
Estados Unidos New York Red Bulls
Canadá Toronto FC

Maurice Thomas Giblin Johnston, mais conhecido como Mo Johnston (ou ainda MoJo), (30 de abril de 1963, Glasgow, Escócia) é um ex-futebolista e atualmente técnico escocês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

De família irlandesa e católica, começou sua carreira no time do Partick Thistle, em 1981, e lá marcou 41 gols em duas temporadas.

No ano seguinte, se transfere para o Watford (que ficou famoso por ser o time do cantor pop Elton John) e lá marcou 23 gols e levou a equipe à final e ao vice-campeonato da Copa da Inglaterra na temporada 1983-1984.

Celtic e Rangers[editar | editar código-fonte]

Em 1984, ele vai para o Glasgow Celtic e lá marca, em três anos, 55 gols e conquista a Copa da Escócia em 1985 e o Campeonato Escocês em1986.

Em 1987, vai para Nantes, marca 22 gols em duas temporadas e anuncia que não iria voltar à Escócia, mas reconsidera e diz que vai assinar com o Celtic.

Porém, em 1989, muda de ideia e toma a decisão que irá mudar toda a sua vida: assina com o arquirival do Celtic, o Glasgow Rangers.

Parênteses: a questão religiosa[editar | editar código-fonte]

Aqui fazemos um "parênteses" para explicar a chamada questão religiosa que envolve Celtic e Rangers e que pode ajudar a entender a situação de Johnston.

Além da grande rivalidade entre os clubes, da mesma cidade escocesa, as torcidas também trazem consigo questões alheias ao futebol. As torcidas defendem duas filosofias político-religiosas antagônicas em suas respectivas histórias.

O Rangers é um clube no qual boa parte de seus torcedores é devoto do Anglicanismo, ou seja, seguidores político-religiosos da Rainha da Inglaterra. Sua torcida traz uma grande bandeira, onde está pintado o rosto da Rainha Elizabeth II, a atual líder anglicana. Veneram o UVF (grupo terrorista protestante do Ulster).

O Celtic, por sua vez, é o clube predileto dos escoceses de religião católica e dos irlandeses residentes na Escócia. E ainda tem torcedores nas duas Irlandas. Sua torcida, por outro lado, exibe uma bandeira alviverde com o retrato do Papa Francisco, e exaltam o IRA (grupo terrorista católico).

Esta rivalidade muitas vezes atravessa as tênues fronteiras do enfrentamento saudável, provocando brigas entre as torcidas, o que acaba ferindo e até vitimando muitos torcedores de ambos os lados.

Nos últimos anos, ambas as equipes se engajam em movimentos para acabar definitivamente com esse sectarismo.

Voltando a Johnston[editar | editar código-fonte]

No Rangers, Johnston venceu por duas vezes o Campeonato Escocês, em 1990 e 1991 e ainda marcou 46 gols em 100 jogos.

Mesmo tendo sucesso no gramados, Johnston teve de se mudar para a cidade de Edimburgo quando percebeu que a sua integridade física estava ameaçada, pois torcedores do Celtic alegavam que ele era um Judas e torcedores do próprio Rangers também o ameaçavam por ser católico.

Ainda em 1991, transfere-se para o clube inglês Everton, marcando 10 gols em duas temporadas.

Retorna à Escócia em 1993, agora para jogar nos pequenos Hearts e Falkirk marcando, respectivamente, em cada clube, 5 e 6 gols.

Viagem aos EUA e nova vida[editar | editar código-fonte]

Como não tinha sossego em sua terra natal, Johnston assina, em 1996, contrato com o Kansas City Wizards, equipe estadunidense da então recém-fundada MLS, a liga de futebol local.

Em sua nova equipe na América, além de ter paz, marca 31 gols em 149 jogos, vence a MLS Cup e a MLS Supporters' Shield, ambos em 2000 e encerra a carreira de jogador no ano seguinte.

Técnico e dirigente[editar | editar código-fonte]

Começa a carreira de técnico, em 2003, primeiro como auxiliar do técnico estadunidense Bob Bradley do MetroStars e assume o time após a demissão de Bradley em 2005 e fica nele até 2006.

Nesse mesmo ano é contratado como técnico da recém-fundada equipe canadense de futebol Toronto FC e faz sua estréia oficial, juntamente com seu time, na MLS, em 7 de abril de 2007. Em 2008, deixou de ser técnico para ser gerente e diretor de futebol do time. Em 2010, foi exonerado do cargo pela diretoria do Toronto devido aos maus resultados da equipe na temporada.

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Em 15 de novembro de 2009, Johnston foi incluso no hall da fama do futebol escocês.[1]

Seleção da Escócia[editar | editar código-fonte]

Johnston jogou pela Seleção da Escócia, entre 1984 e 1992, 38 partidas e marcou 14 gols.

Não convocado para a Copa de 1986, no México, disputou a Copa de 1990 e marcou um gol contra a Suécia.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Jogador

Escócia Celtic

Escócia Rangers

Estados Unidos Kansas City Wizards

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Inglaterra Watford

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Na Copa do Mundo de 1990, Johnston e a Seleção da Escócia enfrentaram o Brasil na primeira fase da competição. A Escócia perdeu por 1x0.
  • No final da partida, Johnston quase marca contra o Brasil. Só não fez o gol graças a uma grande defesa do goleiro brasileiro Taffarel.
  • Johnston e o Toronto FC finalmente estrearam, em 7 de abril de 2007, na MLS, mas não foram felizes: perderam, em casa, para o Chivas USA por 2x0.
  • Johnston tem um blog no qual comenta os jogos do Toronto FC [1].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]