Mobilidade social

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Por mobilidade social entende-se toda a passagem de um indivíduo ou de um grupo de uma posição social para outra, dentro de uma constelação de grupos e de status sociais. É o conceito que estuda a mudança de posição do indivíduo na sociedade.

Tipos de Mobilidade Social[editar | editar código-fonte]

A mobilidade social é um campo de estudo da sociologia bastante usado para a compreensão das formas pelas quais os diferentes grupos humanos diferenciam os integrantes de uma mesma cultura. De forma mais específica, a mobilidade tem a importante função de pensar as vias e possibilidades de troca, ascensão ou rebaixamento que um determinado indivíduo possui no meio em que estabelece suas relações.

Em algumas sociedades a questão da mobilidade é tida como inexistente, principalmente naqueles casos em que a posição de um indivíduo é preservada ao longo de toda a sua existência. Na ausência de mobilidade, alguns estudiosos costumam classificar uma sociedade como estratificada. Um dos mais reconhecidos exemplos utilizados para esse tipo de situação é observado no interior da sociedade feudal, onde clérigos, nobres e servos dispunham de uma mesma posição ao longo da existência.

A ideia de estratificação é contaminada por diversos problemas de definição e outros limites que nos mostram que é extremamente complicado afirmar que não há nenhum tipo de mobilidade em determinada coletividade. Sujeitos à transformação de seus costumes e a outras mudanças de caráter histórico, um grupo social passa a elaborar outros meios de organização que desestabilizam e ressignificam a hierarquia social outrora atribuída pelos sujeitos.

Na era moderna, a disseminação dos valores liberais transformaram o conceito de mobilidade social em uma meta política para as nações guiadas por princípios democráticos. Os números de desenvolvimento social e econômico enxergam na mobilidade ascendente um claro indício do acúmulo e distribuição menos desigual da riqueza entre a população. Contudo, não podemos restringir a concepção de mobilidade somente à variação das condições materiais que uma pessoa tem ao longo de sua vida. No entanto, a mobilidade individual dominante no mundo é vista como um problema, sendo que o investimento em mobilidade coletiva é vista como a solução para combater o caos do trânsito.[1]

Em algumas culturas, podemos notar que a posição social de um indivíduo pode estar atrelada à sua descendência familiar ou algum tipo de papel político-religioso desempenhado. Para ilustrar isso podemos apontar que, em determinadas culturas, o poder decisório de um sacerdote não é o mesmo de um rico comerciante. Com isso, compreendemos que a mobilidade social é um conceito dinâmico que deve ser definido a partir das informações recolhidas dentro da sociedade que é investigada.

A mobilidade social horizontal: Alterações no estatuto social mas que não provocam mudança de classe ou de estrato social. É o caso de uma pessoa que pelo casamento obtém um estatuto diferente (o de casado) mas continua no mesmo estrato social.

A mobilidade social vertical: Está relacionada com a constituição de classes sociais e o surgimento dos valores de ascensão social. A estratificação social altera profundamente os padrões de sociabilidade, que passam a se assentar na solidariedade grupal a partir do desempenho de funções produtivas semelhantes.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Côr e Mobilidade Social Em Florianópolis - Fernando Henrique Cardoso / Octavio Ianni - 1960 - Companhia Editora Nacional
  • História e teoria social - P Burke - 2002 - Editora da UNESP
  • Educação e Diferenças Raciais na Mobilidade. Ocupacional no Brasil. Carlos Hasenbalg. IUPERJ. Nelson do Valle Silva. LNCC/IUPERJ
  • Bourdieu, Pierre. 1984. La distinción. Madrid: Taurus (em espanhol)
  • Crompton, Rosemary 1994. Clase y Estratificación. Una introducción a los debates actuales. Madrid: Tecnos (em espanhol)
  • Erikson, R. and J. Goldthorpe. 1993. The Constant Flux: A Study of Class Mobility in Industrial Societies Oxford: Clarendon Press (em inglês)
  • Gargarella, Roberto (Compilador). Derecho y grupos desaventajados. Gedisa Editorial (em espanhol)
  • Goldthorpe, J. et. al. 1987. Social Mobility and Class Structure in Modern Britain. Second Edition. Oxford: Clarendon Press. (em inglês)
  • Wright, Erik Olin. 1983. Clase, crisis y estado. Madrid: Siglo XXI de España. (em espanhol)
  • Wright, Erik Olin. 1992. Reflexionando, una vez más, sobre el concepto de estructura de clases. Zona Abierta, Nº 59-60. Madrid.(em espanhol)

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.stm.sp.gov.br/index.php/transporte-coletivo-x-individual/1584-a-dimensao-social-da-mobilidade-urbana
Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.