Moimir I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Moimir I
Duque da Morávia
Mojmir kniieza Velkomoravske.jpg
Moimir I numa nota de dinheiro eslovaca de 1944.
Governo
Reinado década de 820 ou 830 — 846
Sucessor Rastislau
Dinastia Casa de Moimir
Vida
Morte 846
Pai Moimir (?)

Mojmir I ou Moimir I[1] (em latim: Moimarus; tcheco e eslovaco: Mojmír I.) foi o primeiro monarca conhecido dos eslavos da Morávia[2] [3] e o fundador da Casa de Moimir. Para os estudiosos modernos, a criação do estado conhecido como "Grande Morávia" na Alta Idade Média é atribuído ou a ele ou às políticas expansionistas dos seus sucessores[4] [5] . Ele foi deposto em 846 por Luís, o Germânico, o rei da Frância Oriental[6] .

Contexto[editar | editar código-fonte]

A partir da década de 570, os ávaros dominaram uma grande área que se estendia dos Cárpatos orientais até os Alpes orientais na Europa central[7] . As tribos eslavas que viviam na região foram obrigadas a pagar-lhes tributos, mas a resistência começou já no início do século VII[7] [8] . Primeiro entre os que habitavam a região onde hoje está Viena, Áustria, que se libertaram em 623-624[8] [9] sob o comando de um comerciante franco chamado Samo, cujo reinado duraria pelo menos 35 anos[8] [9] . Contudo, quando ele morreu, em algum momento entre 658 e 669, seu principado desapareceu sem deixar vestígios[8] [10] .

Mapa da fronteira moderna entre a República Tcheca e a Eslováquia mostrando as terras do Principado da Morávia de Moimir I (em verde) e as do Principado de Nitra de Pribina (em azul) por volta de 833.

Seria necessário mais um século e meio para que os ávaros fossem finalmente derrotados entre 792 e 796 por Carlos Magno, o monarca do Império Franco[11] . Num curto espaço de tempo, uma série de principados eslavos emergiram na região do Médio Danúbio[12] . O principado morávio apareceu pela primeira vez em 822, quando os morávios, de acordo com os "Anais Reais Francos", pagaram tributo ao filho de Carlos Magno, o imperador Luís, o Piedoso[12] [13] .

Reinado[editar | editar código-fonte]

Moimir I apareceu na Morávia durante a década de 820[14] . Se ele foi o primeiro monarca a unir as tribos eslavas da região num estado maior ou se ele meramente ganhou proeminência como resultado de uma situação política que mudava rapidamente, não se sabe[14] . Mesmo assim, ele teve "predecessores", pelo menos de acordo com uma carta escrita por volta de 900 pelos bispos da Baviera ao papa[15] .

A suposição de que Moimir I tenha sido batizado entre 818 e 824 baseia-se em evidências indiretas, particularmente na datação de uma igreja cristã em Mikulčice (República Tcheca) no primeiro quarto do século IX[16] . Embora esta ideia ainda seja tema de debates acadêmicos, a "História dos Bispos de Passau" relatou um batismo em massa entre os morávios em 831 comandado pelo bispo Reginhar de Passau[17] [18] . Ainda assim, o santuário pagão em Mikulčice continuou a ser utilizado sem interrupção até pelo menos meados do século[18] .

As fronteiras do estado morávio de Moimir I não são precisas[19] . Sabe-se, contudo, que os morávios estavam com certeza se expandindo na década de 830[4] . Quando o documento conhecido como "Catálogo das Fortalezas e Regiões ao Norte do Danúbio" foi compilado, entre 844 e 862, os morávios já detinham onze fortalezas na região[20] . De forma similar, a "Conversão dos Bávaros e Carantanianos", uma obra histórica escrita em 870, relata que, por volta de 833, um governante eslavo local, Pribina, foi "expulso para além do Danúbio por Moimir, duque dos morávios"[17] [21] [22] . Pribina era ou o monarca de um outro principado sérvio ou um dos subordinados rebeldes de Moimir I[17] . Historiadores modernos, ainda que não unanimemente, identificam as terras de Pribina ("in Nitrava ultra Danubium") com a moderna Nitra (Eslováquia)[23] [4] [24] [25] (veja Principado de Nitra).

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Moimir se aproveitou da guerra civil no Império Carolíngio para se revoltar contra o domínio franco na década de 840[23] . Por conta disso, seu poder cada vez maior se tornou uma séria ameaça ao governo de Luís, o Germânico, o rei da Frância Oriental[23] . Os francos finalmente invadiram a Grande Morávia em meados de agosto de 846[24] e encontraram pouca resistência para depor Moimir I[26] . Ele pode ter fugido ou ter sido morto durante a invasão[26] , mas é certo que um parente dele, Rastislav, foi nomeado novo monarca vassalo da Morávia[24] .

[Luís, o Germânico] partiu por volta de meados de agosto com um exército para enfrentar os eslavos da Morávia, que estavam planejando desertar. Lá, ele arranjou e consolidou a questão como desejava e colocou Rastiz, um sobrinho de Moimar, como um duque sobre eles
 
Anais de Fulda (ano 846)[27] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Moimir I
Títulos de nobreza
Novo título Duque da Morávia
década de 830–846
Sucedido por:
Rastislav

Referências

  1. Róna-Tas, András (1999). Hungarians and Europe in the Early Middle Ages: An Introduction to Early Hungarian History. CEU Press. p. 243.
  2. Vlasto, 1970, p. 20.
  3. Goldberg, 2006, p. 138.
  4. a b c Barford 2001, p. 109.
  5. Kirschbaum 2007, p. 194.
  6. Kirschbaum 2007, pp. 180., 194.
  7. a b Barford 2001, p. 57.
  8. a b c d Spiesz et al. 2006, p. 17.
  9. a b Barford 2001, p. 79.
  10. Kirschbaum 2007, p. 248.
  11. Kirschbaum 2007, p. 3.
  12. a b Bowlus 1994, p. 6.
  13. Goldberg 2006, pp. 137., 354.
  14. a b Vlasto 1970, p. 20.
  15. Vlasto 1970, pp. 20., 325.
  16. Vlasto 1970, pp. 23-24.
  17. a b c Vlasto 1970, p. 24.
  18. a b Sommer et al. 2007, p. 221.
  19. Vlasto 1970, p. 326.
  20. Goldberg 2006, pp. 135-136.
  21. Bowlus 1994, pp. 105-106.
  22. Goldberg 2006, pp. 16., 138.
  23. a b c Goldberg 2006, p. 138.
  24. a b c Spiesz et al. 2006, p. 20.
  25. Bowlus 1994, p. 105.
  26. a b Goldberg 2006, p. 140.
  27. Reuter 1992, p. 25.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Moimir I
  • Barford, P. M. (2001). The Early Slavs: Culture and Society in Early Medieval Eastern Europe. Cornell University Press. ISBN 0-8014-3977-9.
  • Bowlus, Charles R. (1994). Franks, Moravians and Magyars: The Struggle for the Middle Danube, 788–907. University of Pennsylvania Press. ISBN 0-8122-3276-3.
  • Goldberg, Eric J. (2006). Struggle for Empire: Kingship and Conflict under Louis the German, 817–876. Cornell University Press. ISBN 978-0-8014-7529-0.
  • Kirschbaum, Stanislav J. (2007). Historical Dictionary of Slovakia. Scarecrow Press, Inc. ISBN 978-0-8108-5535-9.
  • Reuter, Timothy (1992). The Annals of Fulda. Manchester University Press. ISBN 0-7190-3458-2.
  • Sommer, Petr; Třeštík, Dušan; Žemlička, Josef; Opačić, Zoë (2007). Bohemia and Moravia. In: Berend, Nora (2007); Christianization and the Rise of Christian Monarchy: Scandinavia, Central Europe and Rus’, c. 900–1200; Cambridge University Press; ISBN 978-0-521-87616-2.
  • Spiesz, Anton; Caplovic, Dusan; Bolchazy, Ladislaus J. (2006). Illustrated Slovak History: A Struggle for Sovereignty in Central Europe. Bolchazy-Carducci Publishers, Inc. ISBN 978-0-86516-426-0.
  • Vlasto, A. P. (1970). The Entry of the Slavs into Christendom: An Introduction to the Medieval History of the Slavs. Cambridge University Press. ISBN 0-521-07459-2.