Moinho de Maré de Corroios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Moinho de Maré de Corroios

O Moinho de Maré de Corroios, também chamado Moinho do Castelo, é um moinho de maré construído em 1403 por ordem de D. Nuno Álvares Pereira.

Doado ao Convento do Carmo, foi ampliado no início do século XVIII após ter sofrido grandes danos no terramoto de 1755. Na sequência da extinção das ordens religiosas, o moinho foi incorporado na Fazenda Nacional tendo sido adquirido, em 1836, por João Luís Lourenço.

No início do século XX o moinho foi igualmente utilizado para o descasque de arroz.

Em 1980 foi adquirido pela Câmara Municipal do Seixal, que o restaurou e abriu ao público como parte do seu Ecomuseu Municipal1 .

O Moinho de Corroios é dos raros que se mantém em funcionamento na área do Estuário do Tejo.

Referências

  1. «Moinho de Maré de Corroios», in Metrópoles.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.