Monsanto (Idanha-a-Nova)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Monsanto  
—  freguesia portuguesa extinta  —
Vista da aldeia com suas casas graníticas
Vista da aldeia com suas casas graníticas
Monsanto está localizado em: Portugal Continental
Monsanto
Localização de Monsanto em Portugal Continental
40° 02' 22" N 7° 06' 51" O
Concelho primitivo Idanha-a-Nova
Concelho (s) atual (is) Idanha-a-Nova
Freguesia (s) atual (is) Monsanto e Idanha-a-Velha
Extinção 2013
Área [1]
 - Total 131,95 km²
População (2011)[2]
 - Total 829
    • Densidade 6,3/km2 
Orago Divino Salvador

Monsanto (ou Monsanto da Beira) é uma freguesia portuguesa do concelho de Idanha-a-Nova, com 131,95 km² de área e 829 habitantes (2011). Densidade: 6,3 hab/km².

Foi sede de concelho entre 1174 e 1853.[3] Era constituído pelas freguesias da sede, Aldeia de João Pires, Aldeia do Salvador e Toulões. Tinha, em 1801, 2 139 habitantes.

Foi sede de uma freguesia extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, para, em conjunto com Idanha-a-Velha, formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Monsanto e Idanha-a-Velha da qual é a sede.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Monsanto e a vista sobre os arredores da aldeia.

Aldeia histórica de Portugal, Monsanto é construída em pedra granítica.

Monsanto, avista-se na encosta de uma grande elevação escarpada, designada de o Cabeço de Monsanto (Mons Sanctus). Situa-se a nordeste de Idanha-a-Nova e irrompe repentinamente do vale. No ponto mais alto o seu pico atinge os 758 metros. A presença humana neste local data desde o paleolítico. A arqueologia diz-nos que o local foi habitado pelos romanos, no sopé do monte. Também existem vestígios da passagem visigótica e árabe. Os mouros seriam derrotados por D. Afonso Henriques[5] e, em 1165, o lugar de Monsanto foi doado à Ordem dos Templários que sob orientações de Gualdim Pais, que mandou construir o Castelo de Monsanto. O foral foi concedido pela primeira vez em 1174 pelo Rei de Portugal e rectificado, sucessivamente, por D. Sancho I (em 1190) e D. Afonso II (em 1217).

Foi D. Sancho I quem repovoou e reedificou a fortaleza que, entretanto, fora destruída nas lutas contra o Reino de Leão. Seriam novamente reparadas um século mais tarde, pelos Templários.

Em 1308, o Rei D. Dinis deu Carta de Feira e, em 1510, seria El Rei D. Manuel I a outorgar de novo foral e concedendo à aldeia a categoria de vila.

Em meados do século XVII, Luís de Haro (ministro de Filipe IV de Espanha), tenta cercar Monsanto, mas sem sucesso. No século XVIII, o Duque Berwik também cerca Monsanto, mas o exército português comandado pelo Marquês de Mina derrota o invasor nas difíceis escarpas que se erguem até ao Castelo. Monsanto foi sede de concelho no período 1758-1853. Em 1815 um grave acidente, provocado por um raio destruiu o seu Castelo medieval, pela explosão do paiol de munições.[6]

Nas últimas décadas, Monsanto tornou-se popularmente conhecida como "a aldeia mais portuguesa de Portugal", exibindo o Galo de Prata, troféu da autoria de Abel Pereira da Silva, cuja réplica permanece até hoje no cimo da Torre do Relógio ou de Lucano.[5]

Património[editar | editar código-fonte]

Arquitectura religiosa[editar | editar código-fonte]

Capela de Santa Maria do Castelo
Capela de São Miguel do Castelo

Arquitectura militar[editar | editar código-fonte]

Arquitectura civil pública[editar | editar código-fonte]

Arquitectura civil privada[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Monsanto (Idanha-a-Nova)

Referências

  1. Instituto Geográfico Português. Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2012.1. "descarrega ficheiro zip/Excel"
  2. População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano) (em português) Instituto Nacional de Estatística. Página visitada em 28 de Fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013. "Informação no separador "Q601_Centro""
  3. Paróquia de Monsanto Arquivo Distrital da Castelo Branco. Página visitada em 2 de Abril de 2014.
  4. Lei n.º 11-A/2013 (Reorganização administrativa do território das freguesias) Diário da República 1.ª Série, n.º 19, de 28 de janeiro. Página visitada em 2 de fevereiro de 2013..
  5. a b c Aldeia Velha de Monsanto IGESPAR. Página visitada em 2 de Abril de 2014.
  6. Castelo e Muralhas de Monsanto SIPA. Página visitada em 2 de Abril de 2014.
  7. Castelo e muralhas de Monsanto IGESPAR. Página visitada em 2 de Abril de 2014.
  8. Pelourinho de Monsanto IGESPAR. Página visitada em 2 de Abril de 2014.