Monstro de Frankenstein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde junho de 2014).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Monstro de Frankenstein
Boris Karloff em uma clássica interpretação do monstro de Frankenstein.
Nome original Monstro de Frankenstein
Outro(s) nome(s) "Frankenstein", "The Monster", "The Creature", "The Wretch", "Adam Frankenstein" e outros
Sexo Masculino
Espécie Clone, morto-vivo
Criado por Mary Shelley
Primeira aparição Frankenstein; or, The Modern Prometheus
Interpretado por Vários:
Charles Stanton Ogle
Boris Karloff
Christopher Lee
Peter Boyle
Robert De Niro

O monstro de Frankenstein (também chamado de Adam, Monstro, Criatura de Frankenstein ou apenas Frankenstein) é um personagem fictício que apareceu pela primeira vez em 1818 no romance Frankenstein; or, The Modern Prometheus de Mary Shelley. Na cultura popular, a criatura é muitas vezes referida como "Frankenstein" devido ao seu criador Victor Frankenstein, porém na novela a criatura não tem nome. Também é variadamente referido como "criatura", "demônio", "espectro", "desgraçado", "diabo", "coisa", "ser" e "ogro" na novela.[1]

Como na história de Mary Shelley, anonimato do monstro se tornou uma parte central das adaptações para o teatro em Londres e Paris, durante as décadas posteriores a primeira aparição do romance. A própria Shelley assistiu a uma apresentação de Presumption, a primeira adaptação teatral de sucesso de seu romance. "O projeto da peça me divertiu muito, pois na lista de dramatis personæ veio _________, pelo Sr. T. Cooke", ela escreveu para seu amigo Leigh Hunt. "Este modo sem nome de nomear o inominável é bastante bom".[2]

Em uma década de publicação, o nome do criador - Frankenstein - foi usado para se referir ao monstro, mas tornou-se firmemente estabelecido após a série cinematográfica da Universal Studios, estrelada por Boris Karloff que popularizou a história na década de 1930. O filme foi em grande parte baseado em uma adaptação para o teatro em 1927 por Peggy Webling.[3] Frankenstein de Webling realmente dá a sua criatura o seu nome. O filme da Universal tratou a identidade do monstro em uma maneira similar ao romance de Shelley: o nome do ator, não o personagem, está escondido por um ponto de interrogação. No entanto, a criatura logo tornou-se mais conhecida no imaginário popular como "Frankenstein". Esse uso é, por vezes, considerado errôneo, mas comentaristas de uso consideram o sentido do monstro de "Frankenstein", como bem estabelecido e não um erro. [4] [5]

Referências

  1. Baldick, Chris. In Frankenstein's shadow: myth, monstrosity, and nineteenth-century writing. Oxford: Clarendon Press, 1987. ISBN 0198117264 ISBN 9780198117261
  2. Haggerty, George E.. Gothic Fiction/Gothic Form. University Park: Pennsylvania State University Press, 1989. 37 pp. ISBN 0271006455 ISBN 9780271006451
  3. Hitchcock, Susan Tyler. Frankenstein: a cultural history. New York: W. W. Norton, 2007. ISBN 0393061442 ISBN 9780393061444
  4. Evans, Bergen. Comfortable Words. Random House: New York, 1962.
  5. Garner, Bryan A.. A dictionary of modern American usage. New York: Oxford University Press, 1998. ISBN 0195078535 ISBN 9780195078534

Ligações externas[editar | editar código-fonte]