Monte Alegre (Pará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Monte Alegre - Pará
"Monte Alegre, Pará"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 15 de março
Fundação 15 de Março de 1880[1]
Gentílico monte-alegrense[1]
Lema Construindo uma Cidade Feliz
Prefeito(a) Raimundo Sérgio de Souza Monteiro (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Monte Alegre - Pará
Localização de Monte Alegre - Pará no Pará
Monte Alegre - Pará está localizado em: Brasil
Monte Alegre - Pará
Localização de Monte Alegre - Pará no Brasil
02° 00' 28" S 54° 04' 08" O02° 00' 28" S 54° 04' 08" O
Unidade federativa  Pará
Mesorregião Baixo Amazonas IBGE/2008 [2]
Microrregião Santarém IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Prainha e Alenquer
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 21 703,027 km² [3]
População 55 459 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 2,56 hab./km²
Altitude 38 m
Clima quente e úmido vc
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,589 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 269 104,953 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 4 235,01 IBGE/2008[6]
Página oficial
Prefeitura prefeiturademontealegre.pa.gov.br

Monte Alegre é um município brasileiro do estado do Pará. Localiza-se a uma latitude 02º00'28" sul e a uma longitude 54º04'09" oeste, estando a uma altitude de 38 metros. Sua população estimada em 2010 era de 55 459 habitantes.

Possui uma área de 20066,39 km². Elevado à condição de vila em 1758 e cidade e sede municipal em 1880.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A data de origem do município é desconhecida, sabe-se, que a catequese dos índios era feita à margem esquerda do rio Amazonas e os frades de Piedade criaram um núcleo com os índios da aldeia de Gurupatuba. Assim, foi construída a freguesia de São Francisco de Assis e, posteriormente, elevada à vila, com a denominação portuguesa de Monte Alegre, pelo capitão-general Francisco Xavier de Mendonça Furtado, em 27 de fevereiro de 1758.

Em 1765, a vila era dirigida pelo tenente Manoel Lobo de Almada, posteriormente substituído por João Gutteres de Cartenes. No último período da colonização, a vila retrocedeu um pouco, passando, na Independência, nessa categoria, no ano de 1880. A Lei nº 970, de 15 de março, elevou a sede do município à condição de cidade.

Conforme disposição do Decreto nº 6, de 4 de novembro de 1930, o município foi mantido, situação que foi confirmada no quadro da divisão administrativa relativo ao ano de 1933, ocasião em que aparece constituído somente pelo distrito-sede, que figura entre os municípios do Estado, mencionado pela Lei nº 8, de 31 de outubro de 1935.

Pelos quadros da divisão territorial de 1936-1937, o município está constituído de dois distritos: Monte Alegre e Maicuru, o que não ocorre com o anexo ao Decreto-Lei nº 2.972, de 31 de março de 1938, onde aparece formado apenas pelo distrito de Monte Alegre, que estava dividido em duas zonas: Monte Alegre e Maicuru.

Em face ao Decreto-Lei nº 3.131, de 31 de outubro de 1938, parte da zona de Tapará, que pertencia a Santarém, foi incorporada a Monte Alegre, apresentando-se na divisão territorial, em vigor no período de 1939-1943, com um único distrito composto de três zonas: Monte Alegre, Maicuru e Costa do Tapará.

Também consta da divisão territorial, estabelecida pelo Decreto-Lei nº 4.505, de 30 de dezembro de 1943, para o período de 1944-1948, o município constituído apenas do distrito-sede permanece assim até hoje


HINO DE MONTE ALEGRE[editar | editar código-fonte]

Letra por Acylino D'Almeida Lins Melodia por Wilson dias Fonseca

Monte Alegre feliz e altaneiro De montanhas e prados sem fim, És pedaço do chão brasileiro És sublime e encantado jardim. Em teus lagos, rios e florestas Onde os filhos com passo seguro, Em perene alegria de festas, Arquitetam teu grande futuro.

Teu clima suave e ameno, Teus imensos horizontes Fazem de ti um encanto, Sob o céu sempre sereno.

As belas canções das tuas fontes Afastam a dor e o pranto

Pecuária e lavoura em boa terra, Águas ricas de farto pescado, Mais as fontes que o solo encerra, São presentes que vem do passado. Saberemos levar-te pra frente. Monte Alegre, com força viril, Confirmando o valor de tua gente Que te quer integrado ao Brasil.

Teu clima suave e ameno, Teus imensos horizontes Fazem de ti um encanto, Sob o céu sempre sereno.

As belas canções das tuas fontes Afastam a dor e o pranto

Bairros[editar | editar código-fonte]

Os principais bairros da cidade são:

  • Planalto
  • Papagaio
  • Terra Amarela
  • Cidade Alta
  • Pajuçara
  • Areia Branca

Referências

  1. a b Monte Alegre (PDF). IBGE. Página visitada em 26/04/2011.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 21 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.