Monumento al Ahogado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Monumento al Ahogado
Autor Mario Irarrázabal
Data 1982
Técnica Concreto[1] e plástico
reforçado com aço[2]
Localização
Parada 4 na Praia Brava, Punta del Este

O Monumento al Ahogado[3] (em português: Monumento ao Afogado) é uma escultura de cinco dedos parcialmente enterrados na areia, localizada na Parada 4, na Praia Brava[2] em Punta del Este, um popular balneário do Uruguai. É coloquialmente referida por: Monumento Los Dedos[3] (Monumento os Dedos) ou La Mano[4] (A Mão).

É uma escultura famosa[4] que tornou-se um símbolo de Punta del Este, desde a sua conclusão em fevereiro de 1982,[5] e, por sua vez tornou-se um dos marcos históricos mais famosos do Uruguai.

História[editar | editar código-fonte]

A escultura foi feita pelo artista chileno Mario Irarrázabal[6] durante o verão de 1982, enquanto ele participava do primeiro Encontro Anual Internacional de Escultura Moderna ao Ar Livre, em Punta del Este.[2] Havia nove escultores e ele era o mais jovem.[6] Houve uma disputa para os lugares atribuídos a uma praça pública, e ele decidiu então fazer suas esculturas na praia.[6] Inspirou-se a fazer uma escultura de uma mão durante um "afogamento", como uma advertência aos banhistas, uma vez que as águas das praias de La Barra possuem ondas muito fortes, ideais apenas para a prática do surfe, por outro lado, as águas em Solanas são muito mais adequadas para a prática da natação e atividades de windsurf.[3]

Apesar de Irarrázabal ter todo o verão para completar o projeto, ele conseguiu concluí-lo nos seis primeiros dias,[5] mesmo tendo enfrentado pequenos atrasos devido ao forte vento sudeste que é comum em Punta del Este.[2] O concreto e o plástico foram reforçados com barras de aço, malhas de metal, e um solvente resistente à degradação cobrindo o plástico do lado externo.[2]

Durante aquele verão, escultores de todo o mundo trabalharam em suas criações na praia, mas apenas a obra de Irarrázabal pode até hoje ser vista na praia.[5] Ela deu a Irarrázabal o reconhecimento mundial e é popularizada pelas fotografias dos turistas e reproduções em cartões-postais.[2] Mais tarde, ele fez réplicas exatas ou aproximadas da escultura para a cidade de Madrid (em 1987), no deserto do Atacama no Chile (1992), e em Veneza (1995).[5]

A mão não deixou seu lugar original, e se manteve praticamente intacta, exceto pela grafitagem no lado da palma dos dedos[2] feita em 2005.

Referências

  1. La Mano - Punta del Este, Uruguai
  2. a b c d e f g História do Monumento A Mão no welcomeuruguay.com
  3. a b c Verano ’08: Punta del Este - clásico uruguayo Clubs y Countries (revista argentina, em espanhol)
  4. a b Uma viagem ao fim do mundo - El Comercio (jornal peruano, em espanhol)
  5. a b c d Punta del Este: para extasiarse de belleza - La Capital (jornal argentino, em espanhol)
  6. a b c Sylvia Bustamante G. (12-10-2008). Mario Irarrázabal El Mercurio. (jornal chileno, em espanhol)

Ver também[editar | editar código-fonte]