Moto X

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde novembro de 2013).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Moto X
Fabricante Motorola Mobility
Tipo Smartphone
Lançamento 23 de agosto de 2013; há 34 semanas e 1 dia
Ecrã 4.7" diagonal 1280x720 (316 ppi) AMOLED
Câmara 10.5 megapixel
Segunda câmara 2.1 megapixel
Sistema operativo Android 4.2.2: Jelly Bean(já atualizado para o 4.4 KitKat)[1]
CPU 1.7 GHz dual-core Qualcomm Snapdragon S4 Pro + processador de linguagem natural e processador contextual
GPU Quad-core Adreno 320 @ 400 MHz
Memória interna 2 GB de RAM
Armazenamento 16 ou 32 GB
Conectividade GPS, Wi-Fi, NFC, Bluetooth, USB
Bateria 2200 mAh
Dimensões 129.3 mm de altura
65.3 mm de largura
10.4 mm de profundidade
Peso 130 gramas
Factor de forma Touchscreen

Moto X é um smartphone Android desenvolvido e fabricado pela Motorola Mobility. Lançado em agosto de 2013, Moto X é um dos primeiros novos produtos da empresa desde que foi adquirido pelo Google em 2012. Inicialmente desenvolvido como o "X Phone", o Moto X foi destinado principalmente para consumidores em geral, distinto pelos recursos de reconhecimento de voz e percepção contextual, possibilidade de pedir a personalização de cores da própria escolhas, e por ser montado nos Estados Unidos. [2]

História[editar | editar código-fonte]

Em 15 de agosto de 2011, o Google anunciou a sua intenção de adquirir a Motorola Mobility por 12,5 bilhões dólares, na época, a Motorola acabou de ter o quinto trimestre consecutivo de perdas, mais a Google também queria ter acesso ao portfólio da empresa de 17.000 patentes emitidas como um meio de defender seu sistema operacional móvel Android. Após o encerramento da aquisição, em 2012, começaram a circular rumores de que Google e Motorola estavam desenvolvendo um dispositivo conhecido internamente como "X Phone", que seria o próximo dispositivo carro-chefe da empresa. Os relatos indicaram que o dispositivo deveria ter um foco em funcionalidades exclusivas, num esforço para competir contra a Apple e Android seu companheiro fornecido pela Samsung, e que a empresa tinha experimentado com telas curvas e cerâmicas como possíveis aspectos de hardware. Enquanto o novo CEO da Motorola Dennis Woodside não quis comentar diretamente sobre o projeto do X Phone, ele mencionou que a empresa tinha agora os "recursos para fazer grandes coisas" por causa de sua aquisição pela Google, e que a Motorola "investiu em uma equipe e uma tecnologia que fará algo muito diferente das abordagens atuais. [3]

Numa conferência de imprensa organizada pelo AllThingsD em maio de 2013, Woodside brincou publicamente sobre um novo aparelho da Motorola conhecido como Moto X. Embora Woodside não apresentou o dispositivo (que ele dizia estar no bolso), ele revelaria que Moto X seria "contextualmente consciente", e teria dois processadores especiais que lhe permitam fazer isso, mantendo a vida da bateria bastante suficiente. Woodside também anunciou que os telefones seriam concebidos e fabricados em uma fábrica fora de Fort Worth, empregando 2.000 pessoas, e seria lançado em outubro de 2013. Mais tarde, foi revelado detalhes de que o telefone estaria disponível em todas as quatro operadoras nacionais dos Estados Unidos, e que a Motorola planejava gastar US $500 milhões em marketing com o Moto X. O dispositivo foi projetado para atrair usuários comuns, conforme determinado pelos grupos de foco e pesquisas, com foco em funcionalidade única e garantindo a vida longa da bateria ao invés de focar em atingir especificações de alta tecnologia. O Chefe de design da Motorola Jim Wicks afirmou que Moto X "realmente não era para ser intimidante e tecnológico, é realmente mais popular e confortável." [4]

Moto X foi revelado publicamente pela primeira vez durante um evento para a imprensa em 01 de agosto de 2013, onde foi anunciado que o aparelho seria lançado por todas as grandes operadoras dos EUA, enquanto Rogers Wireless depois anunciou que venderia o dispositivo exclusivamente no Canadá. A Motorola especificamente declarou que só lançaria o aparelho na América do Norte, e teria "planos [Não] imediatos" para liberá-lo em áreas como a Europa, embora a empresa deu a entender que tinha "planos excitantes" para um dispositivo individual sob medida para o mercado europeu. Uma "edição de desenvolvedor" com um bootloader destravado foi lançado no final de setembro de 2013. Em 19 de setembro, Republic Wireless anunciou que iria oferecer Moto X sem um contrato de serviço a um preço significativamente menor em comparação com a edição de desenvolvedor e outros modelos vendidos sem contrato. [5]


Funções[editar | editar código-fonte]

Enquanto algumas empresas como a Samsung investem em funções pouco úteis e descartáveis, a Motorola implementou recursos práticos e simples, que realmente fazem diferença em nosso cotidiano[6] Eis algumas:

Reconhecimento de voz, permite o aparelho nos escutar e executar aplicativos, bastando falar para que ele cumpra as ordens.

Migração Motorola, faz a transferência de históricos, arquivos, etc do seu antigo telefone para o Moto X.

Câmera ágil, balançando com o pulso duas vezes no aparelho abre o app da câmera, e para tirar a foto, só um toque na tela captura a imagem.

A combinação do Active Display com as notificações inteligentes e os sensores de movimentos criou um recurso onde você ao tirar o Moto X do bolso, ou tirá-lo da mesa, ele mostra além da hora, suas notificações dos aplicativos. Eliminando a necessidade de desbloquear a tela para saber o que está acontecendo. Tal recurso possuí uma tecnologia onde a tela utiliza-se de alguns pixels ativados para mostrar o que importa economizando muito a bateria.

Versões[editar | editar código-fonte]

A Motorola X tem várias versões para suporte 3G e 4G redes de operadoras diferentes:

Modelo ID da FCC Suportes Bandas CDMA Bandas GSM Bandas UMTS Bandas LTE Notas
XT1053 IHDT56PA2 T-Mobile US, Developer Edition (GSM) N/A Quad 850/900/1700/1900/2100 2/4/17 As edições de desenvolvedor não tem SIM bloqueado e é compatível com a AT&T Mobility e redes T-Mobile dos EUA[7]
XT1055 IHDT56PB3 U.S. Cellular 800/1900 Quad 850/900/1900/2100 4/5/12
XT1056 IHDT56PB2 Sprint Corporation, Republic Wireless 800/1900 Quad 850/1900/2100[8] 25 As funções de rede GSM / UMTS foram desabilitadas por firmware e tem o SIM bloqueado [8]
XT1058 IHDT56PA1 AT&T Mobility, Rogers, Vivo, Claro (Puerto Rico), Movistar and Claro (Chile), Brasil N/A Quad 850/900/1900/2100 2/4/5/7/17
XT1060 IHDT56PB1 Verizon Wireless 850/1900 Quad 850/900/1900/2100 4/13 As edições de desenvolvedor também está disponível,[9] embora uma fonte[10] afirma que só suporta banda LTE 13 (não 4)

Todas as versões suporta quatro bandas 2G GSM 850/900/1800/1900.

Referências

Links externos[editar | editar código-fonte]