Motor de dois cilindros em linha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Motores de dois cilindros em linha é um termo em engenharia para designar os motores de combustão interna com dois cilindros alinhados. Podem ser de dois tempos ou de quatro tempos, do ciclo diesel ou ciclo de otto.

Sequência de ignição[editar | editar código-fonte]

Nos motores de dois tempos, onde o ciclo se completa em 360 graus, ocorre o início do tempo de ignição a cada 180 graus (360°/2 cilindros = 180°).

Nos motores de quatro tempos, onde o ciclo se completa em 720 graus, a sequência pode ocorrer de duas formas:

  • nos motores onde as bielas de ambos os cilindros estão acopladas em um mesmo braço do virabrequim: nestes motores ocorre o início da ignição com intervalos regulares de 360 graus, visto que quando o primeiro cilindro está no início do terceiro tempo (expansão), o segundo cilindro esta no início do primeiro tempo (aspiração), e quando neste ocorrer a ignição, dando início à expansão, o primeiro cilindro estará iniciando a aspiração;
  • nos motores onde a base de cada uma das bielas esta acoplada em lados opostos do virabrequim: nestes motores a ignição ocorre em intervalos irregulares com diferença de 180 e 540 graus. Isso ocorre porque, quando no primeiro cilindro ocorre a ignição dando início ao terceiro tempo, o segundo cilindro esta no início da compressão (segundo tempo). No momento que ocorrer a ignição no segundo cilindro o primeiro cilindro estará iniciando a expulsão dos gases da combustão (quarto tempo).

Usos[editar | editar código-fonte]

Os motores de dois cilindros em linha são usados em motos, automóveis, barcos, pequenos caminhões, tratores e como motores estacionários. O carro mais barato do mundo, o indiano Tata Nano, usa esse tipo de motor.