Movimento retrógrado aparente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
Este artigo é sobre o movimento aparente dos planetas conforme observados de um ponto de referência particular. Para os movimentos retrógrados de corpos celestes relativamente a objetos em centros gravitacionais, veja Movimento retrógrado.
Conforme a Terra (em azul) passa por um planeta superior, como Marte (em vermelho), o planeta superior temporariamente vai parecer reverter seu movimento pelo céu.

O movimento retrógrado aparente é o movimento de um corpo planetário em uma direção oposta ao de outros corpos de seu sistema conforme observado de um ponto de referência particular. Movimento direto ou movimento progressivo é o movimento na mesma direção dos outros corpos.

Apesar dos termos direto e progressivo serem equivalentes neste contexto, o último é o termo tradicional em astronomia. Prograde (inglês, como antônimo de retrograde) foi visto primeiro em um resumo de um artigo profissional de astronomia, em 1963.[1]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A expressão retrógrado vem da palavra latina retrogradus"para trás". O afixo retro- significa para trás e gradi passo ou ir para. Retrógrado é utilizado normalmente como adjetivo para descrever o caminho de um planeta conforme ele viaja pelo céu noturno, com respeito ao zodíaco, estrelas, e outros corpos da abóboda celeste. Neste contexto, ele se refere a planetas que, conforme vistos da Terra, parecem parar e reverter a direção de seu movimento em certos momentos, apesar de estarem perpetuamente em órbia na mesma direção uniforme.[2]

"Mercúrio retrógrado" é um bom exemplo do termo usado como pronome para o movimento retrógrado. Retrógrado também é usado às vezes como verbo intransitivo significando estar, aparecer, comportar-se ou parecer mover-se de forma retrógrada.

Apesar dos planetas serem confundidos com as estrelas quando observamos o céu noturno, os planetas mudam de posição de noite para noite em relação às estrelas. Retrógrado (para trás) e progressivo (para frente) são observados conforme as estrelas giram em torno da Terra. O astrônomo grego Ptolomeu acreditava em 150 EC que a Terra era o centro do sistema solar mas ainda usava os termos retrógrado e progressivo para descrever o movimento dos planetas em relação às estrelas. Apesar de sabermos hoje que os planetas movimentam-se em torno do Sol, continuamos a usar os mesmos termos para descrever o movimento dos planetas em relação às estrelas conforme as observamos a partir da Terra. Como o Sol, os planetas parecem nascer no Leste e se por no Oeste. Quando um planeta viaja para leste em relação às estrelas, ele é chamado progressivo. Quando o planeta viaja para oeste em relação às estrelas (caminho oposto), ele é chamado retrógrado.[3]

Movimento aparente[editar | editar código-fonte]


T1, T2, ..., T5 - posições da Terra
P1, P2, ..., P5 - posições de um planeta
A1, A2, ..., A5 - projeção na esfera celeste

Quando observamos o céu, o Sol, Lua e estrelas parecem se mover do leste para oeste por causa da rotação da Terra (o assim chamado movimento diurno). Entretanto, orbitadores como o ônibus espacial e muitos satélites artificiais parecem se mover de oeste para leste. Estes são satélites diretos (eles na verdade orbitam a Terra na mesma direção da Lua), mas eles orbitam a terra mais rápido que o movimento de rotação próprio da Terra, e portanto parecem se mover na direção oposta. Marte possui um satélite natural, Fobos, com uma órbita similar. Da superfície de Marte ele parece se mover na direção oposta por que seu período orbital é menor que um dia marciano. Existe um pequeno número de satélites artificials retrógrados verdadeiros orbitando a Terra que contra-intuitivamente parecem se mover para oeste, na mesma direção da Lua.

Caminho aparente de Marte em 2009-2010 relativo à constelação de Câncer.

Conforme vistos da Terra, todos os planetas parecem periodicamente mudar de direção conforme cruzam o céu. Apesar de todas as estrelas e planetas parecerem se mover do leste para oeste de uma noite para outra em resposta à rotação da Terra, os planetas externos geralmente se deslocam lentamente para leste em relação às estrelas. Este movimento é normal para os planetas e é considerado um movimento direto. Entretanto, como a Terra completa sua órbita em um período mais curto que os planetas exteriores à sua órbita, periodicamente eles são ultrapassados pela Terra, como um carro mais rápido em uma via expressa com várias faixas. Quando isto acontece, o planeta que está sendo ultrapassado irá parecer parar seu movimento para leste, e então irá se movimentar para oeste. Então, conforme a Terra passa pelo planeta em sua óribta, ele parecerá voltar a seu movimento normal para o leste.[4] Os planetas internos, Vênus e Mercúrio parecem se mover de forma retrógrada por um mecanismo semelhante, apesar de seus ciclos retrógrados estarem também conectados com suas conjunções com o Sol. O movimento retrógrado aparente é explicado pelo mesmo mecanismo dos planetas exteriores. Asteróides e objetos do Cinturão de Kuiper (incluindo Plutão) também apresentam movimento retrógrado aparente.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Jones, G. H. S.; Maureau, G. T.; Cyganik, S. A. (1963), "Air-Blast Coupling to Prograde and Retrograde Surface Waves", Journal of Geophysical Research 68: 4979 
  2. Carrol, Bradley and Ostlie, Dale, An Introduction to Modern Astrophysics, Second Edition, Addison-Wesley, San Francisco, 2007. pp. 3
  3. http://dictionary.reference.com/browse/retrograde
  4. Carrol, Bradley and Ostlie, Dale, An Introduction to Modern Astrophysics, Second Edition, Addison-Wesley, San Francisco, 2007. pp. 4

Ligações externas[editar | editar código-fonte]