Rodrigo Vieira Emerenciano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mução)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Mução
Nome completo Rodrigo Vieira Emerenciano
Nascimento Data desconhecida, 1977 (37 anos)
Rio Grande do Norte Natal, RN
Residência Fortaleza, CE
Nacionalidade Brasil brasileiro
Progenitores Mãe: Lina Vieira
Ocupação Radialista, Humorista
Página oficial
Mucao.com.br

Rodrigo Vieira Emerenciano(Natal, 8 de outubro de 1976) é um radialista e humorista brasileiro. Sua principal personagem é o típico matuto nordestino Mução.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Rodrigo Emerenciano é filho da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira[1] [2] . Devido ao mistério que criou em volta de seu principal personagem, o Mução, Rodrigo sempre foi muito discreto em relação a sua vida pessoal, e sabe-se muito pouco a respeito de sua infância e adolescência. Sabe-se apenas que teve acesso a boa educação, nasceu e cresceu em Natal, e tem dois irmãos, Bruno e Renata.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Famoso em todo país, e em especial por suas pegadinhas por telefone, Rodrigo é sucesso de audiência com seu programa, A Hora do Mução, que é transmitido ao vivo via satélite para diversas rádios, como Metropolitana FM (São Paulo), BH FM (Belo Horizonte) e Clube FM (Brasília), além de várias rádios pelo país. Na TV seu personagem já participou do programa Apito Final, da Rede Bandeirantes.

Rodrigo começou sua carreira no final dos anos 1990 na Rede de Rádio Som ZoomSat em Fortaleza, uma emissora regional com sede na capital do Ceará, e que distribui seu conteúdo via satélite para pequenas e grandes emissoras de todo território nacional. Em 2002 ele foi para o Recife, de onde apresentou seu programa até março de 2012 quando se mudou para novamente para Fortaleza.

No início de 2013, Rodrigo transferiu-se com sua trupe para o Rio de Janeiro. Da capital fluminense, passou a transmitir seu programa para todo o país sem nenhuma alteração no horário, formato, ou emissoras afiliadas, fazendo assim com que seus ouvintes não notassem a mudança. Esta mudança foi estratégica para Rodrigo, pois tem a missão de consolidar o sucesso de seu personagem nas regiões sul, e sudeste do país, e aproveitar os eventos de 2014 (Copa do Mundo) e 2016 (Olimpíadas), eventos em que Mução participa das transmissões.

Rodrigo não revela sua verdadeira imagem. Exibe-se apenas caracterizado como sua personagem "Mução", um senhor de meia-idade narigudo, e vestido com indumentárias características do sertão nordestino. Rodrigo porém geralmente é representado em seu site, redes sociais, e peças publicitárias através de um desenho, que por muito tempo também foi caracterizado com a indumentária do matuto nordestino, mas hoje é mostrado vestido por trajes urbanos. Entretanto, em meados da década de 2000, deixou escapar uma imagem sua em início de carreira em uma reportagem sobre o fenômeno que seu programa estava se tornando no nordeste brasileiro. Hoje o vídeo pode ser encontrado em sites de compartilhamento de vídeos, como o YouTube, mas para manter o mistério de sua identidade, Rodrigo nega ser ele o locutor entrevistado na matéria.

A personagem Mução[editar | editar código-fonte]

Mução é a principal personagem de Rodrigo Emerenciano. De acordo com Rodrigo, sua personagem é natural de Cachoeira do Sapo, interior do Rio Grande do Norte. Pelas contas, ele teria mais de 60 anos de idade e é o verdadeiro retrato do matuto nordestino, com seu sotaque carregado, e vocabulário cheio de regionalismos. Possui três CDs de pegadinhas lançados, que fazem grande sucesso. Encarnando a personagem, Rodrigo e sua equipe já fizeram a cobertura da Copa do Mundo de Futebol de 2010 na Alemanha (tendo viajado por diversas cidades do país europeu), da Copa da França, e das Jogos Olímpicos de Pequim 2008. Rodrigo mudou-se com sua equipe para o Rio de Janeiro no início de 2013. Além de consolidar seu personagem no sul e sudeste, a estratégia também é ficar mais perto dos eventos na cidade em 2014 (Copa do Mundo 2014), e 2016 (Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro).

Alguns de seus bordões mais conhecidos são "Respeita a polícia!", "Pense numa popa/numa pegada de ar!", "Aí é bruto que só os pés da burra!", "Esse cabra é grosso que nem cano de passar tolete" e "Parabéns, pegou ar!".

O humorista também é possuidor de um acervo de "provérbios" batizado por ele como Fuleirosofia.

Pegadinhas[editar | editar código-fonte]

Apesar da variedade de quadros no seu programa, ele é mais conhecido pelas Pegadinhas do Mução, em que telefona para uma vítima, preferencialmente da região nordeste, e previamente indicada via fax ou e-mail por algum amigo ou parente dela.

A trama, consiste depois de abordar um assunto com a vítima, chamá-la por um apelido indesejado ou acusando-a de algum fato esdrúxulo — como preparar comida deteriorada ou adulterada ou ter relações sexuais com algum animal —, despertando sua fúria descontrolada. A pegadinha pode no decorrer, envolver pessoas próximas que também atendam ao telefone.

Ao atingir o nível de descontrole máximo, e atraindo xingamentos com muitas palavrões (reproduzidos com o uso frequente do som agudo de censura), Rodrigo passa a administrar a situação repetindo exaustivamente o apelido da pessoa, ou lançando mão de seus bordões que tem o intuito de provocar mais raiva, como por exemplo "respeita a polícia".

O ataque de fúria da pessoa é chamado por ele de pegada de ar ou popa e o seu descontrole e a abundância de palavrões são a graça maior das pegadinhas. A pessoa sempre desliga o telefone na cara de Mução, muitas vezes batendo o gancho contra o aparelho telefônico com força, mas o humorista, quando não encontra a linha ocupada ou desligada, sempre liga novamente para continuar enfurecendo-a. Quando a pegadinha atinge grande sucesso, Rodrigo faz um segundo telefone depois de alguns meses, previamente combinado por quem solicitou a primeira pegadinha. Entre as mais conhecidas pegadinhas, e sucessos absolutos de audiência e compartilhamento em sites e redes sociais, estão Casca de Ferida (um, e dois), Furunco, Chico Butico, Timbu, Pato Rouco (este ele liga mais de 2 vezes) e Rocha Pitomba.

Outros quadros[editar | editar código-fonte]

Além das Pegadinhas do Mução, existem outros quadros, vários deles com a mesma temática de enfurecer a pessoa numa ligação telefônica. Ao contrário das Pegadinhas tradicionais, nesses outros quadros Mução não liga novamente para a mesma pessoa depois que ela desliga o telefone na sua cara. Alguns dos mais conhecidos são:

  • Ligação a Cobrar: Mução liga a cobrar para um telefone celular e pede da pessoa um sinal de fax. O gasto de dinheiro na ligação e a insistência de Mução em "ignorar" que está ligando para um celular em vez de um fax despertam a fúria do atendente.
  • Emprenhando pelos Ouvidos: Mução diz para a pessoa que "um parente que veio do interior" está querendo falar com ela, mas quem assume a ligação é Bill BB, personagem secundário d'A Hora do Mução, berrando.
  • Ô Povo Feio: Mução, depois de perguntar à pessoa sobre parentes mais próximos, chama sua família de povo feio e a enfurece.
  • Aboio romântico:Mução liga para uma mulher e diz que uma amiga que uma amiga dela mandou uma telemensagem, toca um fundo musical romântico e na hora que alguem vai falar na telemensagem, é um vaqueiro aboiando e a mulher que esperava uma mensagem carinhosa da telemensagem pega ar.
  • Eu Acho que Vi um Gatinho: a insistência de Mução em falar de um ou mais gatos que ele teria comprado ou que quer vender para a pessoa provoca a pegada de ar da mesma.
  • Nem Escuta Zuada da Mutuca: Mução liga para as pessoas e tenta estabelecer um diálogo utilizando apenas frases gravadas por um senhor de idade, o "véi Davi", que no programa é considerado seu pai. A vítima fica confusa e às vezes enfurecida com a conversa sem sentido e a suposta deficiência auditiva do "véi Davi". Exemplos de frases ditas por Davi: "Fale alto pra eu entender, que eu sou mêi rôco!" (como que dizendo "mouco" - palavra da língua portuguesa que significa "surdo". ), "Quem fala aí?", "Ah, então é meu prazer!", "Ela morreu?", "Home, vôti!", "Tô entendendo não...", "Acuma é?", "Mas só quer ser!" e a finalística "Vá pra baixa da égua com essa conversa!" que sempre tira as vítimas do sério.
  • O quadro Frases Mais Engraçadas das Pegadinhas vai ao ar no fim d'A Hora do Mução e relembra trechos destacados de pegadinhas antigas.
  • Calma que o Brasil é nosso: nesse caso Mução liga para a pessoa e diz que o Dr. Carneiro quer falar com ela e a faz esperar por um bom tempo, colocando aquelas músicas de espera e passando a linha para um e outro, fazendo a vítima perder a paciência. Quando finalmente diz que o tal Dr. Carneiro vai falar, é tocado um berro de carneiro e a pessoa se enfurece.
  • O amor é lindo, mas é de "vrido": Mução liga para um homem dizendo-se fazer parte de uma empresa que manda mensagens fonadas românticas, e que teria uma mensagem para enviar de uma suposta admiradora anônima desse homem. Então, depois de uma gravação com declarações de amor, acompanhada de um fundo musical romântico, ele pergunta se o homem gostou da mensagem e se gostaria de falar pelo telefone com a admiradora secreta. Com resposta positiva, ele coloca na conversa o personagem do programa chamado Katraya, um homossexual, que faz uma declaração de amor. Isso causa muita raiva e revolta no homem.
  • Meus Parachoques: Assim que a pessoa atende a ligação do Mução, ele e sua turma cantam Parabéns (de maneira desafinada) e ele parabeniza a pessoa pelo suposto aniversário (que, geralmente, não é no dia). A vítima tenta explicar que não faz anos no dia, e logo Mução revela que faz uma data redonda que algo esdrúxulo acontecer com a pessoa e faz com que ela se irrite.
  • Caixão e Vela Preta: Mução liga para a vítima chorando muito. Diz que um amigo seu, de nome Evilásio, se acidentou na rua (caiu de um jumento, ou de uma bicicleta, ou foi atropelado por uma carroça de burro) e se machucou e está caído no chão, pedindo para localizarem sua mãe. Diz que pegou o telefone com Evilásio, para que localize a sua mãe e venha socorrê-lo. A vítima, muito aflita, tenta lembrar o nome da mãe de Evilásio, e se esforça para ajudar. Até que Mução, sempre chorando muito, diz que Evilásio está tentando dizer alguma coisa. Depois de conversar rapidamente com o acidentado, ele volta para o telefone e diz algo como: - Dona Fulana, ele está dizendo que a venta da senhora mede dois palmos, é verdade? Ou: ele disse que sua orelha é do tamanho de uma antena parabólica. Ou: ele está dizendo que o apelido do seu marido é Chacrete, é verdade? Com isso a vítima se enfurece e diz um monte de palavrões.

Indenização a vítima[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2012, a rádio Estação Sat, do grupo "SKY" que veicula o A Hora do Mução, foi condenada a pagar uma indenização de R$ 25 mil a um taxista da cidade de São Paulo por danos morais. A vítima alegou que a brincadeira afetou seu trabalho e lhe trouxe consequências familiares, e o juiz responsável pela sentença afirmou no despacho que a emissora, que tentou se isentar da responsabilidade, foi negligente ao não aferir previamente os programas levados ao ar.[3]

O DJ Mução[editar | editar código-fonte]

Mução também remixa canções das paradas de sucesso atuais, internacionais em sua maioria, para o ritmo de forró e divulga no rádio e na internet no site oficial do Humorista.

Prisão[editar | editar código-fonte]

Em 28 de junho de 2012, Rodrigo foi preso numa operação da Polícia Federal em Fortaleza, acusado de manter e divulgar material de pornografia infantil. Na entrevista coletiva em que detalhou o caso, a Polícia Federal não deu o nome do artista, mas revelou que ele era suspeito de disponibilizar este tipo de material. Equipamentos de informática foram apreendidos em sua residência para posterior análise pericial. A assessoria de imprensa do programa A Hora do Mução negou que o humorista estivesse envolvido no crime.[4] [5]

Em sua defesa, o advogado de Rodrigo declarou que ele era inocente, e levantou a hipótese de o computador ter sido usado por outra pessoa, já que Rodrigo não têm habilidade, e nem utiliza computadores, sendo inclusive seus websites e redes sociais administrados por terceiros.

Em 29 de junho, o irmão mais novo do radialista, Bruno — um engenheiro de computação de 23 anos — confessou ser o responsável pelo material pornográfico e disse que usava o apelido "Mução" para frequentar fóruns online relacionados a esse tipo de conteúdo. Ele era responsável pelo parque tecnológico da empresa de Rodrigo, tendo acesso a todas as senhas.[6] Bruno se apresentou à Polícia Federal acompanhado de seu advogado, e por não ter havido flagrante, não foi preso. Rodrigo foi solto na noite do mesmo dia.[7] [8]

Em 26 de julho, o nome de Rodrigo foi totalmente excluído do inquérito policial da investigação sobre pornografia infantil e a policia confirmou a inocência do humorista.


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um radialista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.